Publicidade Google

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Policiais em protesto no Equador tentam cortar sinal de canais de TV


Policiais em protesto no Equador tentam cortar sinal de canais de TV

Redes estatais transmitem o que governo chama de tentativa de golpe.
Protestos de policiais fizeram com que fosse decretado estado de exceção.

Do G1, com agências
Os policiais que participam dos protestos que fizeram com que fosse decretado estado de exceção no Equadortentaram interromper o sinal da GamaTV e da EcuadorTV, canais controlados pelo governo equatoriano, segundo disseram apresentadores das duas emissoras. "Elementos da polícia nacional estão tentando impedir que o sinal da GamaTV seja transmitido ao país", afirmou um jornalista desse canal.
Segundo a France Presse, as instalações da estação de uma rede de televisão pública do Equador foi atacada e ocupada, no momento em que emitiu informações sobre a rebelião de policiais e soldados. Dezenas de pessoas destruíram portas de vidro do edifício da ECTV e invadiram a sala de imprensa depois de o presidente Rafael Correa, denunciar que seu governo enfrenta uma tentativa da oposição de derrubá-lo e declarar estado de emergência.
O sinal da estação foi interrompido sem maiores explicações, sendo retomada pela Gama TV, outros meios de comunicação públicos e cujo sinal é relatado por todas as emissoras de TV e rádio cumprir uma ordem do Executivo.
Anteriormente, ECTV informou que a polícia em rebelião tentando atrapalhar suas transmissões."De vez em quando podemos ficar sem sinal", disse o apresentador para indicar que os soldados tinham sido admitidos para as instalações das antenas para a transmissão das emissoras de televisão e de rádio localizada em uma montanha em cujos pés se encontra Quito.
O apresentador da Gama TV disse ter sido informado por telefone que os policiais "pretendem cortar os cabos de energia e danificar as antenas". A ECTV também informou que os policiais tentaram interromper seu sinal.
Estado de exceção
Todos os canais de televisão do país transmitem, no momento, o conteúdo da EcuadorTV, um canal público, e da GamaTV, estação que atualmente está sob controle do Governo. O Estado suspendeu indefinidamente a programação dos outros canais de televisão e rádio, que agora transmitem declarações críticas aos policiais em protesto.
Após a declaração do estado de exceção, a Secretaria Nacional de Comunicação enviou um e-mail aos diretores dos canais de televisão e de rádio do país exigindo que se conectassem à EcuadorTV e à Radio Pública, respectivamente. "Esta disposição é de cumprimento obrigatório e imediato. A estação de rádio ou televisão que a descumprir será sancionada com todo o rigor da lei", afirmou a mensagem, à qual à Agência Efe teve acesso.
Nas transmissões, diversos representantes governamentais destacam que o Governo conta com o controle total do país, que enfrentou hoje uma situação de caos por causa das manifestações.
Os policiais cercam o hospital da Polícia Nacional, onde o presidente Rafael Correa se encontra sob proteção.

LEIA MAIS

Coronel que criticou a polícia é afastado e em seguida nomeado

Coronel que criticou a polícia é afastado e em seguida nomeado

A cúpula da segurança pública estadual foi procurada para explicar os motivos da mudança. Mas o silêncio impera na corporação

Letícia Cardoso e Wagner Barbosa - gazeta online

CORONEL
Leia a transcrição abaixo do diálogo entre o coronel Julio (foto) e o capitão Roger.


Confira a conversa em áudio.


Atendente Ciodes: Ciodes, capitão Roger, boa noite
Coronel Julio: ô Roger, é o coronel Júlio, tudo bem
Ciodes, capitão Roger:  Tudo, chefe
Coronel Julio: Rapaz, manda ver o que tá acontecendo naquele posto de trânsito de Jardim Camburi..
Ciodes, capitão Roger:  Já mandei, já
Coronel Julio: Porque tem um advogado, inclusive ele é advogado do coronel Corso, só que o Corso tá de férias.


Ciodes, capitão Roger: Eu falei com ele agora pelo celular


Coronel Julio: E ele tá achando, pelo que eu tô entendendo, ele é uma pessoa que eu conheço muito, ele tava ontem na minha residência assistindo jogo comigo... eu tô achando que a polícia tá excedendo. Agora, eu tô julgando de longe. Manda alguém de fora ver isso pra gente não ter que entrar para autuar alguém aí...


Coronel Julio: Os soldados estão, assim, fora do normal. O soldado é igual leão em cima de carne


Ciodes, capitão Roger: Mas me falaram o seguinte nessa ocorrência...o coronel Henrique ligou pra falar desse advogado.


Coronel Julio: Esse rapaz é advogado de uma centena de oficiais da PM


Ciodes, capitão Roger: O que que acontece, eles falaram que o rapaz mudou de faixa e, então eles foram orientá-lo... adverti-lo.


Coronel Julio: Pegaram o cara dentro do supermercado


Ciodes, capitão Roger: No estacionamento


Coronel Júlio: Nãoooo, sem fundadas suspeitas, a lei é clara. Eu vou sentar o ferro nesses "policia", eu vou lá e vou prender esses 'cara'


Ciodes, capitão Roger: É, me falaram o seguinte... orientaram a conduzir ao posto de trânsito.


Coronel Julio: Não é o que que falaram, é o que a Lei fala. Você é o oficil de servição. O que que a Lei fala: só pode abordar com fundadas suspeitas. A polícia já começa errado...


Ciodes, capitão Roger: a princípio ele tinha cometido uma infração de trânsito


Coronel Julio: Qual o oficial que você mandou lá?


Ciodes, capitão Roger: Não mandei oficial, não. Mandei o próprio policial de trânsito lá.


Coronel Julio: Ô Roger, eu tô te determinando. Manda um oficial lá! Antes que dê problema e que sobre pra você e pra quem tiver nessa merda.


Ciodes, capitão Roger: Eu vou mandar


Coronel Julio: Essa polícia eu conheço bem porque eu sou coronel dela, hein! Se der problema pra esse rapaz eu vou mandar prender vocês. Porque eu tô vendo que a polícia tá se excedendo.


E como essa porcaria tá tudo 'gravado'...eu tô dizendo a você, tô de dando ordem, manda lá!


Ciodes, capitão Roger: Tô mandando lá, agora


Coronel Julio: Não é possível que essa merda dessa PM vá fazer bobagem com uma cara que eu conheço, que tava dentro da minha casa vendo jogo comigo ontem, que é advogado do corregedor da polícia, que é advogado de mais de 100 oficiais da polícia. Eu vou ligar para o comandante da polícia e vou mandar prender os 'polícia' lá. E eu vou lá e prendo. Você me liga urgentemente me dando esse retorno.


Ciodes, capitão Roger: Tá certo, vou ligar pra lá.


A cúpula da Segurança Pública no Espírito Santo decidiu se calar sobre a interferência do coronel Júlio Cezar e o suposto uso de poder do oficial para proteger o amigo advogado envolvido em uma ocorrência de trânsito.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública, o alto comando da Polícia Militar fizeram a opção de não dizer os motivos pelos quais o coronel Júlio Cezar, que havia sido afastado da função no fim da manhã desta terça-feira e terminou o dia nomeado para outro cargo.

Em nota divulgada no final da manhã desta terça-feira, o Comando Geral da Polícia Militar do Espírito Santo informou que iria afastar "o coronel Júlio Cezar Costa, diretor de Apoio Logístico; e o coronel João Antônio da Costa Fernandes, corregedor geral, de suas funções".

Cinco horas depois, a decisão era outra. Os dois oficiais foram apenas remanejados para outros cargos sob a justificativa de que a medida de que a investigação transcorra "com isenção", nas palavras do comandante geral, coronel Oberacy Emmerich.

A cúpula da segurança pública foi procurada nesta quarta-feira (29) para explicar os motivos da mudança. Mas o silêncio impera na corporação e não vale apenas para o alto comando da Polícia Militar.

O coronel, que além de atacar a PM, conforme gravação feita pelo Centro Integrado Operacional de Defesa Social - Ciodes - disse que a polícia estava sem comando e se tornando uma milícia, também está proibido de falar sobre o caso.

Nesta quarta, a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social se limitou a informar que o Comando da Polícia Militar instaurou, por meio da Portaria nº 115/2010, sindicância que apura o recente episódio envolvendo o Coronel Júlio Cezar Costa.

Leia também
Coronel que chama Polícia Militar de m... é afastado do cargo por 30 dias

'Não é possível que essa m.. dessa PM vá fazer bobagem', diz coronel ao defender amigo

Coronel que chamou a PM de m... pede desculpas aos soldados


Coronel que chamou a polícia de m... ainda tem o prestígio do comando da corporação

A Secretaria de Segurança salientou ainda que "que solicitará o acompanhamento de todo o trabalho pelo Ministério Público Estadual, visando a garantir isenta apuração dos fatos. A sindicância tem prazo de conclusão de 15 dias, com possibilidade de prorrogação de mais 15 dias.

Se houve transgressão é aberto um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e a pessoa que está sendo acusada, se caracterizada a transgressão, pode se defender. Ao final, se caracterizada a sua culpabilidade, pode ser repreendida, detida ou presa.

Caso seja configurado crime pela apuração da sindicância, é aberto um Inquérito Policial Militar que segue também os ritos de apuração da Polícia Militar e que, no seu desfecho, tipifica ou um ou outros crimes cometidos. O inquérito é encaminhado para o Ministério Público para análise, oferecimento de denúncia e encaminhamento à Justiça.

A nota, porém, não explica porque após a Secretaria de Segurança ter anunciado o afastamento do coronel Júlio, horas depois o comando da Polícia Militar nomeou os dois oficiais para outras funções.

LEIA MAIS

Eleições 2010: os Programas de Governo

Eleições 2010: os Programas de Governo 

Autor: Danillo Ferreira 




A três dias das eleições que definirão os próximos governadores, presidente, deputados estadual e federal e senadores, ainda há quem esteja em dúvida quanto ao candidato em que votará. Basicamente, há dois pressupostos básicos para votar em um candidato: nível de confiabilidade e propostas defendidas. Naturalmente, a confiança é o mais importante, pois nada adianta ter boas ideias e propostas se, caso eleito, o político engane seu eleitorado, não implementando aquilo que prometeu.
Acredito que a confiabilidade é algo que cada eleitor, intimamente, sente ou não com cada candidato, sendo mais acertada a decisão de confiar ou não quando o político tem algum histórico na vida pública, principalmente aqueles que exerceram mandatos recentes, pleiteando a reeleição. Quem é o candidato? O que ele já fez em sua vida pública? É uma pessoa coerente, alinhada com o que discursa? Após essa análise, cabe observar o que o candidato defende.
Além dos debates, comícios, palestras e propagandas eleitorais, uma ferramenta importante para aferir as ideias de determinado candidato é seu Plano de Governo – no caso dos governadores e presidente, que devem ter uma agenda com propostas claras e definidas para o exercício do Poder Executivo. Após ler os planos de governo para a segurança pública dos principais candidatos de alguns dos principais estados brasileiros (Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Distrito Federal, Pará e Rio Grande do Sul) surge uma constatação elementar: faltam propostas para a segurança pública entre os candidatos a governador.
Sem olhar para a já citada credibilidade, no máximo, o que encontramos, são as exceções que só confirmam a regra. Ou alguém terá a desfaçatez de defender que um candidato consegue explicar propostas em seu plano de governo, documento oficial e único, no campo da segurança pública, área tão sensível e combalida, em apenas 14 linhas? A generalização excessiva parece ser um estratagema utilizado pela maioria dos candidatos, onde se defende os fins e não os meios. “Polícia valorizada e bem equipada”, por exemplo, é um fim, e não um meio. O eleitor sabe que todos querem isso, mas o problema, e aí os candidatos se calam, é dizer o que será feito para alcançar a tal “polícia valorizada e bem equipada”.
A Pacificação de Favelas, principal bandeira do Governo do Estado do Rio de Janeiro, parece um consenso entre os candidatos que resolvem discutir um pouco mais além do blábláblá genérico. Levar serviços de saneamento, educação, cultura e esporte às periferias é tarefa acertadamente destacável, ou seja, fazer com que o estado se faça presente, com estruturas que vão além das viaturas policiais.
Outra questão é consenso entre os candidatos discutíveis, a ausência do tema “corrupção nas polícias”. Meu amigo Jorge Antonio Barros, d’O Globo, foi em cima da ferida, ao comentar a campanha dos candidatos ao Governo do Rio:
Os programas de governo dos dois candidatos à frente das pesquisas eleitorais para o Palácio Guanabara exibidos na internet não tocam numa questão crucial para a segurança pública: o combate à corrupção e o controle dos desvios de conduta dos policiais civis e militares.
Leia todo o texto do Repórter de Crime
Apenas uma candidatura se preocupa, de maneira leve e tímida, sobre reforma no regulamento das PM’s, excluindo procedimentos como a prisão administrativa, e invertendo a (i)lógica que pune com excesso de rigor comportamentos corriqueiros e é leniente com desvios de corrupção e desrespeito aos Direitos Humanos.
Referente às polícias civis, também apenas uma candidatura trata, genericamente, da baixíssima taxa de esclarecimento de crimes no Brasil, principalmente os homicídios. Fala-se mais do atendimento ao público nas delegacias, o que não é desimportante.
Em São Paulo, a questão dos presídios é bem destacada, dado o histórico de problemas graves na área. Um candidato sugere a criação de pulseiras e equipamentos que rastreiem os condenados a pena alternativa, defendendo ao mesmo tempo que a prisão seja uma última medida, evitando a potencialização da chamada “escola do crime”.
Apenas um candidato toca na questão da violência aos homossexuais, sugerindo a criação de delegacias especializadas. Alguns outros falam da violência à mulher. A questão das drogas é resumida no “combate ao crack”, mas ninguém defende a criação intensificada dos chamados Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), que deveriam existir, no mínimo, em mesmo número que as delegacias, batalhões e companhias de polícia.
Como se vê, os candidatos, em sua maioria, preferem apelar à generalização em seus planos de governo, que corresponde ao não compromisso com seus eleitores. Caso lhe seja perguntado sobre algum tema, especificamente, o candidato certamente afirmará que o tema está incluso no evasivo programa (afinal, “aumento salarial” é “valorização policial”). De qualquer modo, sugiro ao leitor que leia os programas de governo dos candidatos, e aliado à credibilidade, escolha pelo menos o melhor entre os piores, se for o caso do seu estado.
Especial Eleições 2010 e Segurança


O Especial Eleições 2010 e Segurança, é um espaço onde analisaremos as práticas políticas, as promessas, as propostas e as tendências no campo da segurança pública para o próximo pleito eleitoral. Naturalmente, sem discutir candidatos nem partidos, mas sempre focando nas idéias. Participe! 
Fonte: Abordagem Policial

LEIA MAIS

Prazo para pedir 2ª via do título de eleitor termina nesta quinta

Prazo para pedir 2ª via do título de eleitor termina nesta quinta

Termina nesta quinta-feira, às 19h, o prazo limite para pedir a segunda via do título de eleitor ou reimprimir o documento para votar no domingo.

Para reimprimir o título, é preciso procurar os cartórios eleitorais de qualquer localidade. A segunda via só pode ser requerida por quem que já era eleitor ou fez o pedido do título até 5 de maio deste ano.

Além do título de eleitor, para votar será preciso também apresentar um documento oficial com foto. Para saber os endereços dos cartórios basta acessar o site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

LEIA MAIS

Maníaco de Contagem é julgado por estupro e morte de mulher em Minas

Maníaco de Contagem é julgado por estupro e morte de mulher em Minas

Maria Helena Lopes Aguiar teria sido estuprada e morta por asfixia, em setembro de 2009.
Marcos Antunes Trigueiro deve responder pela morte de outras três mulheres.

Do G1 MG
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais julga nesta quinta-feira (30) Marcos Antunes Trigueiro, acusado por estupro seguido de asfixia e morte de Maria Helena Lopes Aguiar. O crime ocorreu em setembro de 2009, no bairro Califórnia, região noroeste de Belo Horizonte.
O julgamento, que estava previsto para começar às 8h30 no 2º Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, na capital, começou às 9h. Segundo o juiz Glauco Eduardo Soares Fernandes, a previsão de duração do julgamento é de cinco a sete horas.
De acordo com a denúncia, o homem, conhecido como maníaco de Contagem teria abordado a vítima quando ela dirigia em uma rua do bairro Industrial, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele teria simulado um assalto e obrigado a mulher a dirigir até o bairro Califórnia, região noroeste da capital. Ainda segundo a denúncia, depois de estuprá-la, o réu estrangulou a vítima com o cinto de segurança. Em seguida, ele teria levado o carro para a BR-040 e fugido.

Maníaco de Contagem chega para julgamento na Grande BH 
Maníaco de Contagem chega para julgamento na
Grande BH (Foto: Flávia Cristini/G1 MG)
 

Em 30 de junho deste ano, Marcos Antunes Trigueiro foi julgado pela morte de Ana Carolina Menezes Assunção e foi condenado a 34 anos e quatro meses de prisão. Segundo a denúncia, o crime ocorreu em 16 de abril de 2009. O réu foi acusado de homicídio, estupro, furto e exposição de incapaz. A vítima de 27 anos foi encontrada morta, seminua e estrangulada com um cadarço. Ela estava dentro do carro e com o filho - na época com um ano e quatro meses - no colo.
No início da sessão, o juiz destacou que Marcos Antunes Trigueiro é acusado da morte de outras três mulheres, que teriam sido estupradas e mortas de maneiras similares.

LEIA MAIS

Professor xinga alunos e quebra porta durante aula no litoral de SP

Professor xinga alunos e quebra porta durante aula no litoral de SP

Acesso de fúria foi gravado por aluno com celular.
Docente foi afastado e vai passar por avaliação psiquiátrica.

Do G1 SP


Um professor de Caraguatatuba, no litoral de São Paulo, foi afastado de suas funções após xingar os alunos e uma colega de trabalho e quebrar a porta de uma sala durante a aula.
A confusão foi na Escola Estadual Ismael Iglesias. Até quem passava do lado de fora escutou a gritaria. Com um gravador de voz de celular um dos alunos registrou a fúria do professor de geografia.
“Eu estou de saco cheio da escola. Eu estou de saco cheio de vocês. Eu estou de saco cheio com a senhora, de tudo o que a senhora me aprontou. Eu estou doente! Cambada de... Sai, sai, sai da minha frente!”, disse o professor.
A estudante Mariana de Castro, de 14 anos, e sua mãe, a promotora de vendas Elisângela Castro, registraram um boletim de ocorrência, junto com a professora que teria sido jogada no chão. “Ele ameaçou todo mundo de morte. Falou que ia voltar e matar todo mundo”, disse a jovem.
Muitos pais já estavam preocupados com a conduta do professor. Essa foi a segunda queixa policial contra ele em menos de um ano. “Ele foi afastado uma vez, por seis meses, e agora ele voltou a dar aula e continuou com as mesmas agressões”, contou Elisângela.
A polícia vai continuar investigando o caso – vai ouvir mais testemunhas e saber a versão do professor sobre a confusão. Ele vai responder por danos ao patrimônio público.
Por medida de segurança, o policiamento na escola vai ser reforçado. A Secretaria Estadual de Educação informou que o professor já foi afastado e que uma comissão vai investigar o caso. Ele vai passar por uma avaliação psiquiátrica.

LEIA MAIS

Militares, nunca mais !

Militares, nunca mais !

(Millôr Fernandes)

Ainda bem que hoje tudo é diferente, temos um PT sério, honesto e progressista. Cresce o grupo que não quer mais ver militares no poder, pelas razões abaixo.Militar no poder, nunca mais. Só fizeram lambanças :

Tiraram o cenário bucólico que havia na Via Dutra de uma só pista, que foi duplicada e recebeu melhorias; acabaram aí com as emoções das curvas mal construídas e os solavancos estimulantes provocados pelos buracos na pista.

Não satisfeitos, fizeram o mesmo com a rodovia Rio-Juiz de Fora.

Com a construção da ponte Rio-Niterói, acabaram com o sonho de crescimento da pequena Magé, cidade nos fundos da Baía de Guanabara, que era caminho obrigatório dos que iam de um lado ao outro e não queriam sofrer na espera da barcaça que levava meia dúzia de carros.

Criaram esse maldito do Proálcool, com o medo infundado de que o petróleo vai acabar um dia. Para apressar logo o fim do chamado

"ouro negro", deram um impulso gigantesco à Petrobrás, que passou a extrair petróleo 10 vezes mais (de 75 mil barris diários, passou a produzir 750 mil); sem contar o fedor de bêbado que os carros passaram a ter com o uso do álcool.

Enfiaram o Brasil numa disputa estressante, levando-o da posição de 45ª economia do mundo para a posição de 8ª, trazendo com isso uma nociva onda de inveja mundial.

Tiraram o sossego da vida ociosa de 13 milhões de brasileiros, que, com a gigantesca oferta de emprego, ficaram sem a desculpa do "estou desempregado".

Em 1971, no governo militar, o Brasil alcançou a posição de segundo maior construtor de navios no mundo. Uma desgraça completa.

Com gigantesca oferta de empregos, baixaram consideravelmente os índices de roubos e assaltos. Sem aquela emoção de estar na

iminência de sofrer um assalto, os nossos passeios perderem completamente a graça.

Alteraram profundamente a topografia do território brasileiro com a construção de hidrelétricas gigantescas (Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipu), o que obrigou as nossas crianças a aprenderem sobre essas bobagens de nomes esquisitos. O Brasil, que antes vivia o romantismo do jantar à luz de velas ou de lamparinas, teve que tolerar a instalação de milhares de torres de alta tensão espalhadas pelo seu território, para levar energia elétrica a quem nunca precisou disso.

Implementaram os metrôs de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza, deixando tudo pronto para atazanar a vida dos cidadãos e o trânsito nestas cidades.

Baniram do Brasil pessoas bem intencionadas, que queriam implantar aqui um regime político que faziaa felicidade dos russos, cubanos e chineses, em cujos países as pessoas se reuniam em fila nas ruas apenas para bater-papo, e ninguém pensava em sair a passeio para nenhum outro país. Foram demasiadamente rigorosos com os simpatizantes daqueles regimes, só porque soltaram uma "bombinha de São João" no aeroporto de Guararapes, onde alguns inocentes morreram de susto apenas.

Os militares são muito estressados.

Fazem tempestade em copo d'água só por causa de alguns assaltos a bancos, sequestros de diplomatas .. . ninharias que qualquer delegado de polícia resolve.

Tiraram-nos o interesse pela Política, vez que os deputados e senadores daquela época não nos brindavam com esses deliciosos escândalos que fazem a alegria da gente hoje.

Inventaram um tal de FGTS, PIS e PASEP, só para criar atritos entre empregados e patrões. Para piorar a coisa, ainda criaram o MOBRAL, que ensinou milhões a ler e escrever, aumentando mais ainda o poder desses empregados contra os seus patrões. Nem o homem do campo escapou, porque criaram para ele o FUNRURAL, tirando do pobre coitado a doce preocupação que ele tinha com o seu futuro. Era tão bom imaginar-se velhinho, pedindo esmolas para sobreviver.

Outras desgraças criadas pelos militares:

Trouxeram a TV a cores para as nossas casas, pelas mãos e burrice de um Oficial do Exército, formado pelo Instituto Militar de Engenharia, que inventou o sistema PAL-M.

Criaram a EMBRATEL; TELEBRÁS; INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM.

Depois que entregaram a administração desses órgãos aos civis. Tem muito mais coisas horrorosas que eles, os militares, criaram, mas o que está escrito acima é o bastante para dizermos:

"Militar no poder, nunca mais!!!", exceto os domesticados.

Millôr Fernandes


Faltou



citar que na época dos militares não existia: "bolsas vagabundos", cotas para incompetentes, etc.Faltou citar ainda por exemplo:



- O "Projeto Rondon" que capacitou tantos universitários e ajudou milhares de pessoas carentes.



- A "MBR - Minerações Brasileiras Reunidas", que colocou o Brasil em primeiro lugar nas exportações de minério de ferro, alavancando as indústrias do aço como a Manesmam, Cia. Siderúrgica Nacional e a Açominas, tornando-as grandes exportadoras de chapas de aço industrializado.



FALTOU CITAR AINDA:



......TODOS OS PORTOS DO BRASIL FORAM MODERNIZADOS.



......A SIDERURGIA CRESCEU COMO NUNCA.



......A MINERAÇÃO DOBROU A CAPACIDADE.



......PODIA-SE ANDAR PELAS RUAS DE MADRUGADA.



......E O METRÔ DE SÃO PAULO.....





É... esses militares eram mesmo incompetentes. Tão incompetentes, que nenhum deles conseguiu ficar rico. Em 22 anos, nenhum deles tem 1/10 da fortuna amealhada em 6 anos por qualquer um dos compadres do Lula ou de qualquer outro mensaleiro de seu governo. Nenhum deles possui um patrimônio parecido com o do Grenhalgh ou o do José Dirceu por exemplo. Que pena que a grande maioria dos eleitores de hoje não tiveram a oportunidade de conhecer a incompetência dos militares.
Postado no QAP

LEIA MAIS

Bancários em Belo Horizonte e região mantêm adesão à greve nacional da categoria

Bancários em Belo Horizonte e região mantêm adesão à greve nacional da categoria 

O primeiro dia da greve nacional dos bancários em Belo Horizonte teve adesão de 50% das agências dos Bancos do Brasil e da Caixa Econômica, além de 20 agências de bancos privados. O balanço é do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região. De acordo com a entidade, uma nova assembleia da categoria será realizada nesta quinta-feira (30) para definir se o movimento grevista será mantido.
Nesta quarta-feira muitos belo-horizontinos foram surpreendidos com as agências bancárias fechadas.    A decisão de entrar em greve foi decidida nessa terça-feira após os bancários recusarem a proposta de reajuste de 4,29 % feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). O valor corresponde à inflação dos últimos 12 meses medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A categoria reivindica 11% de reajuste salarial.
Por volta das 12h, os bancários de Belo Horizonte se reuniram em assembleia em frente a uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF) na rua Carijós, no centro da cidade. Na oportunidade eles decidiram manter a paralisação por tempo indeterminado. De acordo com o sindicato da categoria, a assembleia desta quinta-feira será realizada em frente à agência da CEF na rua Tupinambás, no centro da capital.
Além do reajuste salarial, os bancários exigem piso salarial que varia de R$ 1.510 para portaria a R$ 4.855 para primeiro gerente, além de melhoria na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e melhores condições de trabalho.
Contas em dia
Apesar da greve, os consumidores precisam pagar as contas até o vencimento. Enquanto as agências estiverem fechadas, as opções são procurar o auto-atendimento nos caixas eletrônicos, os serviços oferecidos pela internet ou as casas lotéricas.
Fonte: O Tempo

LEIA MAIS

Espanha desarticula mais uma rede de prostituição de brasileiros

Espanha desarticula mais uma rede de prostituição de brasileiros

Quadrilha em Gerona atraía vítimas por meio de redes sociais, diz polícia.
Foram presos 22 acusados de exploração e 18 supostas prostitutas.

Do G1, com agências internacionais
A polícia da Espanha anunciou nesta quinta-feira (30) que desbaratou na semana passada na província de Gerona uma rede de prostituição que tinha integrantes brasileiros.
Foram presas 22 pessoas, suspeitas de favorecer a imigração ilegal, cometer crimes de prostituição, formar quadrilha e atentar contra os direitos dos trabalhadores. Também foram detidas 18 prostitutas que não tinham permissão para morar e trabalhar na Espanha. Foi aberto um processo administrativo para a deportação delas.
As vítimas eram atraídas por e-mail e por redes sociais, segundo as autoridades. Mais de 100 homens e mulheres teriam sido atraídos pela quadrilha. Eles chegavam à Europa via Paris e depois eram levados de carro para a Espanha.
As prisões ocorreram nas cidades de Fontcoberta, Mont-Ras, Medinyà e Gerona.
Foto divulgada pela polícia da Espanha mostra mulheres que eram exploradas pela quadrilha. 
Foto divulgada pela polícia da Espanha mostra mulheres que eram exploradas pela quadrilha. (Foto: Policia Nacional de España)
Os depoimentos de seis pessoas que tinham sido vítimas da organização deram início às investigações, em abril de 2009, nas cidades de Gerona e Barcelona.
Após um ano e meio de investigações em colaboração com as autoridades brasileiras, a polícia conseguiu desarticular a rede, que explorava sexualmente tanto mulheres como homens e transexuais.
As vítimas contraíam dívida com os membros da organização que oscilava entre 2,5 mil e 9 mil euros. Elas tinham de pagar com a venda do próprio corpo.
A dívida ia aumentado de forma arbitrária com conceitos como o pagamento de multas por infringir normas de comportamento ou pagamento pelo uso da eletricidade, telefone ou televisão.
A quantia recebida pelo primeiro serviço era sempre para o prostíbulo, a segunda para pagar parte da dívida contraída com a rede e a partir do terceiro serviço o clube ficava com um terço do dinheiro. O resto ficava com a vítima, que o usava para saldar o resto da dívida com os exploradores.
Durante a operação, a polícia investigou sete domicílios, nos quais foram encontrados 74.203 euros em dinheiro, 400 gramas de maconha e duas balanças de precisão.

LEIA MAIS

O ESTADO DEVERIA DEFENDER OS SEUS PROFISSIONAIS

O ESTADO DEVERIA DEFENDER OS SEUS PROFISSIONAIS
Por quê as defensorias dos batalhões só tem a missão de defender o estado e não o profissional de segurança que é o agente mantenedor do órgão público?


É comum e inerente a qualquer profissional da segurança pública responder sindicâncias, IPM, ser inquirido ou até mesmo investigado principalmente quando algum cidadão comum vai reclamar no quartel, seja por ato supostamente abusivo do militar, seja pela mágoa ou rancor de ter sido multado, ou ter visto o seu veículo ser apreendido por esse determinado militar.
Como se não bastasse, as escalas extras, a falta de efetivo em algumas cidades e o excesso de procedimento para os encarregados de apuração, vemos na maioria dos casos o cidadão infrigir a lei, portanto desrespeitar o estado, este, por sentir revolta, desconta sua ira que acaba sendo personificada na figura do agente que lhe abordou ou lhe deu voz de prisão.
Daí surge um enorme absurdo jurídico, que ainda não foi dissipado, pois quando o cidadão contraria a lei é multado, preso, etc. E porquê quando este mesmo cidadão vai no quartel fazer a reclamação, após ter sido comprovada a inocência e legitimidade da ação do militar, o estado, ou seja quem ficou encarregado do procedimento não processa automáticamente o cidadão que fez a denúncia infundada? Por  quê as defensorias dos batalhões só tem a missão de defender o estado e não o profissional de segurança que é o agente mantenedor do órgão público?
Até nas situações mais banais, como por exemplo o acidente de uma viatura, a perícia é acionada, as providências tomadas, e dependendo da situação o policial ainda tem que pagar o danos causados no outro veículo e na própria viatura.
Fala-se muito em direitos humanos, suavizar as relações dentro dos quartéis, mas como isso pode acontecer se o ser humano está abaixo do bem material, na prática? Se realmente o bem maior da instituição for o seu profissional, este tem que ter direito a defesa, pois agiu sob as doutrinas daquela instituição.
Se tívermos também um sistema que puna aqueles que fazem denúncias vazias ou infundadas contra os profissionais de segurança, com certeza estaremos mudando a cultura e respondendo a altura àqueles que desrespeitam as leis, a instituição, as pessoas e o país por conseguinte.
Fica a nossa sugestão para os candidatos a deputados federais e estaduais que ser forem eleitos dia 03 de outubro, possam fazer algum projeto nesse sentido.

                                                                    CABO ANASTÁCIO

NOQAP 
Postado no ASSTBM

LEIA MAIS

RN- LEI DA ANISTIA PARA POLICIAIS MILITARES COMEÇA A SER CUMPRIDA NO RN

RN- LEI DA ANISTIA PARA POLICIAIS MILITARES COMEÇA A SER CUMPRIDA NO RN
O soldado J. Lima foi excluído da corporação por participação no movimento reivindicatório de 2007. O movimento levou à exclusão de diversos policiais militares e a prisão de outras centenas, a exemplo do Sargento Aurivan


A categoria policial militar ganha mais uma batalha na luta pelo cumprimento da Lei da Anistia. A reintegração do soldado Jackson de Lima e Silva (Sd J. Lima) foi publicada no Boletim Geral nº 180, de 27 de setembro de 2010.

O soldado J. Lima foi excluído da corporação por participação no movimento reivindicatório de 2007. O movimento levou à exclusão de diversos policiais militares e a prisão de outras centenas, a exemplo do Sargento Aurivan (Mossoró), Sd J. Lima e Cb Jeoás.

O Projeto da Lei de Anistia foi de autoria do senador Garibaldi Alves Filho (PMDB/RN) e teve uma participação importante da deputada federal Fátima Bezerra (PT/RN) na aprovação na Câmara dos Deputados, em Brasília. Os efeitos da Lei da Anistia aos policiais e bombeiros, militares do RN que participaram de movimentos reivindicatórios, de 2007 até janeiro de 2010, foram assegurados através de uma decisão judicial no processo nº 001.10.401129-8, em medida liminar.

“Essa foi uma vitória da luta pela dignidade policial e bombeiro militar. Mais um degrau da construção da cidadania dentro dos quartéis. O policial que tinha seus salários pagos pela ACS desde sua exclusão, a partir de agora volta a receber seus vencimentos do Governo do Estado. Parabenizamos todos que participaram desta luta e, em especial, ao companheiro J. Lima que superou todos esses momentos de dificuldades com a cabeça erguida e sempre combatendo as injustiças e arbitrariedades", afirma o Cabo Jeoás, presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PM/RN.

Alguns policiais a exemplo do Sd J. Lima continuaram a receber seus salários com a ajuda da Associação de Cabos e Soldados, já que sua exclusão se deu em um movimento em prol da categoria policial militar. Como o policial foi reintegrado não mais será preciso ser pago pela associação seus vencimentos, pois o Estado deverá pagar os devidos salários com efeito retroativo.



 Postado no ASSTBM

FONTE: ACS, com algumas alterações

Blog Sd Glaucia

LEIA MAIS

Policiais civis protestam em SP para pressionar governo a aprovar reestruturação

Policiais civis protestam em SP para pressionar governo a aprovar reestruturação
Eles exibiram painéis com o ranking nacional dos salários pagos nos demais estados brasileiros.

Cerca de cem policiais participaram na tarde desta quarta-feira de um protesto no centro de São Paulo que tinha como objetivo pressionar o governo a aprovar o projeto de reestruturação da Polícia Civil.
O evento, organizado pela Associação dos Delegados de Polícia de SP, começou na praça da Sé e terminou em frente ao prédio da Secretaria da Segurança Pública.
A quatro dias das eleições, os delegados descartaram o caráter partidário do protesto. "É uma manifestação política institucional. Queremos mostrar para a sociedade quais são as dificuldades que nós delegados passamos", afirmou a presidente da associação, Marilda Pansonato Pinheiro.
Entre os pedidos dos delegados estão reajuste salarial, extinção de algumas carreiras da Polícia Civil e que seja implantada a inamovibilidade do profissional. Ou seja, que os policiais não sejam transferidos por decisões unilaterais.
"Os promotores e os magistrados já tem esse benefício. Eles têm autonomia para atuar. No nosso caso, não temos. Podemos ser transferido por uma questão política", disse o delegado Geraldo Caputo, um dos que participou do protesto.
Para tentar atrair a atenção da população, os policiais contrataram ao menos 15 pessoas para distribuir folhetos, segurar placas de protesto e fazer uma apresentação teatral.
Quatro atores vestidos de palhaços fizeram a encenação de um programa de TV em que três entrevistadores questionavam um político, chamado Pinóquio, sobre questões relacionadas à segurança pública. Ao final de cada promessa, os manifestantes vaiavam, apitavam ou chamavam o palhaço de mentiroso.
A reportagem constatou que ao menos dois delegados que participavam da manifestação estava armados. Entretanto, o protesto foi pacífico, sem confrontos.
Outro lado
Procurada, a Secretaria da Segurança Pública disse que o projeto de reestruturação da Polícia Civil está tramitando no governo. O órgão não estipulou um prazo para que eventuais mudanças sejam aplicadas.
Sobre reajuste salarial, a secretaria informou que não há nenhuma discussão neste momento, já que os projetos de segurança pública visam atender todas as carreiras policiais, não apenas a de delegados.

ParaibaemQAP e ASSTBM

LEIA MAIS

Polícia procura autor de disparo que matou criança em escola de São Paulo

Polícia procura autor de disparo que matou criança em escola de São Paulo

Miguel dos Santos, de 9 anos levou um tiro na barriga dentro da sala de aula em Embu das Artes. A polícia vai fazer nova perícia na escola.



Uma tragédia, um mistério. A polícia de São Paulo tenta descobrir como um menino de apenas 9 anos morreu dentro da sala de aula em que estudava. Miguel dos Santos levou um tiro na barriga.
Tinha bastante gente na escola, mas ninguém viu quem atirou. A polícia vai fazer uma perícia no local.
Funcionários e diretores de uma escola e alguns alunos acompanhados pelos pais foram chamados à delegacia de Embu das Artes, na Grande São Paulo, para prestar depoimento.
A polícia quer descobrir quem atirou contra o menino Miguel Cestari Ricci dos Santos, de 9 anos, dentro de uma sala de aula, em uma escola particular da cidade.
O disparo foi à queima-roupa e acertou o abdome da criança, do lado esquerdo. Miguel foi socorrido pelos próprios funcionários da escola e levado até um hospital em Taboão da Serra. Ele chegou em estado de choque.
“No início da cirurgia houve uma parada cardiorrespiratória. Foi tentado reanimá-lo por uma hora, ele não respondeu à ressuscitação”, diz o diretor clínico do hospital, Marcos David.
Durante todo o dia, investigadores visitaram alunos em casa, para ouvir depoimentos. Até o fim da noite nenhum suspeito tinha sido localizado.
Também foram feitas buscas na escola, atrás da arma. Mas ela não foi encontrada.
Nesta quinta-feira (30), a escola deve passar por nova perícia. O motivo é que existe a suspeita de que o local do crime teria sido alterado antes da chegada da polícia.
“Nós não temos suspeitas, nem a polícia as tem. Não temos ainda a certeza de que foi tiro. Vamos averiguar isso e nós não fugiremos à nossa responsabilidade se e quando ela existir”, diz o advogado da escola Lélio Lélis.
Parentes e amigos de Miguel não conseguem entender como a tragédia aconteceu dentro da escola.
“A professora não soube explicar. Ninguém soube explicar. Era inteligente só tirava dez na escola. Ia à igreja, tocava violino. Então não tem palavras para dizer dele”, lamenta a madrinha de Miguel, Danielle Cestari.
No início da manhã, apenas funcionários estavam na escola em Embu das Artes. As aulas foram suspensas.
A direção da escola divulgou uma nota, dizendo que vai dar todo o apoio à família do menino e que espera que os fatos sejam esclarecidos o mais rápido possível.
Por enquanto, a família ainda não divulgou informações sobre o enterro de Miguel.

LEIA MAIS

UPP do Turano será inaugurada nesta quinta, dia 30

UPP do Turano será inaugurada nesta quinta, dia 30



Raphael Lima


Será inaugurada, nesta quinta-feira, a Unidade de Polícia Pacificadora do Morro do Turano, na Tijuca, que ficou marcada como a de maior dificuldade de ocupação para a Polícia Militar. Em agosto, dois bandidos morreram e um ficou ferido num confronto com policiais militares. No comando da nova unidade estará o capitão Almir Beltran. Aos 32 anos, o policial é estudante de Direito, casado e tem um filho de 6 meses. Desde os 23 anos na PM, ele acredita que essa será a principal experiência de sua carreira:
— É, sem dúvida, meu maior desafio, o que terá mais visibilidade.
O capitão Almir Beltran participou da ocupação:
— Foi a mais complicada, mas já conversamos com moradores e o trabalho será um sucesso.
Durante a reunião realizada na última segunda-feira, com cerca de cem moradores, o comandante Beltran se inteirou dos principais problemas da comunidade.
— Eles pedem um posto de saúde e o fim de abordagens constrangedoras. E reclamam da falta de água e da irregularidade na coleta de lixo — explica Beltran, que diz já ter entrado em contato com alguns setores responsáveis.
Beltran é instrutor de uso de armas não-letais e, para garantir maior proximidade com os moradores, exigiu a presença de mulheres entre os 185 policiais que ocuparão o morro.
— Elas têm mais jeito com a população.
A UPP do Turano será a 12ª na cidade. Até o fim deste ano, mais três entrarão em funcionamento, no de São Carlos, na Mangueira e no Morro dos Macacos.

LEIA MAIS

Novo comandante do BEP quer implantar regime militar no presídio

Novo comandante do BEP quer implantar regime militar no presídio

Tomou posse na manhã desta terça-feira o novo comandante do Batalhão Especial Prisional (BEP), tenente-coronel Wolney Dias. A troca de comando do BEP é consequência da fuga dos ex-PMs Wellington Vaz de Oliveira e José Carlos da Silva, no último dia 9.
O oficial pretende implantar um regime militar no presídio, a fim de aproximar o preso de suas atribuições anteriores."Como todo corporação militar, a PM segue os rituais de alvorada, formação em pátio, marcha e execução dos hinos Nacional e da instituição. Os presos ainda terão aulas de comportamento moral e cívico. Além disso, pretendo dividi-los por perfil de personalidade e implantar a Divisão de Regimes e Estágios. Trabalhando, eles se sentirão mais úteis e terão a pena reduzida de acordo com a LEP (Lei de Execuções Penais, que prevê um dia de pena reduzida a cada três dias trabalhados)", explicou Wolney. 
Blog da Segurança

LEIA MAIS

Estado Maior da PM diz que as policiais estão liberadas para usar biquíni

De biquíni pode!

Estado Maior da PM diz que as policiais estão liberadas para usar o traje no Carnaval. Mas, para evitar punição, precisam ser discretas

POR RICARDO ALBUQUERQUE
Rio - A Polícia Militar se rendeu à beleza de suas musas. O chefe do Estado-Maior Administrativo da PM, coronel Carlos Eduardo Milagres Pereira, informou, ontem, que as oficiais podem requebrar no Carnaval, mas avisou: “Existem biquínis e biquínis! Não pode vestir nada vulgar! É preciso bom senso para não prejudicar a imagem da instituição ou a das militares”.
Foto: Fernando Souza / Agência O Dia
Juliana vai experimentar hoje a saia de pedras que irá cobrir o biquíni | Foto: Fernando Souza / Agência O Dia
Candidata à Rainha do Carnaval, a capitão Juliana da Rocha Pereira, 27 anos, vai experimentar hoje a saia de pedras que irá cobrir o biquíni, na próxima quinta-feira, quando subir ao palco junto com outras 21 candidatas. “Acho que é possível ser sensual sem ser vulgar, afinal faço questão de zelar pela minha carreira”, explicou. A capitão, a inspetora de Polícia Civil Isabela Picanço, a professora Bianca Salgueiro e Jéssica Maia, capa da Playboy, são apontadas como favoritas ao título.

Tenente na Mangueira

Já a tenente Júlia Liers, 25, que desistiu da competição pela Riotur por causa do biquíni, se inscreveu no Super Musa da Mangueira, apesar de o regulamento também prever o uso da peça. “Serei discreta sem perder o charme. Fui pioneira ao ser rainha de bateria, por isso sei como me comportar”, garantiu ela, que encomendou fantasia em verde e rosa recheada de cristais Swarovski.
LEIA no O Dia Online

LEIA MAIS

Municípios podem enviar a Brasília projetos para prevenir violência

Municípios podem enviar a Brasília projetos para prevenir violência

Até o dia 10 de outubro, o Ministério da Justiça recebe os projetos dos municípios para captação de recursos nas ações de prevenção em Segurança Pública voltadas para enfrentar a violência, a criminalidade e a discriminação etária e de credo, raça, gênero
e orientação sexual. Os convênios celebrados receberão verba do Fundo Nacional de Segurança Pública. Cada proposta deve solicitar repasse superior a R$ 100 mil, sendo 17% do valor para capacitação, 55% para ações de prevenção e 28% para a compra de material permanente.
Não serão aceitas propostas para aquisição de equipamentos de vídeo monitoramento ou vídeo vigilância, já que tais projetos estão vinculados à área de armamentos letais.
Mas não podem participar os municípios que já tenham firmado convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em 2008 e no ano passado, e nem estar com outro projeto em aberto.
Segundo o Ministério da Justiça, das 92 cidades do estado do Rio, apenas nove estão nessa situação: Barra Mansa, Campos, Nova Iguaçu, Mangaratiba, Petrópolis, Teresópolis, Mesquita, Duque de Caxias e a capital. Mas os que aderiram ao Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) podem enviar seus projetos ao contrário do que foi informado no site do Ministério da Justiça.
As propostas deverão ser incluídas no Portal de Convênios do Governo Federal (SICONV). O município deve comprovar que mantém guarda municipal, ou realiza ações de prevenção à violência ou ações de policiamento comunitário, ou que tem implantado um Conselho Comunitário de Segurança Pública. 
Blog da Segurança

LEIA MAIS

PM apreende drogas e uma carta ensinando como refinar no RJ

PM apreende drogas e uma carta ensinando como refinar no RJ

Um menor de 17 anos foi detido na operação, realizada em Cabo Frio.
Foram encontrados ainda materiais para a confecção de bombas caseiras.

Do Bom Dia Rio
A Polícia Militar fez uma grande apreensão de drogas no bairro Boca do Mato, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Além dos entorpecentes, também foi encontrada uma carta ensinando como refinar a droga para comercialização. Um menor foi detido. A operação foi realizada na noite de quarta-feira (29).
Policiais militares encontraram o material na casa do menor detido, de 17 anos. Foram apreendidas 90 cápsulas de cocaína, 32 trouxinhas de maconha, 26 pedras de crack.
Foram encontrados ainda diversos materiais para a confecção de bombas caseiras. A PM também apreendeu dois revólveres, munições, armas de brinquedo e toucas ninja.
O que também chamou a atenção da polícia foi uma coleção de armas em miniatura, e recortes de jornal com fotos de armamento pesado.

LEIA MAIS

Publicidade Google

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO