domingo, 29 de janeiro de 2012

As desigualdades sociais como fator maximizador da criminalidade




 Por Claudio Cassimiro Dias - Criminólogo

Vivemos em uma sociedade onde a concentração de renda está mal distribuída e grande quantidade de capital concentra-se nas mãos de um pequeno grupo da elite, enquanto a maior parte da população vive na pobreza e abaixo da linha da pobreza. 

É sabido que a pobreza por si só não é fator de criminalidade, como afirmam os estudiosos do assunto, sociólogos, assistentes sociais, criminólogos, antropólogos, etc. No entanto, onde há muita disparidade perde-se também, o equilíbrio natural. 

De um lado mansões e castelos, do outro, barracos de madeira e biombos de lata. De um lado comidas com nomes desconhecidos pela grande maioria, carrões de luxo, roupas de “griffe”, festas suntuosas e conchavos políticos de alto nível e emaranhados de benefícios. Do outro lado, marmitas vazias e de pouca variedade, transporte coletivo de péssima qualidade, oportunidades parcas de subempregos, escassez de oportunidades de caráter geral, falta de acesso ao sistema de saúde, dentre outras polaridades majoradas a cada instante. 

Não podemos esperar dessa dicotomia uma sociedade que viva em harmonia. Isso é um ponto que deve ser levado em consideração em todos os debates e ações políticas governamentais e não governamentais. 

Fica aqui um ponto para reflexão. 


CLÁUDIO CASSIMIRO DIAS, CABO PM, CRIMINÓLOGO, BACHAREL EM DIREITO E HISTÓRIA, PESQUISADOR DA HISTÓRIA MILITAR E PALESTRANTE, ACADÊMICO DA ACADEMIA DE LETRAS JOÃO GUIMARAES ROSA DA PMMG.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO