Publicidade Google

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Coronel da PMDF é acusado de estar bêbado e tentar beijar duas mulheres à força no DF


Uma das vítimas também é policial militar. Ele teria tentando intimidá-las com arma

Reprodução/TV Record Brasília
Coronel disse que ainda não foi notificado oficialmente pela Corregedoria da PM e que só ira se pronunciar sobre o assunto quando isso acontecer

O comandante do BPTrans (Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do DF), tenente-coronel Francisco Eronildo Feitosa Rodrigues, é acusado de tentar beijar e abraçar duas mulheres à força em Vicente Pires, região administrativa do DF. Ele estaria bêbado e teria mostrado a arma para intimidar as vítimas.

Tudo teria acontecido na madrugada deste domingo (26) dentro de um bar da cidade. A primeira vítima foi uma funcionária do comércio que na hora passava pano no chão e ajudava a fechar o local. Com medo de ser identificada, ela contou à reportagem da TV Record Brasília o que aconteceu.

— Ele chegou por trás, me agarrou, disse um monte de coisas, mordeu meu ombro e disse que queria ir pra cama comigo.

Ela contou que o coronel passou as mãos nas partes íntimas e disse que iria aguardá-la sair do trabalho.

— Passou as mãos nos meus seios, tocou em mim e falou que me esperava para fazer o que ele queria.

Neste momento, uma policial militar fardada — que voltava para casa — passou em frente ao estabelecimento e percebeu o desentendimento entre os dois. Ela decidiu entrar e investigar. Ela também teria sido abordada pelo coronel. As imagens do circuito interno de segurança do bar flagraram toda a ação do comandante do batalhão de trânsito.

Do lado de fora, a militar fala com o coronel e depois entrar no bar. Ele a segue e em seguida a policial tenta revistá-lo para ver estava armado. 

Neste instante, o coronel tenta beijar a policial militar. A discussão recomeça e os dois vão para fora do estabelecimento. Com um copo de bebida na mão, ele pega a funcionária pelo braço e tenta intimidá-la.

— Levantou a blusa e mostrou a arma para mim.

A TV Record Brasília teve acesso com exclusividade ao boletim de ocorrência registrado no dia 26 de agosto na Corregedoria da Polícia Militar.

A denúncia diz que o coronel é comandante do Batalhão de Trânsito da corporação e que no dia do conflito estaria bêbado. Além disso, o carro dele também estava batido. 

O boletim mostra ainda que a militar tentou impedi-lo de dirigir para evitar acidentes e que tentou desarmar o coronel, que teria sacado o revólver da cintura e o apontado para o alto.

Além disso, um dos militares da própria corregedoria teve que levar o carro do comandante para a casa dele. 

A funcionária do bar está revoltada com a situação e parece ainda não acreditar no que aconteceu.

— Me sinto mal, porque passo o dia inteiro trabalhando para isso acontecer. É um absurdo um policial militar chegar bêbado, tarde da noite e fazer o que fez.

O acusado disse que ainda não foi notificado oficialmente pela corregedoria e que só irá se pronunciar sobre o assunto quando isso acontecer.
Assista ao vídeo:


Por Gustavo Frasão, do R7, com a TV Record Brasília

LEIA MAIS

Três policiais e uma quarta vítima morrem em acidente na BR-262, em MG



Acidente ocorreu entre Nova Serrana e Bom Despacho, no Centro-Oeste.

Quinta vítima está em estado grave na UPA.


Por volta das 6h desta sexta-feira (31), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou um acidente grave na BR-262, sentido Nova Serrana e Bom Despacho, no Centro-Oeste do estado. Três policiais militares morreram e outra vítima foi encaminhada ao Pronto Socorro de Nova Serrana, a 65 km de Divinópolis, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ao todo, foram cinco vítimas no acidente, no km 465 e, segundo as primeiras informações da PRF, dois veículos se envolveram no acidente. A suspeita é que um deles entrou na pista contrária e bateu de frente com o veículo que seguia na mesma faixa.

O Corpo de Bombeiros de Nova Serrana informou que os três policiais militares moravam em Nova Serrana e estavam indo trabalhar em Bom Despacho. No outro veículo estavam duas pessoas que foram encaminhadas em estado gravíssimo à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA).

Uma das vítimas morreu a caminho do hospital e a outra permanece internada em estado grave.

Fonte: G1 Triângulo Mineiro

LEIA MAIS

Cabo Jeoás se encontra com a Governadora para falar do subsídio dos inativos e plano de carreira



 Na noite desta quinta-feira (30/08/2012), cabo Jeoás se encontrou com a Governadora Rosalba Ciarlini (DEM/RN). Na oportunidade reivindicou o pagamento dos inativos e ela reafirmou os esforços que o Governo tem feito para pagar os inativos, inclusive com os valores retroativos a julho.

Cabo Jeoás também informou sobre a insatisfação da categoria quanto ao Plano de Carreira e que teremos uma assembléia na manhã desta Sexta-feira (31).

A Governadora afirmou que pretende dar continuidade a política de valorização profissional e pedimos agilidade na apreciação do nosso Plano de Carreira, afinal a vitória só estará completa com a promoção dos soldados, que foram menos beneficiados com o subsídio.

Fonte: http://www.cabojeoas.com.br / ACS-PM/RN

LEIA MAIS

JUIZ DE FORA – PM apreende 12Kg de maconha e meio quilo de crack


JUIZ DE FORA – PM apreende 12Kg de maconha e meio quilo de crack
Foto: Divulgação PM
Durante patrulhamento, policiais militares da 70ª Companhia do 2º Batalhão apreenderam 12Kg de maconha e meio quilo de crack. Um homem e uma mulher foram presos.

A PM recebeu uma informação de que em uma casa havia uma grande quantidade de drogas. No local denunciado, após buscas foram encontrados um saco de linhagem aproximadamente 12 kg de maconha estando em barras de 1,5kg, meio quilo de crack, duas balanças de precisão e fita crepe.

Uma mulher foi detida e informou que apenas guardava os entorpecentes para outro homem. Este segundo envolvido foi localizado, por meio de rastreamento, e preso. Todos foram conduzidos para a 7ª Delegacia Regional de Polícia Civil e encaminhado ao Ceresp/JF.

LEIA MAIS

Novo MAPPA é discutido em São Lourenço


Foi realizado nessa terça-feira (28), no Auditório da UNIMED Circuito das Águas, na cidade de São Lourenço, o Seminário de Nivelamento do Manual de Processos e Procedimentos Administrativos das Instituições Militares de Minas Gerais – MAPPA.


O seminário teve como objetivo proporcionar a divulgação dos principais aspectos introduzidos na normatização processual disciplinar, além reforçar os princípios da ética profissional dos servidores que atuam na proteção e defesa do cidadão.

O evento foi presidido pelo Comandante da 17ª Região da Polícia Militar, Cel PM Wagner Mutti Tavares, e contou com a presença do Comandante da 14ª Cia PM Independente, Ten Cel PM Paulo Valério Júnior; de todos os oficiais e sargentos da Unidade. Os palestrantes foram o Chefe do Estado Maior da 17ª RPM, Maj PM Eyder de Souza Lambert; a Chefe da Seção de Recursos Humanos da 17ª RPM, Maj PM Cleyde da Conceição Cruz Fernandes; o Chefe da Seção de Recursos Humanos da 17ª Cia PM Ind MAT, 1º Ten PM Lucas William Costa e o Assessor Jurídico da 17ª RPM, Dr. Luiz Paulo Moreira.


No fim do evento, o Ten Cel Valério conferiu aos palestrantes, certificados como forma de agradecimento pelos ricos ensinamentos oferecidos aos militares da Unidade.




Assessoria de Comunicação Organizacional da 14ª Cia PM Independente

Fonte: http://www.pmmg.portalregional.mg.gov.br

LEIA MAIS

Militares participam de evento ambiental


A Polícia Militar de Meio Ambiente São Lourenço, participou da 3ª Semana Sulmineira do Meio Ambiente promovida pela OSCIP AMANHÁGUA de Baependi. A abertura do evento foi realizada no auditório do Espaço de Eventos EMIL, e além dos militares do policiamento ambiental, estiveram presentes autoridades locais, como a presidente da OSCIP AMANHÁGUA Srª Mônica Buono, a diretora do Parque Estadual da Serra do Papagaio Srª Clarice e professores da FASAMA do curso de Gestão Ambiental.


Os militares realizaram palestras com temas ambientais com a distribuição de panfletos educativos e fizeram a exposição de animais silvestres e materiais de caça e pesca provenientes de apreensões.


E para encerrar a semana os policiais juntamente com os presentes participaram de um plantio inaugural do projeto de participação ambiental, que foi realizado na Fazenda São José da Vargem em Baependi.


A participação dos militares no evento mostrou que o Policiamento Ambiental é estratégico na preservação ambiental e representa para a sociedade, uma proteção para a sua qualidade de vida atual e futura, harmonizando os interesses ambientais, sociais e de segurança.


Assessoria de Comunicação Organizacional da 17ª Cia PM Ind MAT
Paz no Trânsito, Natureza Viva.

LEIA MAIS

8º BPM intensifica combate ao tráfico de drogas


Na noite desta última quarta-feira (29), às 19:20, os policiais militares de Lavras receberam uma denúncia anônima informando que o autor, 41 anos, estaria traficando drogas continuadamente, ao entardecer e a noite, no centro de eventos "Expolavras", valendo-se de um veículo Fiat Uno para efetuar o transporte dos entorpecentes.


Diante da denúncia, rapidamente os militares estiveram no local, deparando com quatro indivíduos, os quais ao avistar a equipe policial, começaram a dispersar a droga, momento em que foram abordados e contidos.

Todos foram submetidos a uma busca pessoal, sendo que foi encontrado na posse do autor denunciado, três buchas de maconha e outras duas no chão próximo aos seus pés. O material foi apreendido juntamente com a quantia de R$ 275,00 em notas diversas.


Com o outro autor, 26 anos, foi encontrada uma folha de papel utilizada para consumo de droga e no chão, próximo de seus pés, os militares apreenderam uma bucha de maconha.

Com os demais envolvidos, 39 e 29 anos, nada foi localizado.

Ao averiguar os arredores do local da abordagem, os militares localizaram uma sacola com quatro tabletes e várias buchas de maconha, prontas para comércio. Outra sacola com várias buchas de maconha, foi achada em uma caixa de fiação elétrica, totalizando 43 buchas apreendidas no local, além dos 4 tabletes que fracionados renderiam aproximadamente 50 buchas.


Os quatro autores receberam voz de prisão em flagrante delito e foram conduzidos, juntamente com o material ilícito apreendido, até a Delegacia de Polícia de Campo Belo/MG para conclusão das providências policiais.

Apreensão de Drogas em Oliveira

Na mesma data, em Oliveira, por volta das 22h, a Polícia Militar recebeu ligações anônimas informando que um indivíduo estaria traficando drogas na Rua João Augusto da Silva, Bairro São Sebastião, que ele estaria escondendo as drogas em um padrão de energia elétrica de uma residência próxima de um bar.

Imediatamente, os militares foram ao local e depararam com o autor, 22 anos, próximo ao padrão, o qual ao avistar a viatura adentrou no bar. Ele foi abordado, porém, nada de ilícito foi encontrado em seu poder.

Ao verificarem o local denunciado, os militares encontraram dentro da tampa do padrão de energia elétrica, 25 pedras de crack embaladas e prontas para a venda.

O autor negou a autoria das drogas, porém é alvo recorrente de várias denúncias consoante ao envolvimento no tráfico de drogas.

Desta forma o autor foi preso em flagrante delito e conduzido a Delegacia de Polícia da cidade de Campo Belo/MG juntamente com a droga arrecadada.

Como vimos, tais ações repressoras ao tráfico de drogas evidenciam a importância da denúncia. Quem convive com o problema das drogas no seu bairro, na sua rua, ou até mesmo dentro da sua própria casa, sabe onde e como o tráfico acontece, sabe também os prejuízos daqueles que se envolvem e passam a cometer delitos.

Importante é que a sociedade se conscientize do caminho sem volta que é a droga, e denuncie toda e qualquer prática de tráfico.

Só quem convive com este mal, sabe onde, de que forma, e o momento ideal para um flagrante. Precisamos de sua colaboração. Lembrando que segurança é dever de todos e responsabilidade do Estado, é um dever seu caro cidadão, denunciar o tráfico de drogas, se quiser sua casa, sua rua e o seu bairro seguro.

É seu dever, caro cidadão, não ser omisso frente a qualquer espécie de delito que possa presenciar ou tomar conhecimento. A denúncia pode ser feita de forma segura e anônima, através do telefone disque denúncia, o 181 ou no emergência policial, no 190.

Esperamos pela sua ligação. Pois com a sua participação, podemos afirmar que a criminalidade estará com os dias contados.

Polícia Militar, ações qualificadas contra o tráfico de droga.

LEIA MAIS

Medalha da Ordem do Mérito Imperador Dom Pedro ll


Foi realizada na Academia de Bombeiros Militar, em Belo Horizonte, nesta quarta-feira (29), solenidade comemorativa dos 101 anos do Corpo de Bombeiros Militar, oportunidade em que foram homenageadas diversas autoridades civis e militares. O evento foi presidido pelo Governador Antônio Anastasia.

O Comandante da 18ª RPM, Cel Ivair, foi agraciado com a Medalha da Ordem Dom Pedro II.


A Medalha 
Trata-se da mais alta comenda conferida pela instituição e destina-se a galardoar militares e civis, brasileiros e estrangeiros, credores de reconhecimento por suas atividades profissionais e sociais e aqueles que por suas qualidades ou valores em relação à corporação foram julgados merecedores desta honraria, conforme Decreto nº 43.194/2003.

Os integrantes da 18ª RPM, sentem-se honrados pelo reconhecimento do Corpo de Bombeiros Militar ao Sr Cel PM Ivair.

LEIA MAIS

Golpistas utilizam o nome da PMMG - Divulguem


A 20ª Companhia Independente da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais com sede na Cidade de São Sebastião do Paraíso alerta a todos que receberem esta informação, de que, golpistas estão agindo na Região Sul e Sudeste de Minas Gerais utilizando o nome da Polícia Militar de Minas Gerais.

Os golpistas se apresentam como representantes de uma empresa a qual presta serviço a Polícia Militar e apresentaram documentos falsos com logomarca da Polícia Militar de Minas Gerais.

Eles solicitam valores em dinheiro para a distribuição de cartilhas a crianças do município. Um certificado seria dado a empresa participante. Eles se apresentavam em trajes civis e carros descaracterizados.

A Policia Militar não atribui a terceiros a solicitação de contribuições. Qualquer pessoa que comparecer a sua empresa solicitando dinheiro em nome da Polícia Militar de Minas Gerais poderá se tratar de um golpista.

Se você foi vitima desses aproveitadores entre em contato com a Policia Militar através do telefone 190.

Se alguém comparecer a sua empresa oferecendo produtos e serviços em nome da Policia Militar de Minas Gerais entre em contato imediatamente pelo telefone 190 para que possamos verificar as informações.

Os golpistas foram parcialmente identificados e encontram-se foragidos. Sabe-se que uma empresa de fachada com sede na cidade de São Paulo foi criada para subsidiar os golpes.


LEIA MAIS

Subtenente aposentado é executado no Rio de Janeiro


Agência Estado

Um subtenente aposentado da PM, identificado como Joberte Quirino de Melo, foi morto a tiros na noite dessa quinta-feira, por desconhecidos quando caminhava pela Rua Severino Ferreira da Costa, em Campo Grande, zona oeste da capital fluminense.

Segundo informações apuradas pela PM no local, os disparos foram feitos por ocupantes de um Honda Civic prata, de placas não anotadas. O policial morreu no local. Nenhum suspeito foi detido nem se sabe ainda o motivo do crime até o momento. A Divisão de Homicídios investigará o caso.

LEIA MAIS

Briga sobre pagamento de 10% teria ocasionado morte de policial em boate


De acordo com a delegada Vera Lúcia, da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), a discussão que culminou na morte do cabo da Polícia Militar, Helton Carlos de Jesus Cortez Prado, de 38 anos, teve início com a recusa da vítima de pagar os 10% na boate onde o crime ocorreu.


De acordo com a delegada, por volta das 7h desta quinta-feira (30/8), Helton foi pagar a conta da boate e começou a discutir com o dono da casa, por não aceitar pagar os 10% cobrados pelo serviço. Neste momento, Jamir Arthur Langkamer Júnior, de 36 anos, o abordou dizendo que era policial e os dois entraram em luta corporal.

Jamir sacou uma pistola .40 e disparou quatro tiros contra Helton, atingindo-o no peito, na clávicula, no ombro e na barriga. O policial chegou a chamar os bombeiros e a Polícia Militar, mas Helton não resistiu aos ferimentos.

Segundo a delegada, Jamir se apresentou a delegacia. A vítima estava com duas pistolas, mas não chegou a sacá-las durante a briga. A delegada acredita que ele não tenha dito que também era policial. As armas dos envolvidos foram apreendidas e encaminhadas à perícia.

Vera Lúcia disse ainda que está analisando o caso para definir se Jamir responderá por homicídio doloso ou culposo. 

A Polícia Militar informou que vai instaurar um inquérito policial para investigar o crime. A corregedoria da PM não se pronunciou sobre o assunto.

Com informações do Aqui-DF

Mais cedo, a Polícia Civil informou a briga teria iniciado porque Helton exibiu as duas armas que carregava na cintura para os presentes, assustando-os e causando confusão. A delegada Vera Lúcia desmentiu o fato.

LEIA MAIS

Justiça Federal no Pará aceita denúncia do MP contra o major Curió


O coronel da reserva é suspeito de sequestrar militantes

Em uma decisão inédita, a Justiça Federal no Pará aceitou denúncia do Ministério Público contra o coronel da reserva Sebastião Curió Rodrigues de Moura, o major Curió. Ele é acusado, assim como o major aposentado Lício Augusto Maciel, de ter sequestrado presos capturados na Guerrilha do Araguaia, na década de 1970. Os dois ex-militares serão os primeiros réus em um processo que apura crimes praticados durante a ditadura militar. Eles participaram da chamada Operação Marajoara, desencadeada na região para combater militantes comunistas.

A decisão foi tomada pela juíza da 2ª Vara Federal em Marabá, Nair Pimenta de Castro, que poderá analisar outros processos movidos pelo Ministério Público Federal. A Procuradoria da República no Estado afirma que a responsabilização penal de Curió e de Lício Maciel é uma obrigação do Brasil diante da sentença da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que determinou, em 2009, a punição dos repressores da Guerrilha do Araguaia. O MPF alega que não há afrontamento da Lei da Anistia nem de qualquer julgamento sobre o tema que tenha sido realizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Por Edson Luiz / Correio Braziliense

LEIA MAIS

Mal acabou, greve da PC no DF recomeça



SEGURANÇA PÚBLICA

Depois de voltarem, ontem, ao trabalho, policiais civis retomam a paralisação de sete dias a partir das 8h de hoje. Sinpol não reconhece decisão do TJDFT segundo a qual pelo menos 80% do efetivo devem estar em atividade

ROBERTA ABREU

O fim da greve da Polícia Civil durou apenas um dia. Ontem, a categoria decidiu, em assembleia, dar continuidade ao movimento, iniciado na última semana. Ao mesmo tempo que retomam a paralisação, a Justiça toma medidas para que a população não seja prejudicada. Decisão do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) determina a volta ao trabalho de pelo menos 80% da categoria, além de garantir que a população e servidores não sejam impedidos de entrar nas unidades policiais e que o sindicato e os funcionários não promovam manifestações ou atos que fechem vias públicas ou causem transtorno à livre circulação de veículos. Em cada ordem descumprida, será aplicada uma multa no valor de R$ 100 mil.

O presidente do Sindicado dos Policiais Civis (Sinpol/DF), Ciro de Freitas, questiona a validade do documento. “Essa decisão é referente à primeira paralisação, que foi encerrada hoje (ontem). Não está expressa. Vamos entrar com recurso em relação a isso. Vamos recorrer também da medida, que veda o direito à manifestação. Não podemos nos manifestar? É um direito constitucional”, alega Freitas. O procurador do DF Djacyr Arruda Filho explica que a decisão vale para qualquer movimento grevista. “Atinge de imediato a nova paralisação e não apenas os primeiros sete dias”, afirmou. “É importante que a população saiba para ajudar a fiscalizar o comportamento dos policiais. É quase impossível o Judiciário saber se todas as delegacias estão funcionando”, completa.

Por meio da Procuradoria Geral, o DF alega que a deflagração da greve, iniciada na quinta-feira da semana passada, viola a norma do artigo 13 da Lei nº 7.783/89, que estabelece, em caso de serviço considerado essencial à coletividade, a decisão de paralisar as atividades deve ser feita com 72 horas de antecedência, o que não ocorreu. O DF diz ainda que “a própria Corte Constitucional destacou que os cargos de policiais civis, embora servidores públicos, têm natureza peculiar em razão da essencialidade do serviço prestado à população, e inexistindo direito a greve”. O documento alega que não é prudente que integrantes de corporação armada se envolvam em manifestações públicas que impliquem em confronto com outros agentes públicos para emergencialmente manter a ordem.

Ontem, cerca de 1,2 mil policiais participaram da assembleia, no Parque da Cidade, que determinou, por unanimidade, uma nova paralisação de sete dias, a partir das 8h de hoje. Entre as reivindicações da categoria estão o reajuste salarial e o aumento do efetivo. “Os pleitos são os mesmos de 2010. Estamos com os salários congelados, a última melhoria veio em 2006. O aumento do efetivo ainda é mais importante. O governo cobra dos policiais o combate ao crime e a redução da criminalidade, no entanto, o contingente não é suficiente para dar essa resposta”, reclama Ciro de Freitas. Segundo ele, são 5,1 mil agentes, divididos em todos os cargos. Na próxima quarta-feira, às 15h, os policiais civis se reúnem em nova assembleia para definir os rumos do movimento.

Negociações

O presidente do Sinpol reclama da falta de comunicação com o Governo do Distrito Federal. “O GDF falou em encaminhamento, mas nada de concreto. Não nos procuraram para mostrar que encaminharam as propostas para o governo federal nem propostas em definitivo que nos façam suspender a greve”, analisa. O secretário de Administração Pública, Wilmar Lacerda, considera a paralisação “sem sentido”. “Estamos em pleno processo de negociação. O diálogo permanece, tivemos vários avanços. Não é uma coisa que não tem resultado”, diz o secretário.

Wilmar Lacerda afirma que o governo local vai tomar medidas em relação ao movimento. “Orientamos a direção da Polícia Civil a controlar a frequência dos policiais com vista aos dias parados. Não há retaliação ao movimento, mas o Estado não pode arcar com uma despesa de pessoal que não repõe o serviço”, avalia. Em relação às negociações, Wilmar diz que está tudo “bem encaminhado” com o governo federal. “O GDF está acompanhando as negociações com as categorias em nível nacional. Assim que for concluído, vamos dar posição para a questão salarial aqui no DF”, completa.

O secretário adianta que não há recursos suficientes para atender o conjunto de reivindicações da categoria. “O orçamento da União é diferente do nosso. Só podemos dar reajuste salarial se o recurso do Fundo Constitucional comportar”, explicou. “Teremos que rever o orçamento todo para o ano que vem. Pode ser que, em caso de reajuste, não haja orçamento para a contratação de efetivo.”

1.200

Número aproximado de policiais que participaram da assembleia, ontem, no Parque da Cidade

LEIA MAIS

Militar brasileiro morre após saltar de paraquedas



DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS - Um major do Exército brasileiro morreu na última terça-feira (28) na região de Ica, no sul do Peru, ao realizar um salto de paraquedas durante um exercício de treinamento.

Segundo as Forças Armadas peruanas, o major Genaro Machado Bekenkamp estava no Peru em uma missão de estudos e morreu às 11h40 locais (13h40 de Brasília).

O Exército peruano não deu detalhes sobre o acidente e lamentou o ocorrido.

Em nota, o Comando Militar do Sul disse que a morte aconteceu durante a realização de um salto semiautomático de paraquedas. Na ocasião, ocorreu pane total do equipamento.

O corpo do militar, que era do Rio Grande do Sul, deve chegar a Porto Alegre hoje.

LEIA MAIS

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Militares terão reajuste de 30% até 2015; Incra negocia aumento


BRASÍLIA, DF, 30 de agosto (Folhapress) - Os militares terão um reajuste maior do que o concedido para a grande maioria dos servidores públicos do Executivo civil, Legislativo, Judiciário e Ministério Público da União. 

A categoria, segundo a ministra Miriam Belchior (Planejamento), terá um aumento de 30%, diluídos nos próximos três anos. 

"O governo priorizou algumas áreas", disse a ministra, citando o reajuste dado a professores e técnicos-administrativos de universidades e institutos federais, além dos servidores do Incra. 
Para a maior parte das categorias, o reajuste oferecido foi de 15,8%, até 2015. Já no caso dos professores, o reajuste varia de 25% a 40%. 

Os técnicos-administrativos receberam os mesmo 15,8%, mas assinaram acordo que garante novos índices para evolução na carreira e incentivo à qualificação. 

Incra 
"Priorizamos o Incra porque a presidenta tem uma preocupação especial com a pobreza no campo. (...) Apesar de uma proposta diferenciada e muito boa, o Incra não aceitou [a oferta]", disse a ministra. 
De acordo com o diretor da Confederação Nacional das Associações dos Servidores do Incra (Cnasi), Reginaldo Aguiar, a proposta do governo resultaria em aumentos poucos significativos.

"A proposta não atende minimamente às nossas reivindicações. Com esse percentual e o escalonamento, muitos funcionários teriam um aumento de apenas R$ 200 a cada parcela", afirmou, acrescentando que 70% do órgão aderiu à mobilização, que conta com 30 superintendências pelo país. Ao todo, o Incra tem 5.500 servidores. 

Os servidores, que paralisaram suas atividades há mais de 70 dias, ainda tentam negociar até o fim do dia um aumento superior ao reajuste de 15,8%. 

Ao todo, o governo terá em 2013 uma despesa de R$ 10,2 bilhões com as reestruturações e aumentos no contracheque de carreiras do Legislativo, Judiciário, MPU e Executivo. Desse total, R$ 8,9 bilhões (87,2% do total) se referem aos servidores do Executivo.

Fonte: TNOnline / FolhaPress

LEIA MAIS

Agentes, escrivães e papiloscopistas da PF decidem manter a greve


Agência Brasil


Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal decidiram manter a greve após assembleia feita nest quinta-feira (30/8). De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Marcos Wink, a categoria vai fazer uma série de manifestações na próxima semana.

“Segunda-feira [dia 3] tem o hasteamento da bandeira na sede da Polícia Federal, também vai ter café da manhã. Durante a semana, terão outras manifestações. No Ministério da Justiça, neste momento está ocorrendo um ato”, disse Wink.

Segundo ele, as negociações com o governo estão paradas. “Somos diferente das outras categorias, não temos de terminar [a greve] dia 31. A nossa greve continua, pois o governo não está conseguindo evoluir nas negociações com a gente”.

Eles querem a reestruturação da carreira e a equiparação salarial com os delegados. Com isso, os salários que variam entre R$ 7 mil e R$ 11 mil podem chegar a R$ 13 mil.

LEIA MAIS

Orçamento Geral da União prevê 11,9% a mais para saúde e educação em 2013


Agência Brasil

Brasília – O projeto do Orçamento Geral da União para 2013 prevê 11,9% a mais para a saúde e educação. Segundo o texto que será enviado amanhã (31/08), ao Congresso Nacional, as despesas autorizadas para essas áreas subirão de R$ 104,997 bilhões em 2012 para R$ 117,424 bilhões no próximo ano.

Desse total, R$ 79,331 bilhões estão autorizados para a saúde, alta de 10,7% em relação ao montante destinado neste ano, e R$ 38,093 bilhões para a educação (alta de 14,4%). Os gastos do Programa Brasil sem Miséria, programa federal de combate à pobreza, contarão com R$ 29,929 bilhões, 16,3% a mais que em 2012.

De acordo com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o Orçamento do próximo ano ajudará o governo a garantir o crescimento da economia com desenvolvimento social. “O orçamento reflete as grandes prioridades do governo, que é promover as ações necessárias para o crescimento do país”, disse a ministra.

LEIA MAIS

Justiça determina que 80% dos policias civis em greve retornem ao trabalho


A desembargadora do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Carmelita Brasil, determinou nesta quinta-feira (30/8), que 80% dos policias civis em greve retornem ao trabalho.

O Tribunal determinou ainda que haja livre acesso da população e dos servidores nas delegacias. Os policias também estão proibidos de promover qualquer manifestação ou ato que feche vias públicas ou cause transtorno à livre circulação de veículos.

A multa para a violação de cada uma das ordens é de R$ 100 mil.

Na tarde desta quinta (30/8), os policias civis em greve decidiram manter a paralisação por mais sete dias e só autuar os flagrantes.

Por Roberta Abreu 

LEIA MAIS

Cardozo nega favorecimento a Valério em projeto


Agência Estado

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, negou nesta quinta que um projeto de lei de sua autoria, apresentado à Câmara quando era deputado federal, tenha sido feito sob medida para sanar problemas dos contratos do publicitário Marcos Valério com o Banco do Brasil. Marcos Valério é acusado pela Procuradoria Geral da República de ser o operador do mensalão.

"Não houve maquinação", disse o ministro. Datado de 2008, o projeto de Cardozo legalizava a retenção, pelas agências de publicidade, dos chamados "bônus de volume" nos contratos com as empresas estatais. A proposta original, no entanto, recebeu emenda e foi modificada pela Câmara. Com isso, legalizou retroativamente as retenções de bônus, o que beneficiou as agências de Marcos Valério, inclusive a SMP&B.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, afirmou que a lei resultante do projeto de Cardozo foi "intencionalmente maquinada" para ser usada nos autos da Ação Penal 470 - como é tecnicamente chamado o processo do mensalão - com o objetivo de beneficiar os réus.

"Embora a emenda aprovada pela Câmara não seja minha, dou meu testemunho de que a discussão referente aos bônus de volume em nenhum momento foi ditada por interesses políticos nem casuísticos para sanar problemas dos contratos discutidos na CPI dos Correios", disse Cardozo. "Tenho certeza que nada foi introduzido ao projeto por maquinação."

Segundo o ministro da Justiça, que integrou a CPI dos Correios, o assunto foi amplamente debatido com agências de publicidade e emissoras de TV à época. "Tudo foi fruto de reivindicação das agências de propaganda que tinham vários contratos em discussão no Tribunal de Contas da União (TCU). Elas não achavam correto que a regra em vigor para os contratos privados não valesse para as empresas públicas. Foi, portanto, uma reivindicação do mercado", insistiu Cardozo.

LEIA MAIS

Suspeitos de matar delegado do DHPP são liberados


Quatro pessoas foram ouvidas; delegado pode ter morrido em tentativa de assalto

Quatro pessoas suspeitas de participar da morte do delegado Euclides Batista de Souza, de 53 anos, foram encaminhadas ao DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) para prestarem esclarecimentos. Elas foram ouvidas e liberadas nesta quinta-feira (30).

Cerca de uma hora depois do crime, policiais militares da 4º Companhia do 39º Batalhão e policiais civis que atuavam na ocorrência prenderam um jovem, de 17 anos, no Hospital Julio Tupi, no Jardim Robru. Ele foi preso quando passava pelo médico, estava ferido na perna e teria envolvimento na morte do delegado. O jovem foi transferido para o Pronto Socorro do Hospital Ermelino Matarazzo e depois encaminhado ao DHPP para prestar esclarecimentos.

Euclides foi morto a tiros em frente de casa, por volta das 23h da última quarta-feira (29), na Vila Verde, zona leste da capital. Imagens de câmera de segurança da casa da vítima mostram quando Euclides chega de carro em sua casa e estaciona para abrir o portão.

Um veículo de cor escura passa pela vítima em direção ao final da rua e dois homens seguem em direção ao delegado. Euclides não sacou a arma em momento algum, mas chegou a empurrar um dos criminosos. Ele foi baleado nas costas e na cabeça e morreu quando era atendido no pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina de Itaquera.

A arma do policial, uma pistola calibre 45, e o computador onde estão armazenadas as imagens de segurança foram apreendidos para perícia.

Assista ao vídeo:

Fonte: R7 com Agência Record


LEIA MAIS

Sargento reformado foi assassinado com 23 tiros em São Bernardo do Campo



Homem de 53 anos estava reformado há um mês e foi executado dentro de bar


O sargento Polícia Militar reformado Valdinei Aparecido da Conceição, de 53 anos, foi morto com 23 tiros. O crime ocorreu por volta das 18h30 da quarta-feira (29), no interior de um bar localizado na altura do nº 120 da rua Aluísio de Azevedo, na Vila Ferrazópolis, região central de São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Reformado há cerca de um mês, ele estava ao lado do balcão tomando uma cerveja quando foi surpreendido por três ou quatro homens que chegaram no local em um veículo, possivelmente um Corsa, segundo testemunhas. Foram muitos tiros. Ainda encaminhado ao pronto-socorro central da cidade, o sargento não resistiu aos ferimentos e morreu.

A moto da vítima ficou no local e não foi levada pelos atiradores.

Delegado é morto na zona lesteO caso foi registrado no 1º Distrito Policial de São Bernardo do Campo pelo delegado Fabiano Fonseca. Caso necessite, o Setor de Homicídios de São Bernardo do Campo deve solicitar assessoramento do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), na região central da capital paulista.

Assista ao vídeo:

Fonte: R7

LEIA MAIS

30% de reajuste para Forças Armadas em três anos

FORÇAS ARMADAS TERÃO 30% DIVIDIDOS EM TRÊS ANOS

Imagem ilustrativa Google

REAJUSTE para as FORÇAS ARMADAS.

Segundo informações colhidas em Brasília e confirmadas por texto da reporter P.Oliveira do Correio Braziliense, o reajuste para os militares será realmente superior ao concedido aos civís, o mesmo será de 30%, dividido em três parcelas com início a partir de março de 2013. 
O Ministério do Planejamento divulga, daqui a pouco, a proposta de Orçamento de 2013 que será entregue ao Congresso. Dados aos quais a repórter PRISCILLA OLIVEIRA teve acesso mostram que o gasto adicional com os servidores que aceitaram o reajuste de 15,8% em três anos proposto pelo governo será de R$ 8,9 bilhões somente no ano que vem. Nessa conta, estão incluídos os professores de universidades e os funcionários do Legislativo.

Os servidores do Judiciário ficaram de fora do acordo. Até hoje pela manhã, não tinham aceitado os 15,8%, que, de qualquer forma, estão previstos no Projeto de Lei Orçamentária. Tudo indica que eles vão pressionar o Congresso por um aumento maior. Os servidores do Incra também recusaram a oferta do Palácio do Planalto. 

Fonte: http://reajuste.info / Revista Sociedade Militar / Blog no QAP

LEIA MAIS

Força Nacional chega no próximo dia 10



Os 133 homens enviados pelo Ministério da Justiça atuarão nas saídas do DF para o Entorno. Comando da PM e secretário justificam a ação

Pela primeira vez na história do Distrito Federal, a Força Nacional vai ajudar no combate à criminalidade. A chegada de 133 homens, enviados pelo Ministério da Justiça, está prevista para o próximo dia 10 e o grupo deve trabalhar por um período de três meses. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, os militares atuarão no controle de veículos em barreiras montadas nas 39 saídas do DF para o Entorno.
O anúncio do apoio da Força Nacional pegou muitos militares de surpresa, inclusive o comandante-geral da Polícia Militar do DF, coronel Suamy Santana. O chefe da corporação disse não ter sido consultado para discutir o aspecto operacional da atuação, mas destacou que a Força Nacional não provocará alteração no policiamento ostensivo, hoje feito com cerca de 15 mil homens. "É um apoio importante, mas é ínfimo dentro da realidade da segurança pública", disse.
Os militares trabalharão em escala de 12 horas de serviço por dois dias de folga. A média será de 20 homens em atividade por dia. Questionado se o reforço da Força Nacional provocou mal-estar dentro da PM, Suamy respondeu que "o mal-estar ocorreu não em razão da decisão de aceitar o reforço, mas da má interpretação em relação a isso". "Não haverá nenhuma intervenção no DF, mas uma cooperação. Todos que queiram contribuir são sempre bem-vindos", explicou o comandante. Suamy destacou também que 53 dos integrantes da Força Nacional são PMs cedidos do DF.
A força atuará nas regiões próximas às divisas do DF com o Entorno. O objetivo é prender traficantes e ladrões de carro, a fim de reduzir os índices de roubos com restrição de liberdade, chamados de sequestros relâmpagos. Nessa modalidade de crime, os bandidos rendem os motoristas e ficam com as vítimas para retardar a ação da polícia. Geralmente, os carros são roubados e levados para pontos de desmanche, nos quais recebem placa e documentação do veículo adulterado.
Entre 1º e 23 de agosto, a Secretaria de Segurança Pública calcula ter registrado 42 sequestros relâmpagos. A média é de quase dois casos por dia. Na semana passada, Débora Crivella, filha do ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, também foi vítima de roubo com restrição de liberdade (Veja memória). Na última terça-feira, uma mulher chegava em casa, na Quadra 711 da Asa Norte, quando três homens a abordaram, sendo um deles armado. Um dos criminosos assumiu a direção do carro e levou a vítima para o Setor de Chácaras do Incra 6, próximo a Brazlândia. A mulher foi abandonada e o grupo fugiu com o carro dela. A vítima pediu ajuda a um morador e a PM fez buscas na região, mas os criminosos não foram encontrados.
Afronta

A notícia de reforço incomodou integrantes da Associação dos Oficiais da Reserva Remunerada e Reformados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do DF (Assor). Para o presidente, o coronel reformado Manoel Bambrila, a medida é uma afronta ao trabalho ostensivo realizado pela polícia. "Se for para atuar nas rodovias federais em apoio à Polícia Rodoviária Federal, não vemos como medida de intervenção. Mas, se for para executar atividades típicas da PM, nos colocamos contra essa medida porque julgamos inoportuna, intempestiva e ofensiva à nossa dignidade profissional", declarou, em entrevista ao Correio.
O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, frisou que a chegada da Força Nacional não vai interferir na atuação da PM local e explicou que o trabalho das duas corporações é diferente. Ao ser questionado sobre um suposto constrangimento entre a secretaria e o Comando da Polícia Militar, Avelar negou que houvesse um desentendimento. "Os policiais militares continuarão fazendo o que eles têm feito. A corporação tem sido eficaz e brilhante. A Força Nacional veio com o objetivo de apoiar e nos ajudar a fazer a segurança daqui", reforçou o secretário.
A tropa ocupará áreas fora do perímetro urbano, como rodovias. O período de atuação poderá ser prorrogado. "A Força Nacional irá impedir a entrada de entorpecentes, como pasta-base (de cocaína)", exemplificou Sandro Avelar. A base da equipe será no Gama.
Avelar afirmou que os atuais 15 mil homens da PM não dariam conta do serviço. "Hoje, existe uma carência. A vinda da Força Nacional tem o intuito de fortalecer a segurança dos brasilienses, afinal, somos a terceira maior região metropolitana do país, perdendo apenas para São Paulo e Rio de Janeiro", declarou. Para o secretário, os 130 policiais serão suficientes para o serviço. "Eles farão um trabalho pontual. Todas as saídas do DF terão barreiras flutuantes, o que quer dizer que os policiais não ficarão o tempo todo em um certo ponto. O apoio será bem-vindo", detalhou.

Memória
Crime recorrente
Casos de sequestro relâmpago têm assustado os moradores do DF. Na semana passada, um enfermeiro ficou sob a mira de um revólver durante mais de uma hora. Os bandidos o abordaram no Setor de Oficinas do Sudoeste, levaram o Fiat Siena em que ele estava e o abandonaram em um matagal próximo à BR-020, na região de Sobradinho. No último dia 22, a empresária Deborah Christine Crivella, filha do ministro da Pesca, Marcelo Crivella, também foi vítima de um ladrão. Ela estava dentro do carro, um Hyundai ix35, na 408 Sul, quando o criminoso entrou e a obrigou a dirigir até Ceilândia. Em um descuido do bandido, Deborah conseguiu descer do carro e pedir socorro.
No dia seguinte, os bandidos deram outro sinal de ousadia no Lago Norte. Armado, um trio fechou o carro conduzido pela jornalista Eliane Cantanhêde, obrigou-a a descer do veículo e fugiu com o Mitsubishi ASX. Eliane voltava para casa pela pista principal do bairro, quando, ao notar que era seguida, reduziu a velocidade para o outro automóvel a ultrapassar. O motorista do carro que a seguia, no entanto, deu um cavalo de pau na frente de Eliane, bloqueando a passagem.

Por MARA PULJIZ

THALITA LINS

LEIA MAIS

Militares premiados



O governo envia amanhã ao Congresso a proposta de Lei Orçamentária para 2013. Para os funcionários públicos que estão deixando a greve, estarão garantidos recursos suficientes para honrar a proposta de 15,8%, parcelados em três anos. Estarão também previstos aumentos para os militares, em índices diferenciados, segundo as carreiras. Os que ganham menos podem receber reajustes superiores a 20%. Eles estão exultantes com a possibilidade de participarem da Segurança da Copa 2014. A PF, desolada.

Por Tereza Cruvinel

LEIA MAIS

Traficantes do Alemão tinham plano para assassinar general



Descoberta foi feita um mês após o Exército ocupar favelas

Antônio Werneck

Precaução. O general Adriano, que deixa hoje a chefia do CML, precisou ter a segurança reforçada

O general Adriano Pereira Júnior, comandante militar do Leste, revelou em entrevista exclusiva ao GLOBO que, em janeiro de 2011, cerca de um mês depois de o Exército tomar os complexos do Alemão e da Penha, foi descoberto um plano de traficantes para assassiná-lo. A descoberta foi possível graças à interceptação, pela inteligência militar, de uma conversa entre bandidos que dominavam as 23 comunidades da região. Desde então, o oficial passou a contar com segurança reforçada. O general Adriano está de malas prontas para uma nova missão, no comando central do Exército, em Brasília. A chefia do Comando Militar do Leste será passada hoje ao general Francisco Carlos Modesto.
- Eu não queria, mas a partir daquele mês fui obrigado a ter uma segurança pessoal nos meus deslocamentos. O serviço de inteligência descobriu que traficantes estariam pensando em alguma coisa, atribuindo ao general Adriano tudo de ruim que estava acontecendo com eles. Mas não deixei de correr e caminhar na orla de Botafogo e Flamengo - contou o general Adriano.
Ele deixa o posto após dois anos e quatro meses de gestão. A cerimônia acontece hoje à noite, no CML, no Rio. O substituto de Adriano, general Modesto, tem 60 anos, é casado e pai de dois filhos. Ele trabalhava no Ministério da Defesa, em Brasília, para onde segue agora o general Adriano, para coordenar o setor de logística no Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.
Exército: missão foi cumprida

O Exército tratou a ameaça a Adriano de forma reservada, como se fosse o último suspiro de uma organização criminosa que caminhava para a morte.
- Seria uma burrice dos criminosos (executar o plano), porque a tomada do Alemão ia continuar - disse o general.
A entrevista foi dada na terça-feira, na sede do CML, na presença do general Modesto.
- Minha passagem pelo Rio foi uma das mais ricas experiências da minha vida. Nesse período, a participação do Exército na vida da população foi muito forte - disse.
O Exército avalia que cumpriu sua missão nos complexos do Alemão e da Penha: durante a permanência dos militares na região, foram apreendidos 12 fuzis, 17 pistolas e revólveres, e 3.647 projéteis. Além disso, foram recolhidos cerca de 18 mil papelotes de cocaína, 1.200 pedras de crack, 54 quilos de maconha e 1.100 trouxinhas de haxixe. Os militares também apreenderam US$ 30 mil e quase R$ 90 mil. Cerca de 400 pessoas foram detidas e 226, presas.
- O maior desafio da minha carreira foi comandar o CML e trabalhar nos complexos do Alemão e da Penha, empregando a tropa na preservação da ordem pública - afirmou o general Adriano.
Ele disse que, depois dos cerca de 20 meses em que o Exército esteve na região, constatou as dificuldades do trabalho policial. Uma delas é a obrigação de se obter um mandado de busca e apreensão para entrar na casa de alguém. Como o mandado às vezes demora muito, permitindo ao bandido, por exemplo, escapar ou esconder armas e drogas, o oficial defendeu até que, em casos excepcionais, como no do Alemão, a exigência do documento seja abolida.

LEIA MAIS

PM receberá pedido de socorro por torpedo


Renato Cobucci/Hoje em Dia
Tecnologia pode agilizar o socorro com chamado por mensagem de celular

Um assaltante está dentro da sua casa e se você sonhar em abrir a boca pode assustar o bandido ou até levar um tiro. Já imaginou a possibilidade de pegar o celular e avisar a Polícia Militar sem fazer nenhum barulho?

Se você pensou em recorrer a um torpedo, acertou. A mensagem de texto será a nova arma da polícia para prender criminosos em flagrante. Outra novidade é que a pessoa que acionar a PM receberá, pelo celular, uma mensagem informando os nomes dos policiais e o número da viatura que vão atender à ocorrência.

Teste

O recurso será utilizado pelo 34º Batalhão da PM, responsável pelas regiões Nordeste e Noroeste de Belo Horizonte e por parte da Pampulha. “Além de receber pedidos de socorro, o serviço de torpedo será usado para a polícia dar dicas de segurança ou até mesmo informar o andamento de uma ocorrência em determinada região”, diz o assessor de imprensa da PM, tenente-coronel Alberto Luiz Alves.

O mecanismo que permitirá o uso da tecnologia está sendo desenvolvido por um grupo de estudantes do bairro Santa Terezinha, na Pampulha.

Primeiro de Minas

Segundo Alberto Luiz, as polícias de Minas Gerais e do Mato Grosso serão as primeiras a contar com os torpedos para receber a comunicação de crimes.
O prazo para implantação em todo o Estado dependerá do resultado de testes que serão realizados no 34º Batalhão.

Atualmente, os pedidos de atendimento de ocorrências são feitos pelo telefone 190; por meio da abordagem de um militar, na rua, ou quando a vítima vai até uma unidade da corporação.
Quando o número de ligações é muito grande, o solicitante pode ser atendido somente depois da segunda tentativa.

Celso Martins - Do Hoje em Dia




LEIA MAIS

Penalidades do mensalão: corrupto nunca mais terá certeza da absolvição por falta de provas


Cezar Peluso, que nessa quarta-feira (28) se despediu do Supremo Tribunal Federal, o candidato do PT à Prefeitura de Osasco, João Paulo Cunha, perde o direito de concorrer nessas eleições e cumprirá pena de seis anos de prisão em regime semiaberto. O ex-presidente da Câmara dos Deputados é o primeiro a receber uma pena no julgamento do mensalão. Ele foi condenado por Peluso pelos crimes de peculato e corrupção passiva.

Os corruptores do político petista, no entendimento de Peluso, foram Marcos Valério e seus sócios na agência de publicidade mineira que venceu a licitação aberta pela Câmara dos Deputados em 2003, todos eles condenados à prisão em regime fechado, por tempo variando entre 10 anos e 16 anos, além de multas. Os demais ministros só vão estabelecer as penalidades dos condenados quando todas as denúncias contra os 37 réus forem julgadas.

Já tinham votado, condenando o ex-presidente da Câmara, os ministros Joaquim Barbosa, Rosa Weber, Luiz Fux e Cármen Lúcia. O ministro revisor, Ricardo Lewandowski, votou pela absolvição de Cunha, sendo acompanhado pelo ministro Dias Toffoli, ex-advogado do PT. O ministro Gilmar Mendes, votando em seguida, também condenou João Paulo Cunha pelo crime de corrupção, alcançando assim a maioria contrária ao político petista, faltando votar outros três ministros. Essa condenação deveria servir de séria advertência aos políticos em geral. Pois o que fez o ex-presidente da Câmara não pode ser considerado um fato isolado. Desvios de dinheiro público, usando para isso agências de publicidade, não é inovação do político de Osasco.

João Paulo Cunha foi um inovador, conforme conhecido analista político, apenas por sua participação numa custosa campanha de publicidade nos principais veículos do país, para resgatar a péssima imagem da Câmara dos Deputados em sua gestão. Para isso, gastou mais de R$ 10 milhões e permitiu, segundo Peluso, que a agência de publicidade desviasse R$ 1 milhão. Esse tipo de populismo institucional é, de qualquer forma, ineficaz. Gastar dinheiro público para melhorar a imagem de uma administração não substitui, de forma alguma, o próprio desempenho do administrador.

Os políticos só têm a ganhar, se entenderem bem esse fato. E prestarem atenção ao que disse Peluso ao condenar Cunha: “Os fatos públicos e notórios não precisam de provas”. O corrupto nunca mais terá certeza da absolvição na Justiça por falta de prova.

Fonte: Hoje em Dia

LEIA MAIS

Polícia apreende mais de 50 quilos de cocaína e crack avaliados em R$ 1 milhão


Frederico Haikal
Material apreendido foi levado para o Departamento de Investigação Antidrogas

Após três meses de investigação, policiais civis desmancharam um laboratório de refino de cocaína e crack que funcionava no bairro Leblon e abastecia toda a zona Norte da capital mineira. Desdobrada, a droga apreendida poderia render aos criminosos R$ 1 milhão, segundo Márcio Lobato, chefe do Departamento de Investigação Antidrogas de Minas.
Outra casa, no Santa Amélia, também era utilizada pela quadrilha. Jeferson Borges de Melo, de 38 anos, Adalberto Lopes Alvarenga Neto, de 31, e Frederico Donato Reges, de 20, foram presos em flagrante por suspeita de envolvimento com o tráfico. 

A operação envolveu 15 agentes e o delegado Wladimir Soares. Foram apreendidos cerca de 40 quilos de cocaína e dez de crack, três veículos e R$ 38.652. 

Fuzil

Também foram encontradas duas pistolas israelenses marca “Bul Cherokee”, de nove milímetros, 20 caixas de balas que, juntas, tinham mil projéteis e 150 balas calibre 7.62 para fuzil automático AK-47 (Avtomat Kalashnikova - 47). O fuzil não foi localizado. 

No local, também foram recolhidas 29 caixas de sulfato de morfina marca Dimorf, além de quatro litros de acetona pura e quatro de éter etílico. Os suspeitos não falaram com a imprensa.

Carlos Calaes - Do Hoje em Dia





LEIA MAIS

Comissão do Senado tipifica crimes via internet


A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado (CCT) aprovou nesta quarta-feira (19) projeto de lei que tipifica os crimes cometidos por meio da internet no Código Penal, como a invasão de sistemas e furto de senhas, condenando seus autores com penas que podem chegar a quatro anos de prisão.

De iniciativa do deputado Paulo Teixeira (PT-SP), a proposta foi aprovada em maio na Câmara dos Deputados, após o vazamento na internet de fotos íntimas da atriz Carolina Dieckmann, com ampla repercussão na mídia. A intenção do relator na comissão, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), era aprovar o texto no plenário ainda esta quarta. Como a iniciativa foi bombardeada pela maioria dos senadores que não conhece o texto, ficou acertado que a sua tramitação prosseguirá até o próximo esforço concentrado do Senado, dia 11 de setembro, quando será examinada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de retornar ao plenário.

Sem precisar de onde tirou os dados, Eduardo Braga informou que os crimes e fraudes na internet, "seja pela utilização de sistemas financeiros, seja pela utilização do cartão de crédito ou pela utilização de caixas eletrônicos, chega a um montante de 1,5 bilhão de operações fraudulentas em um total de 58 bilhões de operações". "O impacto financeiro que atinge a população usuária ou não do sistema acaba onerando o sistema financeiro brasileiro com uma perda da ordem de R$ 2 bilhões ao ano", acrescentou.

Pelo projeto, o delito menos grave, tipificado como "crime de invasão de dispositivo informático", será punido com prisão de três meses a um ano, além de multa. É o caso da invasão indevida de equipamentos e sistemas conectados ou não à rede de computados, com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização do titular.

A pena é aumentada, de um sexto a um terço, se a invasão resultar em prejuízo econômico ao ofendido. Se resultar na obtenção de informação sigilosa, comunicação eletrônica privada, segredos comerciais ou industriais ou o controle remoto não autorizado do dispositivo invadido, a pena será de reclusão, de seis meses a dois anos e multa. A pena será aumentada de um a dois terços, se a informação sigilosa ou segredo for divulgado, comercializado ou transmitido a terceiros, a qualquer título.

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) criticou a pressa na votação da proposta. Ele lembrou o trabalho da comissão especial de senadores para reformar o texto do Código Penal, incluindo nas inovações um capítulo sobre os crimes cibernéticos.

Por Rosa Costa










LEIA MAIS

Sobe para 31 o número de mortes por gripe suína em MG


Número já é sete vezes maior do que o registrado em todo o ano de 2011

Subiu para 31 o número de pessoas mortas pelo vírus da Gripe Suína em Minas Gerais. A informação foi confirmada em um balanço divulgado nesta quarta-feira (29) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Conforme a SES, já foram confirmados 90 casos da doença, e outros 174 estão sob investigação. De acordo com o balanço, os mais afetados pela doença são adultos entre 40 e 59 anos, faixa etária na qual já foram registradas 16 mortes pelo vírus H1N1.

O último levantamento, divulgado na quarta-feira (22), apontava o número de 29 óbitos e 81 casos apenas em 2012.

Cidades afetadas

Até o momento, a SES confirmou mortes em Minas Gerais nas cidades de Belo Horizonte (2), Betim, Cabo Verde, Cachoeira de Minas, Cambuquira, Campo Belo, Contagem (2), Coromandel, Curvelo, Divinópolis, Frutal, Ilicínea, Ituiutaba, Lavras, Limeira do Oeste, Minas Novas, Passos, Patos de Minas, Pedrinópolis (2), Ribeirão das Neves, Santa Rita do Sapucaí, Santa Vitória , Santo Antônio do Monte, São Gonçalo do Sapucaí, Uberaba (2), Uberlândia e Varginha.

Ramon Guerra, do R7 MG

LEIA MAIS

BH tem 88,6% mais casos de erro hospitalar

Internações relacionadas a falhas em procedimentos médico-hospitalares quase dobram em BH durante o primeiro semestre de 2012. Cardiologia é especialidade com mais complicações

Desconfiado: Alan Castro Novais não consegue superar medo de médico depois que ingeriu ácido no lugar de sedativo, quando se preparava para fazer uma tomografia
Uma simples visita de rotina ao pediatra é motivo suficiente para o menino Alan Breno Castro Novais, de 2 anos, se contorcer, gritar, usar as unhas e até os dentes para tentar escapar da consulta. O desespero se deve ao trauma que desenvolveu depois de ter a boca, a traqueia e o esôfago corroídos quando uma técnica em enfermagem lhe ministrou, por via oral, ácido tricloroacético em vez de sedativo. Foram 22 dias internado, desde 7 de abril, sendo cinco deles na unidade de terapia intensiva (UTI). “Ele fica até vermelho quando chega ao médico. Criou pânico. Fica repetindo: ‘Embora, mamãe, embora mamãe’”, conta a mãe do garoto, a manicure Érica Aparecida de Castro Novais, de 31. O sofrimento do menino e de sua família ilustra uma situação que se agrava em Belo Horizonte. De acordo com dados do Ministério da Saúde, o número de acidentes durante a prestação de cuidados médicos e cirúrgicos e de incidentes em diagnósticos e terapias aumentou 88,6% entre o primeiro semestre do ano passado e deste ano.

Segundo dados do Sistema Único de Saúde (SUS), internações por esses motivos dispararam no período, passando de 79 casos nos seis primeiros meses de 2011 para 149 internações em 2012. Ao longo de todo o ano passado houve apenas 30 internados a mais do que o total registrado durante este semestre em BH. É a pior parcial semestral dos últimos cinco anos, menos grave apenas que o quadro registrado em 2009, quando houve 187 casos durante os primeiros seis meses. 

Neste ano, duas pessoas já morreram pela imperícia e más condições hospitalares, de acordo com registros nos hospitais que atendem ao SUS, média que se manteve ao longo desses anos. Nem todos os pacientes são provenientes de hospitais públicos e postos de saúde, uma vez que, de acordo com médicos e enfermeiros, há quem seja atendido na rede particular e até receba alta antes de sentir os efeitos do cuidado inapropriado, sendo levado para atendimentos de urgência da rede SUS quando o quadro piora em casa. 

Corações sofridos

Entre as causas que mais contribuíram para a internação de pessoas em Belo Horizonte por problemas nos cuidados médicos e hospitalares, o destaque são os incidentes com o manejo e com os próprios dispositivos para diagnósticos e terapias cardiovasculares. Esse tipo de ocorrência levou 91 pessoas de volta aos leitos e enfermarias, ou seja, 61% do total. Entre esses episódios podem ser citados imperícia no uso e defeitos em catéteres, que são tubos inseridos em veias e cavidades para ministrar medicamentos, aparelhos de monitoramento, implantes, próteses, marcapassos, instrumentos e material específico, incluindo suturas.

Em segundo lugar aparecem os acidentes não identificados durante a prestação de cuidados médicos e cirúrgicos, com 30 ocorrências. O caso do menino Alan, que ingeriu ácido em vez de anestésico quando era preparado para ser submetido a uma tomografia no Hospital Infantil São Camilo, se encaixa nessa categoria, que engloba também o uso de sangue incompatível em transfusão, de líquido errado em infusão, falha de sutura ou de ligadura, cânula mal posicionada na anestesia e realização de operação inapropriada, entre outros. Na sequência aparecem as sequelas de intervenções que se agravam depois da alta do paciente, com 11 casos, e as situações adversas com aparelhos ortopédicos, que chegam a nove.

Para o presidente do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG), esses problemas se agravaram pela falta de estrutura, sobretudo na rede pública de saúde. “Temos hospitais sucateados, falta de infraestrutura, de planejamento, de investimentos em equipamentos, insumos e pessoal”, afirma. O Estado de Minas tentou contato ontem com representantes da Sociedade Mineira de Cardiologia, para saber quais tipos de problemas levam a especialidade a ser a líder em regresso médico, mas nenhum deles foi encontrado. A especialidade é a que historicamente recebe mais pacientes.

Mateus Parreiras - Estado de Minas

LEIA MAIS

Justiça concede liminar a bancos proibidos de oferecer empréstimos

Proibidos de oferecer crédito, BMG e GE Capital conseguem antecipação de tutela contra decisão do MP de Minas Gerais

O desembargador Armando Freire, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), deferiu na terça-feira antecipação de tutela aos bancos BMG e GE Capital contra a decisão da Promotoria de Defesa do Consumidor do Ministério Público de Minas Gerais, que suspendeu, por cinco dias úteis, ambas as instituições da outorga de créditos e concessão de financiamentos no estado. A sentença foi proferida no último dia da suspensão das atividades do BMG, que foi notificado em 21 de agosto. Já para o GE Capital, notificado no início desta semana, a decisão foi mais favorável. A diferença de datas ocorreu em razão de o BMG ter sede no estado, sendo comunicado por oficial de Justiça, e o GE em São Paulo, via Correios.

Mas a expectativa do advogado que representa ambas as instituições, José Murilo Procópio de Carvalho, é de que a tutela antecipada pese favoravelmente a seus clientes quando o mérito do recurso for julgado, daqui a cerca de cinco meses. Outros oito bancos também tiveram os serviços suspensos no mesmo processo administrativo pelo Ministério Público: Bonsucesso, Cacique, Cruzeiro do Sul, Intermedium, Mercantil do Brasil, Rural, Santander e BV Financeira.

Por sua vez, o promotor responsável pelo caso, Renato Franco, alegou na decisão administrativa cautelar que as 10 instituições feriram o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e resoluções do Banco Central. O promotor sustentou que os bancos dificultaram aos clientes, entre alguns motivos, a chamada portabilidade de crédito. Para Procópio de Carvalho, o MP desrespeitou o princípio do contraditório e interferiu na atividade fim dos bancos. O advogado entende que o MP pode abrir processo administrativo, mas não suspender a atividade das empresas.

“Não houve o princípio do contraditório. O MP ultrapassou o limite das atividades dele”, disse o advogado. Já o desembargador, na sentença que garantiu a antecipação de tutela ao BMG e ao GE Capital, destacou que concede a liminar pleiteada “para que seja sobrestada a decisão que determinou a suspensão dos serviços de outorga de crédito e concessão de financiamento pelos agravantes até o julgamento final deste recurso, mormente porque o risco de cano irreparável recai de forma mais gravosa sobre os recorrentes”.

Julgamento

Procópio de Carvalho impetrou o recurso no TJ em razão de, na primeira instância, a juíza Moema de Carvalho Balbino Lucas, da 3ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias, ter indeferido o mandado de segurança, com pedido de liminar, assinado pelo advogado. Para a magistrada, o Ministério Público tem competência para suspender a atividade dos bancos por meio de processo administrativo. Mas a discussão a respeito do assunto ainda não acabou: o mérito do recurso impetrado pelo advogado deve ser julgado daqui a cinco meses.

O promotor Renato Franco informou, por e-mail, que “a decisão – do próprio MP, de suspender as atividades por cinco dias –, de caráter cautelar e temporário, termina, mas o processo administrativo continua, podendo as instituições sofrer sanção e pesadas multas ao final. A multa inicial que foi arbitrada teve apenas um efeito inibitório, ou seja, para impedir as infrações aos direitos dos consumidores que estavam ocorrendo”.

Paulo Henrique Lobato - Estado de Minas

LEIA MAIS

PMs são condenados por homicídio, mas vão cumprir pena em liberdade


Segundo TJMG, decisão é de primeira instância e dela cabe recurso.
Crime aconteceu em 2003, no bairro Primeiro de Maio, em Belo Horizonte.

Três policiais militares acusados de homicídio e tentativa de homicídio foram condenados em júri popular a pena de um ano e oito meses de detenção em regime aberto, na noite desta terça-feira (28), em Belo Horizonte. O crime aconteceu em novembro de 2003, no bairro Primeiro de Maio, na Região Norte da capital mineira. De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o juiz que presidiu o julgamento, Ronaldo Vasques, afirmou que eles vão recorrer em liberdade porque são réus primários, tem bons antecedentes e, durante o processo, compareceram a todos as ações processuais para as quais foram intimados.

A decisão é de primeira instância e dela cabe recurso. Segundo o TJMG, durante o período da pena, eles não podem se ausentar da comarca, devem se apresentar mensalmente à Justiça e terão de prestar serviços à comunidade ou a entidades públicas. Estes serviços devem ser cumpridos durante uma hora por dia, não atrapalhando o horário de trabalhos dos militares.

O G1 entrou em contato com a assessoria da Justiça Militar para saber a situação dos policiais perante a corporação, mas, até o horário de publicação, desta matéria não havia recebido resposta.

Eles foram julgados pela morte de um jovem e pela tentativa de homicídio de outros dois. Na época do crime, os jovens que estavam no carro onde a vítima foi morta contaram que estavam dando uma volta no veículo, quando foram abordados pelos militares em uma viatura. Eles afirmaram que não tinham carteira de habilitação e nem a documentação do carro, que era da mãe de um deles.
Com medo, os três fugiram e foram perseguidos. Durante a perseguição, os militares teriam atirado várias vezes contra o carro, que acabou batendo.

Já os policiais, contaram que o veículo estava parado em um local de alto índice de criminalidade e, quando o carro da polícia se aproximou dos jovens, eles fugiram em alta velocidade. Os militares afirmaram que atiraram em legítima defesa e os disparos foram em direção ao pneu do veículo. Segundo eles, a intenção não era atingir os três.

Fonte: G1 MG

LEIA MAIS

Publicidade Google

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO