domingo, 26 de agosto de 2012

Polícia prende homem investigado por morte de PM em UPP no Alemão





“Da Lua” foi preso numa casa, em Piabetá, na Baixada Fluminense.
Ele é apontado como ex-gerente do tráfico do Morro da Fé, na Penha.

Da Lua foi preso em Piabetá, após investigação da polícia
(Foto: Divulgação/ Disque-Denúncia)

Agentes da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) prenderam, neste sábado (25), um homem investigado por suspeita de participar do ataque à UPP Nova Brasília, no Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio. Na ocasião, a soldado da Polícia Militar Fabiana Aparecida de Souza morreu.

O preso foi identificado pela polícia como Alan Montenegro, conhecido pelo apelido de Da Lua.

A delegada Valéria Aragão, responsável pela Dcod, informou que Da Lua e outros três homens foram apontados pela Polícia Militar como participantes do ataque ocorrido em 23 de julho. No entanto, a polícia ainda investiga a possível participação dele no crime.

Um dos homens apontado pela PM como participante do ataque, Régis Eduardo Batista, foi preso três dias após o crime, no dia 26 de julho. A polícia ainda está a procura de Ilan Sales, o "Capoeira" e Fernando Batista, o "Alemão".

A delegada explicou que Da Lua foi gerente do tráfico de drogas do Morro da Fé, no Conjunto de favelas da Penha, na Zona Norte do Rio. Ele é apontado como um dos principais comparsas do traficante Mica.

Recompensa de R$ 1 mil
Contra Da Lua, há um mandado de prisão expedido pela Justiça pelo crime de tráfico de drogas. O Disque-Denúncia oferecia uma recompensa de R$ 1 mil por informações que levassem à prisão do suspeito.

Da Lua foi preso em uma casa em Piabetá, na Baixada Fluminense, após uma investigação conjunta da Dcod e da Divisão de Homicídios.

Bala atravessou colete de PM
A soldado Fabiana morreu após bala atravessar colete
 (Foto: Reprodução/ TV Globo)

A soldado Fabiana Aparecida de Souza, de 30 anos, foi baleada no peito durante um tiroteio na noite de 23 de julho. A bala de fuzil teria atravessado o colete que ela usava. A PM foi socorrida pelos colegas e chegou a ser levada para um posto médico dentro da própria comunidade.

Fabiana, que estava na polícia havia pouco mais de um ano, era solteira e não tinha filhos. Segundo outros PMs, ela atravessava a rua para ir à padaria em frente, quando foi supreendia pelos criminosos.

O tiroteio que terminou com a morte da soldado durou entre 30 a 40 minutos. No dia seguinte ao ataque, a fachada da UPP Nova Brasília estava com mais de dez marcas de bala. O carro da PM estacionado na porta do prédio teve os vidros das janelas e o para-brisa traseiro destruídos por tiros.

O conjunto de favelas do Alemão foi ocupado pelas Forças de Pacificação, em novembro de 2010. O Exército saiu da região no início de julho deste ano e deixou a segurança sob responsabilidade da PM.

Do G1 RJ

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO