terça-feira, 28 de agosto de 2012

PR: estratégia não funciona e greve continua





Termina hoje prazo concedido para fechamento de acordos, mas no Paraná, maioria dos grevistas segue parada

No Paraná, categorias prometem novas manifestaçõesRodrigo Félix Leal / Metro Curitiba 

O Ministério do Planejamento determinou prazo até hoje para que as categorias aceitem ou não as propostas de reajuste salarial, sob pena de não receberem aumento em 2013, já que a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) tem de ser enviada ao Congresso Nacional até a sexta-feira. A pressão, no entanto, não funcionou.

Segundo a Agência Brasil, “nenhum novo acordo foi assinado” e seguem paradas mais de 30 categorias. A Condsef (Confederação dos Trabalhadores do Serviço Público Federal) argumenta que falta flexibilização e que o reajuste de 15,8% oferecido pela União “emperrou” as negociações e “não altera em nada o quadro de distorções que tanto prejudicam a administração pública”.

No Paraná, as categorias seguem decisões nacionais e argumentam que a LDO não é limite para a concessão de reajuste. “O dia 31 é um prazo que o Governo estabeleceu, mas não faz sentido. Há possibilidades de emendas e a DRU (Desvinculação de Receita da União)”, argumenta Melissa de Almeida, diretora da Apuf (Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná).

O discurso também não convence os servidores da Receita Federal. “Pode haver outra lei que altere a LDO e conceda o reajuste depois de 31 de agosto, como já ocorrido no passado”, diz Marcelo Calheiros Soriano, delegado sindical em Curitiba do Sindifisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil).

A Polícia Federal é outra categoria que não recua. “Podemos até suspender o movimento por um tempo, mas ele não para. Não queremos aumento, mas a reestruturação da carreira”, garante o presidente do Sinpef-PR (Sindicato dos Policiais Federais), Fernando Augusto Vicentine.

Os fiscais federais agropecuários também continuam parados. Segundo Aílton Santos, delegado sindical em Curitiba, a proposta foi rejeitada ontem.

A mesma decisão foi tomada pelos servidores do Incra. “Vamos continuar tentando negociar”, afirma João Wagner, do comando de greve.

PRF

No Paraná, apenas a PRF não confirmou se a greve para ou continua. A categoria esteve reunida até a noite de ontem em Brasília.

Do Metro Curitiba

Fonte: Band

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO