sábado, 1 de setembro de 2012

Bandidos criativos abusam de armas bizarras em assaltos em MG





Banana, chinelo e até biscoito já foram usados pelos criminosos

Record Minas
Banana foi utilizada por suspeito para roubar um ônibus em Betim, na região metropolitana de BH

Os bandidos mineiros andam cada vez mais criativos na hora de escolher a arma do crime. De pedaço de telha até uma singela banana, a ousadia no uso de objetos bizarros não tem limites. Na última ocorrência, registrada na tarde de terça-feira (28), um homem de 34 anos foi detido por roubar uma loja de roupas utilizando um pedaço de biscoito de polvilho como arma. Luciano dos Santos Mendes chegou a dizer que cometeu o roubo já que "estava com fome". No entanto, o suspeito preferiu dar outra função ao biscoito porque, segundo ele, estava "velho e duro".

Segundo o major Agostinho Lacerda, lotado no 33º Batalhão de Polícia Militar, em Betim, na região metropolitana, um assaltante tentou dar de "esperto" e acabou conseguindo enganar todos os passageiros de um ônibus. O homem entrou no coletivo e, mostrando apenas munições - sem revólver - anunciou o assalto. Assustado, o cobrador entregou todo o dinheiro.

— O assaltante engoliu a munição e passou mal, precisando ser levado às pressas para o hospital. Ele ingeriu três balas. Acabou preso e autuado depois de ser atendido por médicos.

Se deu mal

Em 2010, também em Betim, outro assaltante optou por uma banana para assustar as vítimas dentro de outro ônibus. Ele chegou a retirar R$ 79 do caixa do veículo e tentou fugir. Mas ao perceberem que foram enganados, os passageiros perseguiram o suspeito e chamaram a polícia.

De acordo com o coronel Rogério Andrade, chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), atitudes como essa devem ser evitadas.

— Sempre recomendamos que as vítimas não reajam. Independente da arma utilizada, um crime deste tipo é definido como roubo.

Além dos objetos citados, já foram usados também um chinelo, um cabo de guarda-chuva, um frasco de desodorante e até mesmo um cano de PVC. Segundo o major Gilmar Santos, chefe da assessoria de imprensa da PM, é importante que as vítimas percam a vergonha e denunciem esse tipo de crime.

— Muita gente acha que vai ser registrado como "roubo com biscoito de polvilho". Não é verdade. Para a polícia chega como "roubo consumado".

Dá-lhe biscoito

Segundo o major Santos, a ideia do criminoso não foi tão original assim. Ele conta que, ainda quando era tenente do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais da PM), em 2002, a "arma" foi usada por dois homens que assaltaram um vigilante do Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte.

— Lembro que os homens renderam o vigia e levaram o revólver dele. Na fuga, ainda jogaram o biscoito para caçoar, dizendo para ele "comer um pedaço".

Ainda conforme o major, os suspeitos foram presos bem próximos ao local do crime. A empresa de vigilância, para evitar constrangimentos, pediu que o caso, à época, ficasse em sigilo.

Por Ramon Guerra, do R7 MG

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO