sábado, 15 de setembro de 2012

PMs precisam revezar coletes à prova de balas em São Paulo





Policiais militares da 4ª Companhia do 2º Batalhão, região da Penha, estão fazendo rodízio de coletes à prova de balas por causa da falta de equipamento de segurança. Na prática, o policial que assume o expediente pega o colete utilizado pelo colega que deixa o serviço. Ou seja, eles são obrigados a fazer o trajeto entre a casa e o serviço desprotegidos. As informações são do jornalAgora.

O colete à prova de balas precisa ser substituído periodicamente pois os equipamentos têm prazo de validade. Segundo soldados, a falta de reposição do material foi o que levou à fixação do revezamento pelos comandantes de companhias. Por lei, se um PM sem colete reagir a um roubo e for morto a caminho ou na volta do trabalho, a família dele perde o direito à indenização que é paga pelo Estado. Desde o começo do ano, 69 PMs foram mortos no Estado - no mesmo período do ano passado, foram 38 vítimas. O governo disse que houve um atraso na licitação e que vai entregar 35 mil novos coletes até dezembro deste ano.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO