terça-feira, 25 de setembro de 2012

Poços de Caldas - Ameaça de explosivos deixa 150 servidores sem expediente





Criminosos tentaram explodir caixa eletrônico em Poços de Caldas (MG). 
Gate foi acionado para desfragmentar artefatos no Complexo Santa Cruz. 


Cerca de 150 funcionários públicos das Secretarias Municipais de Educação, Planejamento, Esportes, Defesa Social, Promoção Social, Educação e Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Poços de Caldas (MG) tiveram o expediente suspenso durante esta segunda-feira (24) por conta de uma tentativa de explosão em um caixa eletrônico que fica dentro do Complexo Santa Cruz, um prédio que abriga as secretarias, no Centro da cidade.
Servidores foram até o Complexo Santa Cruz, mas não puderam trabalhar 
(Foto: Jéssica Balbino/ G1)

O secretário de Defesa Social da cidade, Demilton Vacarelli, garante que na terça-feira (25) os servidores públicos voltarão ao trabalho. “Até as 11h ainda não sabíamos se o expediente seria suspenso, mas como as bombas ainda estavam no caixa, entendemos que não daria para trabalhar hoje, pois no prédio são cerca de 150 funcionários”, comenta.

O caso e a desfragmentação dos explosivos

Dois homens armados entraram no local, renderam uma funcionária da Guarda Municipal e tentaram arrombar o caixa eletrônico que fica do lado de fora do prédio, mas fugiram sem conseguir detonar a bomba. Eles fugiram e deixaram para trás dois explosivos na boca do caixa.

Ninguém ficou ferido com a ameaça de explosão e uma equipe do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate) viajou de Belo Horizonte (BH) para a cidade para desfragmentar os explosivos. Todas as ruas das imediações ficaram interditadas e moradores e trabalhadores das redondezas não puderam trafegar durante a operação.
Gate de Belo Horizonte compareceu ao local para desfragmentar os explosivos 
 (Foto: Jéssica Balbino/ G1)

A ação durou cerca de 30 minutos e o Gate não precisou detonar os artefatos, mas segundo o sargento Cláudio da Silva, que realizou a operação, havia risco de explosão o tempo todo. “Havia risco de explosão o tempo todo porque os criminosos utilizaram um explosivo em condições de uso”, diz.

Ainda de acordo com o sargento, a ação dos criminosos não foi bem sucedida, pois uma parte do detonador não foi acionada. “O detonador é a parte mais perigosa e sensível da bomba, mas eles não conseguiram explodir”, explica.

No pátio do estacionamento do Complexo cerca de 30 carros estavam estacionados e os que estavam mais próximos do caixa eletrônico precisaram ser retirados antes da ação do Gate.
Sargento do Gate mostra explosivos já desfragmentados
(Foto: Jéssica Balbino/ G1)

Questionado sobre qual foi o método estratégico usado para desfragmentar o explosivo, o sargento do Gate esclarece que o uso de roupas especiais serve para proteger o agente, sem exposição ao risco de lesões.

Durante a ação, o sargento amarrou uma corda aos explosivos e à distância retirou os artefatos de dentro do caixa. “Nosso objetivo é, em primeiro lugar, a preservação da vida. Em segundo lugar, a preservação do patrimônio e toda operação foi para remover o equipamento sem precisar explodir o quiosque ou o caixa”, detalha.
Somente neste ano já nos deslocamos 12 vezes até a região para desfragmentar explosivos"
Sargento Da Silva
Gate

O explosivo foi identificado pelo número do lote e o uso é bastante comum por mineradoras. Segundo o Gate, a emulsão será periciada e a polícia especializada fará a investigação sobre onde o material foi adquirido, o que pode ajudar a polícia a chegar até os suspeitos.

O sargento chama atenção também para o número de explosões registradas em caixas eletrônicos neste ano no Sul de Minas. "Somente neste ano já nos deslocamos 12 vezes até a região para desfragmentar explosivos na região", destaca.

Como aconteceu

Segundo o inspetor Marcelo Bastos, chefe da Guarda Municipal de Poços de Caldas, dois artefatos foram deixados para trás por criminosos que tentaram assaltar o local durante a madrugada.

De acordo com ele, a funcionária da Guarda Municipal, Rosa Maria de Souza, 55 anos, realizava uma ronda pelo prédio quando foi surpreendida por dois homens armados. “Eles pegaram a Rosa, tiraram as chaves do prédio, o rádio comunicador e o bastão que estavam com ela e a levaram para dentro do prédio, usando a porta principal”, detalha.

Ainda segundo o inspetor, um dos criminosos ficou com a funcionária pública dentro do prédio enquanto o outro abriu o portão principal do Complexo e entrou com um carro. “Eles tentaram explodir o caixa eletrônico que fica do lado de fora da edificação, mas não conseguiram e foram embora. Os criminosos deixaram para trás um pé de cabra, uma picareta e dois explosivos que não foram detonados”, relata Bastos.

Ele conta ainda que os assaltantes devolveram as chaves do prédio para a funcionária e que ela mesma acionou a Guarda Municipal através do telefone. “Ela ligou para nossa base e uma viatura veio até aqui para averiguar e em seguida acionamos a Polícia Militar, que acionou o Gate”, completa.

Por Jéssica Balbino - Poços de Caldas, MG

Fonte: G1 MG

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO