Publicidade Google

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Foragido suspeito de comandar 9 assaltos é preso em Araraquara, SP

Um comerciante de 50 anos foi preso na tarde desta quarta-feira (31), em Araraquara (SP), suspeito de comandar pelo menos nove assaltos cometidos na cidade desde março de 2011, quando se tornou foragido da Penitenciária de Bauru (SP), onde cumpria pena por outros roubos.
Segundo a Polícia Civil, investigações levaram os policiais à casa dele, no Parque das Laranjeiras, onde foi preso em flagrante pela Polícia Militar por porte de documento falso. O comerciante não ofereceu resistência no momento da prisão.
Em depoimento na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) o homem confessou o envolvimento em roubos a postos de combustíveis e outros estabelecimentos comerciais da cidade. Em um dos assaltos, ele teria dado apoio para que R$ 9 mil tivessem sido levados de uma churrascaria localizada na Via Expressa, em 2011.
O homem foi encaminhado para a Cadeia de São Carlos (SP) e deverá ser transferido para o Centro de Detenção Provisória de Araraquara nesta quinta-feira (1).
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Preso quebra vidro de viatura com a cabeça em GO

Um homem usou a cabeça para tentar fugir da prisão, em Goiânia (GO). Detido na viatura da Polícia Militar, por estar com um carro roubado, ele deu cabeçadas para quebrar o vidro traseiro do veículo. O suspeito já tinha passagens por homicídio e tráfico de drogas.
Na delegacia, o rapaz — com cortes no braço e na cabeça — disse que quebrou o vidro porque sua algema estava muito apertada. Ele teria pedido ajuda, mas não foi atendido.
A viatura terá que ficar parada até que seja trocado o vidro danificado.
Fonte: http://noticias.r7.com

LEIA MAIS

Polícia prende onze integrantes de quadrilha chefiada de presídio

Onze suspeitos de integrar uma quadrilha de tráfico de drogas foram presos nos municípios de Eldorado do Sul e Cachoeirinha, na Grande Porto Alegre. Edson Braga, conhecido como "Grão", e Diego Fioravante Dias, os gerentes da quadrilha, foram surpreendidos em casa.
Os criminosos seriam responsáveis por vender mais de 50 km de droga por mês e colocariam crianças e adolescentes para traficar. Além disso, o grupo trabalhava com esquema em que as entregas eram feitas em casa. Um menino que aparenta ter menos de dez anos é flagrado com um pacote, supostamente realizado uma entrega de droga.
O líder da quadrilha seria Cristiano Nunes Carvalho, um homem que está detido no Presidio Central. Sua mulher, Luciana Pereira, conhecida como "Queen", foi flagrada deixando o presídio depois de entregar encomendas para o marido. Interceptações telefônicas, autorizadas pela Justiça, registraram conversas do presidiário negociando armas e ordenando execuções.
Com as prisões, a polícia espera enfraquecer o poder do chefe da quadrilha. Cristiano foi preso pela primeira vez em 1997 e passou boa parte dos últimos 15 anos no Presídio Central. Além de abastecer o tráfico nas ruas, segundo o delegado Cesar Carrion, o suspeito possui um  grande aparato tecnológico na cadeia.
— Esse rapaz sabe tudo antes dos outros, tem internet 24 horas dentro da cadeia, tablet, um monte de coisa, o cara está bem organizado e sabe dos acontecimentos antes até de quem está na rua. Quem administra o Presídio Central é a Polícia Militar. O Coronel Leandro Santiago, Diretor do Presídio declarou que a PM faz o máximo de esforço para evitar a entrada de celulares.
— Mas a estrutura do presídio impede êxito das apreensões. O Central não oferece pontos de revistas para carros e caminhões, as ruas são muito próximas ao presídio o que facilita que pessoas joguem celulares, e as galerias estão lotadas quase 250 presos por andar.
Fonte: http://noticias.r7.com

LEIA MAIS

Justiça nega indenização a homem que foi preso e depois absolvido

O Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná negou o pedido de indenização a um homem que ficou preso por, aproximadamente, 20 meses em Cambé, no norte do Paraná. Ele foi acusado de homicídio e depois, em julgamento, foi absolvido. O júri entendeu que o réu agiu em legitima defesa. O acordão foi divulgado nesta quarta-feira (31). Ainda cabe recurso.
Segundo o advogado de defesa, o homem sofreu danos materiais e morais por ter ficado preso preventivamente por um tempo excessivo e de forma ilegal, especialmente considerando ter sido inocentado. O reclamante ficou preso de janeiro de 2003 a setembro de 2004.
A decisão da 2.ª Câmara Cível do TJ reafirma a sentença emitida pela comarca de Cambé, no norte do Paraná. Para o relator, desembargador Eugêncio Achille Grandinetti, não existiu qualquer espécie de ilegalidade, uma vez que foram considerados os requisitos para prisão preventiva como "prova da materialidade do crime, indícios suficientes da autoria e necessidade de garantir a ordem pública, bem como por conveniência da instrução criminal".
“(...) não pactuo com o posicionamento de que sempre que se absolver o réu ao final do processo penal se estará diante de caso de responsabilização civil do Estado, tanto porque tal conclusão, a meu ver, equivale à adoção da teoria da responsabilidade integral, o que resultaria na inviabilidade da atuação estatal de investigação e persecução criminal, refletindo na segurança pública", diz trecho do acórdão.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Policial civil é baleado enquanto entregava intimação em Florianópolis

Um policial civil foi baleado na tarde desta quarta-feira (31) por volta das 16h20 no Norte da Ilha, em Florianópolis. Segundo a Polícia Civil, ele sofreu o atentado quando foi entregar uma intimação na comunidade de Vila União. Ele foi recebido com vários disparos de arma de fogo. O policial teve que dirigir até a rodovia SC-401 para ser socorrido.
O policial foi transportado até o heliporto da Avenida Beira-Mar Norte através do helicóptero do Corpo de Bombeiros. Ele foi levado até o hospital Celso Ramos, está consciente e falando, segundo a Polícia.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Sete pessoas são mortas a tiros em chacina no CDHU em São Carlos, SP

Sete pessoas foram executadas durante a madrugada desta quarta-feira (31), no bairro Vila Izabel, em São Carlos (SP). A polícia localizou os corpos de quatro homens e uma mulher logo após o crime, depois de ser acionada por vizinhos. Pela manhã, outros dois corpos, ainda não identificados, foram encontrados próximo ao local.
O crime aconteceu por volta das 2h, na quadra de esportes do conjunto de casas da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). Testemunhas disseram à polícia que a chacina foi feita por dois homens que chegaram à pé. As vítimas foram mortas a tiros de pistola nove milímetros.
No local havia cápsulas de drogas e, segundo a Polícia Civil, todos eram usuários. Um deles tinha passagem por tráfico e roubo. O caso será investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de São Carlos.
12 mortes em um mês
Com esses sete assassinatos, São Carlos fecha o mês de outubro com 12 mortes com características de execução. Duas dessas mortes aconteceram na sexta-feira (26). A primeira foi no bairro Cidade Aracy. Um homem foi morto com dois tiros na cabeça depois de uma briga em um bar. A outra foi no Jardim Pacaembu: um corpo com vários tiros foi encontrado durante uma ronda policial.
No dia 16, um desempregado de 26 anos foi assassinado com nove tiros no bairro Antenor Garcia. Segundo a Polícia Civil, a vítima caminhava no local quando um carro estacionou próximo a ele e disparou a arma.
No dia 22, um garçom de 36 anos morreu depois de ser baleado em um bar, no bairro Jockey Clube. Ele tomava uma cerveja no início da noite, quando um homem entrou no estabelecimento comercial e deu quatro tiros na vítima.
No dia 10, uma dona de casa de 32 anos matou a facadas seu irmão de 37 anos após uma discussão. Os pais estavam em casa e presenciaram a cena. Eles chegaram a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, mas a vítima não resistiu.
No início do mês, a PM encontrou um corpo de um pintor de 45 na Avenida Bruno Rugiero, com diversos tiros. Ele tinha passagem policial por tráfico de drogas.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Policial é baleado pela esposa enquanto dormia em casa na Paraíba

Um policial militar foi baleado pela própria esposa no rosto no início da tarde desta quarta-feira (31) no bairro Valentina Figueiredo em João Pessoa, segundo o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) da Polícia Militar. De acordo com o Ciop, o policial de 32 anos estava dormindo em casa quando foi baleado pela esposa. A suspeita de disparar contra o marido fugiu do local com a arma, segundo a polícia. O soldado da Polícia Militar baleado é lotado no 5° Batalhão.
Ainda conforme o Ciop, não se sabe o motivo que levou a esposa a disparar contra o policial militar. Segundo informações repassadas à polícia, foram disparados vários tiros contra o PM, mas apenas um o atingiu. A polícia não soube informar se a arma usada pela suspeita pertencia ao soldado baleado.
O policial de 32 anos foi socorrido por vizinhos para o Hospital de Ortotrauma de Mangabeira. De acordo com o setor de Serviço Social da Emergência do hospital, o policial passou por cirurgia, segue internado e deverá passar por avaliação médica ainda nesta quarta-feira. O quadro de saúde do policial não foi informado.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Detento morre dentro de presídio em São Joaquim de Bicas


Causas da morte serão apuradas pela Polícia Civil

Um homem que estava preso na penitenciária de São Joaquim de Bicas, na região metropolitana de Belo Horizonte, morreu após passar mal no início da manhã desta quarta-feira (31).

Segundo a Suapi (Subsecretaria de Administração Prisional), Milton Vieira Rodrigues, de 34 anos, cumpria pena no local por furto e roubo. Ele chegou a ser socorrido em sua cela e levado, por agentes penitenciários, ao núcleo de saúde da unidade, mas não resistiu e morreu.

Conforme o órgão, não se sabe quais foram as causas da morte do detento. O caso foi encaminhado para a Polícia Civil para ser investigado.

Por Ramon Guerra

LEIA MAIS

Oito pessoas são presas após explosão de caixa eletrônico no Triângulo


Uma tentativa de roubo a banco terminou com quatro homens presos e quatro menores apreendidos nesta quarta-feira (31) em Santa Juliana, no Triângulo Mineiro. O grupo invadiu uma agência e conseguiu explodir uma das máquinas.

De acordo com militares do 37º Batalhão, a explosão danificou somente uma máquina que emite folhas de cheque. O bando fugiu em um Fiat Palio de cor branca sem levar dinheiro. 

Moradores acionaram a polícia, que descobriu o grupo em uma casa no bairro Pôr do Sol. O imóvel havia sido alugado na última semana. O carro usado na fuga foi roubado em Uberlândia no último domingo (28), o que reforça a suspeita de que o grupo estudava as agências da região e se mudou para Santa Juliana para efetuar o roubo. 

A identidade dos suspeitos ainda não foi divulgada, já que os detidos são ouvidos na delegacia da cidade. Entre eles há duas garotas de 15 anos.

LEIA MAIS

SP: há muita novela em cima do 'salve', diz coronel do Choque



Cerca de 60 policiais da Rota e outros 40 da Polícia Civil realizaram, na manhã desta quarta-feira, uma operação na favela São Remo Foto: Adriano Lima/Terra

O comandante da Tropa de Choque de São Paulo, coronel Cesar Augusto Morelli, procurou na tarde desta quarta-feira desmitificar as quadrilhas que atuam no Estado e que estariam por trás de uma onda com mais de 40 mortes. Para o oficial, os membros dos grupos criminosos "não sabem nem falar direito" e, portanto, não teriam capacidade de provocar mortes de forma organizada. "Há muita novela em cima do 'salve' (ordem para matar policiais), se criou uma neurose", declarou.

Morelli concedeu uma entrevista coletiva ao lado do titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Jorge Carrasco, que disse ter solucionado 23 das mortes ocorridas nos últimos meses. Carrasco foi taxativo na relação dos assassinatos com a atividade policial de repressão ao crime, em especial ao tráfico, mas também engrossou o coro de que as facções não seriam articuladas a ponto de conseguirem provocar uma reação em cadeia. "Muitas pessoas estão aproveitando a situação para cobrar dívidas de jogo, de drogas, e quem não tem dinheiro paga com a vida", declarou.

Sobre uma lista, encontrada na tarde de terça-feira em Paraisópolis, os policiais afirmaram que contém "muita gíria", e que não seria possível ainda determinar se seriam mesmo nomes de policiais marcados para morrer. Entre os documentos, haveria até um plano de previdência de criminosos mortos durante a onda de assassinatos de 2006. Morelli voltou a desqualificar o material.

"Qualquer irmandade pode fazer uma gincana pra comprar feijão", disse. Ele afirma que a tropa está tranquila e que as recomendações são "as mesmas de sempre". "A principal é 'pôs arma na cinta, fica esperto'. Tem alguém que não gosta de você. Estando em situação de desvantagem, mesmo sem haver ataques, vai levar bala. 'Se desligar o cachimbo cai'", falou.

Para o comandante do Choque, não existe sequer o conceito de "crime organizado" em São Paulo, uma vez que as organizações criminosas deveriam estar infiltradas na sociedade civil, com penetração em partidos políticos, polícia e imprensa, o que para ele não está comprovado no caso da facção que atua em presídios paulistas e em áreas carentes do Estado. "Não é nenhuma máfia italiana, muitas vezes eles não sabem nem falar. Estão criando um glamour em cima disso, vamos glamourizar a família", pregou.

Por Hermano Freitas

LEIA MAIS

SP: 116 suspeitos de ataques a PMs foram presos e 12 estão mortos


A polícia já identificou 153 envolvidos em ataques a policiais militares (PMs) este ano em São Paulo. Destes, 116 foram presos, 12 estão mortos e 25 foragidos. O levantamento informado pela assessoria de imprensa da PM contabiliza dados até as 8h30 de terça-feira.

Desde o início do ano até ontem, 86 policiais foram assassinados no Estado. Desse total, 18 eram aposentados e apenas três estavam em serviço. Segundo a PM, 45 dos crimes tinham indícios de execução, 31 foram reações a roubo, três por motivos passionais, três em desentendimentos e um sem motivação aparente.

Ontem, o secretário de Segurança Pública do governo de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, afirmou que partiu da favela de Paraisópolis, na zona sul da capital, a ordem para que seis policiais militares fossem assassinados no Estado em maio e que teria dado início à atual onda de violência. Ele atribui o mando destes primeiros homicídios a Francisco Antonio Cesário, conhecido como Piauí, preso na cidade de Itajaí (SC) há cerca de um mês, pela Polícia Federal. Na época, o acusado vivia em Paraisópolis, que, desde segunda-feira, é alvo de uma grande operação policial, com a presença de cerca de 600 homens.

Enquanto isso, o Estado continua a enfrentar um grande índice de violência. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, houve um crescimento de 102,82% no número de pessoas vítimas de homicídio na capital no mês de setembro, em comparação ao mesmo período do ano passado. Em todo o Estado, a alta foi de 26,71% no mesmo período.

LEIA MAIS

Dilma: royalties futuros irão para Educação


No início da tarde desta quarta, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, interrompeu uma reunião da bancada do PT na Câmara dos Deputados para transmitir dois recados da presidenta Dilma Rousseff:

1. O governo não admite qualquer mudança na distribuição de royalties do petróleo que modifique contratos já assinados. A posição favorece estados produtores, principalmente Rio de Janeiro e Espírito Santo.

2. Os royalties futuros, decorrentes da exploração de campos a serem licitados, terão que ser 100% investidos na Educação.

O primeiro recado reafirma uma posição do governo federal e bate de frente com o projeto de redistribuição de royalties que seria analisado hoje no plenário da Câmara - a votação foi adiada para a semana que vem.

A segunda decisão, de acordo com o próprio Mercadante, viabiliza a proposta - aprovada pela Comissão Especial do Plano Nacional de Educação formada na Câmara, – de destinar 10% do Produto Interno Bruto para a Educação.

Todos os estados e municípios terão direito a uma parcela dos futuros royalties, mas os recursos terão que ser aplicados integralmente na Educação. 

Detalhe importante: estados e municípios beneficiados não poderão diminuir a parcela de recursos próprios que já aplicam no setor.

LEIA MAIS

Comissão do Senado aprova inclusão de tempo de prisão provisória em pena de condenado


A Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que permite ao juiz incluir o tempo da prisão provisória na contagem da pena final do condenado. O texto será votado no plenário ainda nesta quarta atendendo pedido do relator, senador Romero Jucá (PMDB-RR). O senador informa que o procedimento já é utilizado atualmente, mas deixa de fora os condenados de menor poder aquisitivo.

No seu parecer, Jucá cita dados do Ministério da Justiça, segundo os quais 40% dos ocupantes do sistema de justiça criminal no País são presos provisórios. "Essa realidade ocasiona problemas ao sistema de Justiça, em especial no que tange ao cumprimento da pena imposta por aqueles que durante o processo permaneceram presos", afirma.

O relator reitera a avaliação do Ministério de que essa situação além de gerar sofrimento desnecessário, é injusta à pessoa presa, porque impõe cumprimento de pena além do judicialmente estabelecido, aumentando o gasto público nas unidades prisionais com o encarceramento desnecessário. Diz ainda que a situação resulta numa grande quantidade de recursos aos tribunais superiores, com a finalidade de contar na pena aplicada ao réu o período em que ele esteve preso provisoriamente.

Agência Estado

LEIA MAIS

PM acha lista de policiais marcados para morrer em ação em favela de SP


Documento feito por criminosos foi encontrado na terça na Zona Sul de SP.
Material apreendido confirma ordens de execução, diz coronel da PM.

A Polícia Militar de São Paulo encontrou uma lista, feita por criminosos de uma facção, com nomes de policiais militares e policiais civis marcados para morrer. Segundo informou nesta quarta-feira (31) o Comando de Policiamento da PM na capital, o documento foi apreendido dentro de uma mala juntamente com dois irmãos adolescentes no início da noite de terça-feira (30) durante a Operação Saturação na favela de Paraisópolis, na Zona Sul da cidade.

Também foi localizado o balanço da movimentação financeira do tráfico de drogas na região. O material deverá ser levado para a Polícia Civil, que investiga a onda de violência que assola o estado.

Os menores de idade detidos com a lista estavam tentando sair da comunidade. Desde segunda-feira (29), Paraisópolis foi ocupada por tempo indeterminado após o serviço de inteligência das forças de segurança do estado ter informações de que partiram dali as ordens de bandidos para matarem os agentes da lei.

Aproximadamente 40 nomes de policiais militares e outros dois de policiais civis estão na lista, escrita à mão pelos criminosos para ser repassada a outros integrantes da facção que age dentro e fora dos presídios paulistas. A ordem é matar dois policiais para cada criminoso morto. O motivo seriam execuções praticadas por PMs contra os criminosos.

Desde janeiro, 86 PMs já foram assassinados. Trinta e sete deles foram mortos com características de execução. Na maioria dos casos, os criminosos usaram motos para praticar os homicídios e fugir em seguida.

Lista
“Posso confirmar oficialmente, em nome da PM, que o 16º Batalhão apreendeu uma mala, apreendeu também documentação dos criminosos e apreendeu menores tentando retirar essa mala do local. Na mala tinha uma lista com nomes de PMs e de policiais civis que estavam marcados para morrer”, disse o coronel Marcos Roberto Chaves, comandante de Policiamento da PM na capital.

De acordo com o comandante, os documentos da facção que foram apreendidos na Operação Saturação corroboram a suspeita do serviço de inteligência das forças de segurança de que as ordens para matar alguns PMs partiram realmente da Zona Sul. A lista possui descrições de cada um dos policiais, como rotinas, trajetos do trabalho para casa, características físicas e etc.

“As ordens estavam partindo dali, segundo o serviço de inteligência. Para confirmar todo esse trabalho foi preciso entrar num dia específico na favela de Paraisópolis. Não podia ser durante as eleições porque a lei eleitoral não permitiria algumas prisões, exceto em flagrante delito", afirma o comandante.

"Essa documentação é uma prova importante que será analisada para saber se tem relação com os ataques que tivemos. Ela tem muitas informações, além dos ‘salves’ [ordem dos ataques], tem como é feito o batismo dos novos integrantes”, explicou o coronel.

No entendimento do comandante da PM na capital, apesar de os ataques com mortes não terem cessado, com novos casos registrados na madrugada desta quarta-feira, ele entende que a ação policial está desarticulando as ações do grupo criminoso. “Estamos sufocando esses criminosos, mas é preciso mudar a legislação com leis mais duras e não benéficas ao marginal”, disse Chaves.

Criminosos presos
De acordo com a PM, até esta quarta, 20 criminosos são procurados por suspeita de participação em ataques que mataram policiais militares. Outros 20 suspeitos foram mortos em confrontos com a polícia e 129 bandidos estão presos.

Um desses detidos é o traficante Francisco Antonio Cesário da Silva, o Piauí, investigado como o mandante das ordens para matar PMs. Policiais civis informaram que a lista com nomes de agentes marcados para morrer, encontrada na terça pela PM, deverá ser atribuída ao criminoso preso. Para isso, deverá ser entregue ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga a morte dos policiais.

Piauí está preso desde agosto em Avaré, interior de São Paulo, após ter sido recapturado pela PM e Polícia Federal em Itajaí, interior de Santa Catarina. Ele havia fugido em maio deste ano durante a saída temporária do Dia das Mães. O homem tinha sido preso a primeira vez em 2008 por porte ilegal de arma, receptação, roubo, sequestro, falsidade ideológica e homicídio.

Recentemente passou a ser apontado também como responsável pela morte de seis policiais militares neste ano. Quando fugiu, foi flagrado em interceptação telefônica ordenando a morte desses PMs. Existe a possibilidade de a polícia pedir a transferência de Piauí para a Penitenciária de Presidente Venceslau, no interior paulista, por ser considerada de segurança máxima. Lá estão outros integrantes da facção, que são considerados perigosos e influentes dentro do grupo criminoso.

A lista apreendida em Paraisópolis ainda possui o organograma da facção, com nomes de criminosos que deixaram de cumprir as ordens criminosas para executar os policiais. Para eles seriam aplicadas penas, decididas em uma espécie de "tribunal do crime".

Os "julgamentos" ocorreriam dentro de um imóvel na favela. Foi de lá que a documentação apreendida teria saído com dois irmãos gêmeos. Um homem responsável pelo local é suspeito de ter passado o material para os adolescentes, que têm 17 anos, quando percebeu que a PM cercou a comunidade.

Toque de recolher
Por conta da ocupação, moradores da favela, e de outras comunidades carentes onde ocorreram assassinatos, chegaram a relatar que criminosos em motos passaram ordenando que o comércio, escolas e ônibus não funcionassem durante as noites por conta de um toque de recolher.

Em entrevista coletiva na terça, o secretário da Segurança Pública do Estado, Antonio Ferreira Pinto, negou a informação, chamando-a de “boataria”. Em meio a onda de mortes, o governo de São Paulo e o governo federal divergiram sobre uma possível ajuda para combater a violência no estado paulista. Ferreira Pinto confirmou nesta terça-feira que ordens para assassinar policiais partiram de Paraisópolis.

Nesta quarta, a PM também realiza incursão à favela São Remo, na Zona Oeste da capital, em cumprimento a oito mandados de prisão e 13 mandados de busca e apreensão de suspeitos de participar da morte de um policial das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) neste ano.

Por Kleber Tomaz

LEIA MAIS

Cade aprova parceria entre Embraer e Telebrás para construção de satélite

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira (31) a parceria entre Embraer e Telebrás na criação de empresa Visiona Tecnologia Espacial, que será responsável pela compra e desenvolvimento do satélite geoestacionário brasileiro.
Pelo acordo, a Embraer tem 51% da empresa, enquanto a Telebrás, que representa o governo na parceria, tem 49%. A Telebrás será a operadora do satélite.
O custo do novo satélite é estimado em cerca de R$ 700 milhões. O governo federal vai financiar a sua compra, por meio da Telebrás. A previsão é que ele entre em órbita em 2014.
O satélite geoestacionário gira na mesma velocidade da Terra e, por isso, fica "estacionado" sobre um mesmo ponto do planeta. Ele é utilizado em telecomunicação, meteorologia e, no caso do satélite público, um dos principais usos será nas comunicações militares.
O governo pretende ainda utilizar o equipamento para auxiliar na massificação da internet banda larga no país – o satélite é indicado para levar internet em áreas isoladas, localizadas principalmente na região Norte.
A intenção do governo era que o satélite geoestacionário fosse desenvolvido pela Visiona. Porém, como a indústria nacional não domina toda a tecnologia de construção desse satélite, a empresa terá que contratar uma terceira para fabricá-lo. O contrato, no entanto, vai prever a transferência de tecnologia ao país.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Motorista de caminhão é baleado em posto na rodovia Fernão Dias

O motorista de um caminhão, de 43 anos foi baleado na madrugada desta quarta-feira (31) em São Sebastião da Bela Vista (MG). Segundo a Polícia Militar, ele foi encontrado pelo frentista de um posto que fica na rodovia Fernão Dias, onde o caminhão estava estacionado.
O frentista foi até o caminhão ao perceber que a buzina estava disparada e encontrou o motorista, que lhe pediu ajuda e contou que havia sido baleado. A vítima foi socorrida e levada ao Hospital Samuel Libânio em Pouso Alegre (MG) pela Autopista Fernão Dias.
Ainda de acordo com a Polícia Militar, foram encontradas quatro cápsulas deflagradas de calibre .40 e uma porção de maconha. A porta do Aldo do passageiro estava com sinais de tiro. A perícia da Polícia Civil foi acionada, mas não foi até o local pois estava atendendo outra ocorrência no município de Inconfidentes (MG).
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Mais de 5,5 milhões participam do Enem neste fim de semana

No próximo fim de semana, 5,7 milhões de estudantes participam do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No sábado (3), primeiro dia de provas, os candidatos vão responder a questões de ciências humanas e ciências da natureza. No domingo (4), serão aplicadas as provas de linguagens e códigos e de matemática. Além disso, no último dia do exame, o aluno fará a redação, que vale 50% da nota total.
O exame avalia os conhecimentos dos estudantes que concluem o ensino médio e é usado como parte do processo seletivo de diversas de instituições de ensino superior públicas e privadas.As universidades e faculdades podem tanto usar o Enem em substituição ao vestibular quanto considerar a nota no exame para concessão de bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) e ingresso de candidatos pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
Os portões de acesso serão abertos ao meio-dia e fechados às 13h (horário de Brasília). A recomendação do Ministério da Educação (MEC) é que todos os candidatos cheguem ao local das provas até as 12h. Os alunos devem ficar atentos ao relógio nos estados em que há mudança de fuso horário ou que estão fora do horário de verão. O MEC orienta o candidato a verificar, com antecedência, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o local de prova. Também é importante conhecer o trajeto até o local antes do dia do exame.
O Enem é composto por quatro provas objetivas, com 45 questões cada, e uma redação.No sábado (3 de novembro) serão aplicadas as provas de ciências humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias.No dia seguinte, os alunos farão provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias e a redação.
No primeiro dia de provas, os participantes terão quatro horas e meia para responder a todas as questões. No domingo, quando é realizada a redação, o tempo é estendido em uma hora. Com isso, os inscritos terão cinco horas e meia para realizar o exame.
O MEC orienta o candidato a verificar o local de prova na página do Inep. Cada participante deve ter em mãos caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente. O uso de lápis, borracha e lapiseira não é permitido.
Qualquer espécie de consulta ou comunicação com outro participante, o uso de lápis, lapiseira, borracha, livros, manuais, impressos, anotações, óculos escuros e quaisquer dispositivos eletrônicos, como celulares. O candidato também será eliminado se deixar a sala de provas antes de completar duas horas do início do exame.
Os participantes só podem levar para casa os cadernos de questões nos últimos 30 minutos de prova. Os três últimos candidatos presentes na sala de provas só são liberados juntos.
Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados na página do Inep no dia 7 de novembro de 2012.Os participantes podem acessar os resultados individuais do Enem 2012 no dia 28 de dezembro de 2012, com o número de inscrição e senha ou CPF e senha.
Fonte: http://www.jb.com.br/

LEIA MAIS

Bandidos rendem policiais para roubar agência bancária no Paraná

Na madrugada desta quarta-feira (31), bandidos renderam dois policiais militares para explodir e roubar caixas eletrônicos de uma agência bancária na cidade de Agudos do Sul, cerca de 65 km de Curitiba (PR).
A ação ocorreu por volta das 2h45 e durou cerca de 10 minutos. Pelo menos dez homens, fortemente armados de fuzis e metralhadoras, cercaram o destacamento da Policia Militar, onde naquele momento havia apenas dois policiais.
Enquanto isso, outro grupo invadia uma agência do Banco do Brasil, que fica na sede da prefeitura da cidade, a cerca de 500 m do destacamento. Os bandidos explodiram e roubaram dois caixas eletrônicos.
O grupo utilizou dois carros, um Fiat Idea de cor branca e um Peugeot de cor escura. Eles conseguiram fugir levando o dinheiro dos dois equipamentos.
Fonte: http://noticias.r7.com

LEIA MAIS

Presidente do PT diz que partido não punirá condenados no mensalão

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse nesta terça-feira que nenhum dos petistas condenados no processo do mensalão será punido pelo partido. Falcão afirmou que as condenações impostas a parlamentares do PT não fazem parte dos casos de punição elencados no estatuto partidário, que prevê pena de expulsão quando ocorrer "condenação por crime infamante ou por práticas administrativas ilícitas, com sentença transitada em julgado". Para o presidente, os casos dos companheiros condenados não se aplicam ao estatuto. "Quem aplica o estatuto somos nós. E esse caso não se aplica".
O PT defendeu nesta terça-feira que José Genoino, mesmo já condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha pelo STF, assuma o mandato como deputado federal. Ele é suplente do deputado Carlinhos Almeida, que se elegeu prefeito de São José dos Campos (SP), no início de 2013. O presidente do PT negou, no entanto, ter conversado sobre isso com Genoino. "Imagino que ele queira assumir. Ele tem mandato e é um direito dele".
Há dirigentes do PT defendendo até que Carlinhos renuncie antes de 31 de dezembro, para que Genoino tenha mais tempo no Congresso. Mas Genoino afirmou a interlocutores que ainda não decidiu se vai assumir o mandato. Assim que foi condenado pelo STF, ele pediu demissão do cargo de assessor especial do Ministério da Defesa. "Ele se demitiu do governo porque achou que a condição de condenado poderia causar constrangimento à presidente Dilma. Ela não aceitou a demissão e ele teve de pedir em caráter irrevogável. Mas o mandato parlamentar é dele, foi obtido pelo voto", disse Pacheco.
Fonte: http://www.jb.com.br/

LEIA MAIS

PM apreende armas e drogas em Manguinhos

Rio -  Policiais do Batalhão de Choque apreenderam drogas e armas, nesta quarta-feira, no Complexo de Manguinhos, na Zona Norte. O material foi apreendido na localidade conhecida como Via das Pedra. PMs encontraram dois revólveres calibre 22, 11 munições calibres 38, 17 para fuzil 7.62, 19 de calibre 12, uma granada e seis metros de estopim para explosivos.
Além disso, ainda encontraram 44 pedras de crack e 48 papelotes de maconha. Ninguém foi preso. Os bandidos fugiram quando viram a chegada dos policiais. O Complexo de Manguinhos está ocupado pela polícia desde o último dia 14.
Fonte: http://odia.ig.com.br

LEIA MAIS

Senador tucano do Pará chama colegas de ladrões

O senador Mário Couto (PSDB-PA) acusou seus colegas de serem corruptos e pediu que o Supremo Tribunal Federal faça uma "limpeza" no Congresso. "Tem homem que dá vontade de cuspir na cara, porque eu sei que está aqui a penas duras do povo, que estão ricos porque roubaram a nação, o povo", disse o político, conhecido por discursos fortes.
Ele ainda pediu: "Aproveitem, ministros do Supremo, limpem o Congresso Nacional. Vejam o patrimônio de cada senador. Não engavetem os processos desses ladrões que estão aqui". As informações são do jornal Folha de S. Paulo.
O tucano afirmou que há senadores com jatos particulares, casas luxuosas e "50 mil bois no pasto" sem condições de comprovar o seu patrimônio, mas não citou nomes. As senadoras Lídice da Mata (PSB-BA) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) ficaram irritadas com o discurso e cobraram medidas do comando do Senado.
Lídice disse que o senador quebrou o decoro parlamentar ao classificar todos como corruptos "Está mais do que na hora de a Mesa Diretora tomar um posicionamento em relação a esses pronunciamentos, que, longe de ajudar, prejudicam muito o processo político brasileiro, a democracia e parlamentares de muito respeito que têm assento nesta Casa", falou Grazziotin.

Fonte: http://www.jb.com.br/

LEIA MAIS

Acusado de participar da morte de desembargador em Niterói é preso pela Civil

Rio -  Policiais da 77ª DP (Icaraí) prenderam, na noite desta terça-feira, Jeferson Siqueira Barcelos, conhecido como Jefinho, de 19 anos, no bairro de Maria Paula, em Niterói. Ele é um dos acusados da morte do desembargador Gilberto Fernandes, baleado durante uma tentativa de assalto, na noite do último dia 25,  em Niterói.
Segundo o delegado Mário Luis da Silva, titular da distrital, Jeferson foi reconhecido por sua mãe através das imagens de câmeras de vídeo. Na delegacia, o criminoso confessou sua participação na ação e apontou Rodrigo Moraes Pereira, o Bebelo, como responsável pelos tiros que mataram o desembargador.
Contra Jeferson e Rodrigo foram expedidos mandados de prisão temporária, expedidos pelo plantão judiciário da Capital. Rodrigo está sendo procurado pela polícia.
Tentativa de assalto
Gilberto Fernandes, de 78 anos, morreu após levar um tiro no pescoço e outro na cabeça em tentativa de assalto, em Icaraí, na Zona Sul de Niterói. Gilberto morreu às 2h da última sexta-feira quando era operado no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca.
Gilberto, que era o primeiro desembargador negro do TJ, estava buscando dois netos adolescentes - um rapaz de de 15 e uma menina de 12 - na escola quando foi abordado por dois homens, se assustou e teria dado ré no carro, na esquina da Avenida Sete de Setembro com Rua Otávio Kelly. Um dos bandidos atirou e atingiu o desembargador.
Fonte: http://odia.ig.com.br

LEIA MAIS

PMs que ficaram com mochila de assalto na Tijuca são expulsos



Três suspeitos morreram durante o tiroteio entre a polícia e criminosos que tentaram assaltar o restaurante em agosto Foto: Luiz Roberto Lima/Futura Press

A Polícia Militar expulsou na terça-feira os dois PMs acusados de ficar com uma mochila com o dinheiro do assalto a um restaurante na Tijuca no dia 13 de agosto. A medida será publicada nesta quarta-feira no boletim interno da polícia. O caso havia sido submetido ao Conselho de Disciplina da PM, cujo parecer foi analisado pela corregedoria da corporação. O subtenente Ronaldo César Neves e do sargento Fábio Silva Lopes, do 4º BPM (São Cristóvão), participaram do cerco ao estabelecimento, que terminou com a morte de três dos bandidos. O sargento foi flagrado no vídeo pegando a mochila de um dos bandidos mortos. As informações são do jornal O Globo.

As câmeras de segurança do restaurante mostraram que o dinheiro retirado do cofre fora guardado na mochila. Em um primeiro momento, os PMs negaram ter pego a mochila. Nas depois da veiculação do vídeo e do depoimento de outro PM que estava na ação e disse ter visto Lopes com a mochila, os dois mudaram a versão e admitiram que pegaram, mas que não havia dinheiro dentro. O valor roubado foi estimado em R$ 18 mil (R$ 15 mil em dinheiro e R$ 3 mil em tíquetes refeição) pelo gerente do local. Eles estavam afastados do trabalho nas ruas desde o final de agosto e não tinham anotações em suas fichas funcionais. Neves trabalhou , durante 27 anos na corporação e Lopes, por 13 anos.

LEIA MAIS

Operação em favela de SP tenta prender suspeitos de matar PM

A Polícia Militar cumpria por volta das 7h30 desta quarta-feira (31) mandados de prisão na Favela São Remo, na região do Butantã, na Zona Oeste de São Paulo. Eles procuraravam os suspeitos de ter matado um policial militar das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota).
O crime aconteceu na Zona Oeste da capital. Algumas viaturas percorriam a comunidade que fica entre as avenidas Escola Politécnica e Corifeu de Azevedo Marques.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Operação contra tráfico de drogas em Niterói tem mais de 10 presos

Policiais civis e militares realizam, na manhã desta quarta-feira (31), uma operação para capturar criminosos acusados de envolvimento com o tráfico de entorpecentes em Niterói, na Região Metropolitana, e na morte de um policial federal, no ano passado. Até as 7h30, mais de dez pessoas haviam sido presas pelos agentes.
Um homem, identificado como Pablo Santos, teria participado do assassinato do agente da PF e foi preso. As ações são realizadas na comunidade do Jacaré, em Itaipu, na Região Oceânica, e têm objetivo de desarticular completamente o esquema de distribuição de crack no município.
Dinheiros e drogas também foram apreendidos.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Moradores de rua são mortos no Centro de SP, diz Polícia Civil

Três supostos moradores de rua foram mortos na região central de São Paulo entre a noite de terça-feira (30) e madrugada desta quarta (31), informou a Polícia Civil.
O primeiro caso ocorreu pouco depois das 23h, na Avenida do Estado, nas imediações do Mercado Municipal. Segundo a polícia, um morador de rua foi linchado até a morte por ser suspeito de roubar e furtar outros moradores de ruas e viciados em drogas estabelecidos na região. O homem foi perseguido e morto a pauladas.
Outro caso ocorreu por volta de 1h, na Rua Carlos de Souza Nazaré, perto da Rua 25 de Março. Um morador de rua, supostamente viciado em drogas, foi baleado enquanto dormia, e morreu no local.
O terceiro caso ocorreu na Rua Marques de Oliveira, onde outro morador de rua foi morto a pauladas.
As polícias Civil e Militar não têm pistas dos assassinos.
Os três casos foram registrados no 8º DP (Brás/Belém), mas devem ser investigados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
Veja o artigo original no G1

LEIA MAIS

PM apreende 720 kg de maconha em oficina mecânica


Três homens foram presos no interior do estabelecimento

Três homens foram presos com 720 kg de maconha dentro de uma oficina mecânica na rua Soldado Arlindo Saldanha, naVila Maria, zona norte de São Paulo, na noite desta terça-feira (30). A Polícia Militar também apreendeu três quilos de cocaína no mesmo endereço.

O local foi descoberto por policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar), após o serviço de inteligência da PM levantar a informação de que um grande carregamento de drogas deixaria o local para ser distribuído em vários bairros da capital paulista.

Os policiais também apreenderam três veículos na oficina, dois deles com compartimentos falsos para esconder a droga durante o transporte. O caso foi registrado no Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos).

Do R7, com Agência Record

LEIA MAIS

Homens armados incendeiam ônibus em Carapicuíba

A Polícia Militar (PM) de Carapicuíba informou que um ônibus foi incendiado por homens armados no cruzamento da Estrada do Guabiroba com Avenida Inocêncio Seráficono, no Bairro Vila Silvânia, na cidade da região metropolitana de São Paulo, na noite desta terça-feira (30).
A ação teria sido realizada por cerca de 10 homens armados com espingarda calibre 12, fuzil e metralhadora. O veículo foi totalmente destruído. Ninguém foi preso.
A PM disse que um passageiro ficou  ferido durante o ataque.
Veja o artigo original no G1

LEIA MAIS

Telhado de sede da PRF desaba em Poços de Caldas, MG


Vendaval também derrubou telhado de uma empresa.
Não houve feridos, segundo os bombeiros.


Uma forte chuva na tarde desta terça-feira (30) danificou a sede da Polícia Rodoviária Federal no bairro Parque Pinheiros, em Poços de Caldas (MG). Segundo a PRF, fortes ventos, que duraram cerca de dois minutos, derrubaram o telhado e danificaram as câmeras de monitoramento, a antena de comunicação e um computador. O local ficou sem energia elétrica.

Um barracão de uma empresa que fica no mesmo bairro da sede da PRF também foi atingido, mas só a parte do telhado desabou. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido.
Chuva danifica sede da PRF em Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV / Marcelo Rodrigues)

LEIA MAIS

Fuzil com mira a laser é encontrado na casa de adolescente de 17 anos


Ele mora em Contagem, na Grande BH.
Outro jovem de 15 anos também foi apreendido.

Um fuzil foi encontrado na casa de um adolescente de 17 anos, na noite desta quarta-feira (30), em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A arma é de uso exclusivo das Forças Armadas e da Polícia Militar (PM), tem mira a laser, silenciador, tripé e os tiros acertam alvos a 300 metros de distancia.

O rapaz e outro jovem, de 15 anos, são suspeitos de envolvimento com o crime organizado. Eles têm várias passagens pela polícia por tráfico de drogas e posse ilegal de armas, segundo informações da PM.

Os dois foram vistos andando pelo bairro Novo Eldorado e levantaram a suspeita de policiais que patrulhavam a região. Com o adolescente de 17 anos foi encontrado um revólver calibre 38 e munições.

Os militares foram à casa dele procurar drogas e outras pistas da ligação do jovem com o crime e acabaram encontrando o fuzil, escondido na laje. De acordo com a polícia, o armamento é aliado de facções criminosas.

“Eles ficam em cima da laje, no ponto estratégico onde dá pra observar entrada e saída de viaturas do local. Geralmente, eles colocam os menores para tanto fazer escolta do armamento e na venda de entorpecentes no local”, explicou o cabo Simão Pedro.

Os suspeitos foram levados para o Centro Integrado de Atendimento a Infratores (CIA), em Belo Horizonte.

LEIA MAIS

Corpo de sargento desaparecido em rio na terça-feira no RS é encontrado

Foi encontrado na madrugada desta quarta-feira (31) o corpo do sargento do Exército que desapareceu em um rio, em Santana do Livramento, Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, durante treinamento militar na tarde de terça-feira (30). Segundo o Corpo de Bombeiros, a equipe de resgate localizou o corpo por volta das 3h.
No mesmo treinamento, um soldado de 19 anos também desapareceu. O corpo dele foi encontrado ainda na terça. Os bombeiros informaram que o militar tentou ajudar o companheiro que caiu na água, mas foi levado pela correnteza. O sargento tinha 23 anos. A partir das 7h o 7º Regimento de Cavalaria Mecanizado deve dar mais informações sobre o caso.
Veja o artigo original no G1

LEIA MAIS

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Monomotor com 350 kg de cocaína faz pouso forçado em fazenda em MT

Um monomotor carregado com mais de 350 kg de cocaína fez um pouso forçado, na segunda-feira (29), em uma fazenda na cidade de Rosário Oeste (MT). Um boliviano que pilotava a aeronave foi preso em flagrante.

Segundo a polícia, a aeronave teria sofrido uma pena e precisou fazer um pouso forçado na fazenda. Quando os funcionários avistaram o monomotor, chamaram a polícia.

Segundo os agentes, o piloto teria confirmado que a cocaína vinha da Bolívia. A polícia investiga se ela estava sendo levada para Cuiabá.

Fonte: http://noticias.r7.com

LEIA MAIS

Valério oferece delação ao Supremo, informa assessoria do tribunal

A assessoria do Supremo Tribunal Federal informou que o tribunal recebeu em setembro um fax, endereçado ao presidente Carlos Ayres Britto, no qual Marcos Valério, condenado como operador do esquema do mensalão, oferece a delação premiada (dar novas informações sobre o processo em troca de benefícios).
A assessoria não informou quem enviou o fax. No documento, segundo o G1 apurou, Valério pede "proteção" em troca da delação.
Indagado pelo G1 se propôs a delação, o advogado Marcelo Leonardo, que defende Valério, respondeu somente que não comentará "especulações" sobre seu cliente. “Sobre isso, não tenho nada a declarar”, afirmou.
Acusado pelo Ministério Público de ser o operador do mensalão, Valério foi considerado culpado pelo Supremo por cinco crimes (corrupção ativa, evasão de divisas, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e peculato) e condenado a 40 anos, 1 mês e 6 dias de prisão - até o final do julgamento o tamanho da pena ainda pode mudar.
Sob condição de anonimato, um dos ministros do STF disse que, nesta altura do julgamento, ainda que Valério preste novo depoimento com informações sobre o esquema do mensalão, a iniciativa não ajudaria a reduzir a pena.
Segundo esse ministro, a única hipótese plausível para Valério ter proposto a delação premiada na reta final do julgamento é tentar evitar a prisão em regime fechado.
Com a alegação de que tem a vida sob ameaça, ele poderia – em tese – obter um regime diferenciado de detenção, como a prisão domiciliar, na hipótese de colaborar com a Justiça revelando fatos sobre o mensalão ou outros supostos crimes cometidos pelos personagens envolvidos no esquema.
“Acho que ele está temendo a vida e está querendo proteção de testemunha. Se você dá a proteção de testemunha, obviamente que o cara não pode ficar na prisão – ou tem de ficar isolado", afirmou o ministro.
Pelas regras do Supremo, o relator do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, deveria analisar o pedido. Mas é possível que o caso seja distribuído a outro ministro do STF porque, em 22 de novembro, Barbosa assumirá a presidência do tribunal.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Ministério rebate secretário e diz que governo ofereceu ajuda na segurança

O Ministério da Justiça divulgou nota nesta terça-feira (30) rebatendo críticas do secretário de Segurança Pública de São Paulo sobre a participação do governo federal no combate à violência no estado. Mais cedo, ao comentar o aumento de homicídios na capital paulista, Antônio Ferreira Pinto disse que não recebeu ajuda do governo federal na área de segurança.
Na nota, o Ministério da Justiça diz que o governo federal ofereceu apoio ao governo estadual em "diversas oportunidades". "Essa proposta foi reiterada, inclusive, em reunião do ministro da Justiça com o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, em junho deste ano, em que questões da área de inteligência policial foram debatidas", diz o texto.
Pela manhã, Pinto disse que a visita foi de "cortesia". E disse que não foi oferecida ajuda. "Ele fez uma visita de cortesia a mim no dia 29 de junho. Nada foi oferecido. E, aliás, o que o governo federal pode oferecer é inteligência. Inteligência nós já temos um relacionamento há muito tempo", afirmou o secretário.
"Fora isso, convenhamos: o que o governo federal pode oferecer? Ajuda da polícia? Nós temos uma Polícia Civil aqui altamente especializada, com mais de 30 mil homens e a Polícia Federal tem 10 mil para o país inteiro", completou em seguida o secretário.
O Ministério da Justiça afirmou que o apoio consistia na "elaboração de um plano conjunto de ações voltadas ao combate do crime organizado e da criminalidade violenta, a exemplo do que vem sendo executado por outros estados brasileiros, como o Rio de Janeiro e Alagoas, cujos índices de criminalidade, nas áreas focadas, reduziram drasticamente".
A nota informa que o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, encaminhou nesta terça ofício ao governador Geraldo Alckmin manifestando a intenção de selar um pacto, com colaboração na área de inteligência e oferecimento de vagas em presídios federais.
O governo de São Paulo divulgou uma nota na noite desta terça dizendo que "não recebeu o ofício". "Assim que o receber, adotará todas as providências para intensificar a cooperação no combate ao crime, inclusive no intercâmbio de informações para o aperfeiçoamento do controle das fronteiras. O governador Geraldo Alckmin reitera que toda colaboração do governo federal na Segurança Pública é bem-vinda. E lembra que parcerias de sucesso já ocorrem no combate à miséria, em grandes obras de infraestrutura e na habitação popular."
Recursos
No texto, o ministério diz ainda que não pode "ser um mero repassador de recursos financeiros para substituir o custeio ordinário de ações na área de segurança pública". "O orçamento do Estado de São Paulo é um dos maiores do país e, por isso, a proposta de apoio federal sempre foi feita na perspectiva da elaboração de um plano integrado de ações, com uma matriz de responsabilidades recíprocas definidas", diz a nota.
Em outro trecho, a nota rebate críticas, reiteradas durante a campanha eleitoral, sobre a atuação no governo federal nas fronteiras. A nota chama a atenção para o Plano Estratégico de Fronteiras, executado pela Polícia Federal em conjunto com o Exército. Segundo a pasta, desde junho do ano passado, as operações já desarticularam 50 organizações criminosas, apreendeu mais de 227 toneladas de drogas, 9 milhões de pacotes de cigarro, 145 mil garrafas de bebida e 1.171 armas de fogo, além de prender mais de 7,5 mil pessoas em flagrante.
"No mesmo período em que a violência sobe no Estado de São Paulo, em outros, o nível de violência caiu, como no caso de Alagoas, que teve redução de 10% de crimes violentos, sendo 20% somente em Maceió, e 83% de resolução dos inquéritos, em apenas quatro meses da atividade conjunta entre o governo do Estado e o Ministério da Justiça", conclui o texto.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

São José, Palhoça e Capital têm 15 mil casos de violência contra mulher

15 mil: este é o número de boletins de ocorrência registrados pelo crime de violência contra mulher nas delegacias especializadas de Florianópolis, São José e Palhoça, durante o ano de 2012. A quantidade alarmante representa uma triste realidade presente em vários países do mundo. Segundo especialistas, em Santa Catarina e mais especificamente na região da Grande Florianópolis, a quantidade de denúncias tem aumentado durante os últimos anos. Este é um sinal de que as vítimas desse crime estão criando coragem para denunciar os agressores.
Porém, os ataques devem ser ainda mais frequentes, uma vez que grande parte das vítimas se cala diante da violência. Para a delegada de Palhoça, Gisele de Faria Jerônimo, muitas mulheres ainda sentem vergonha de denunciar. “Elas ficam constrangidas na hora de entregar o parceiro. Então, muitas preferem ficar caladas”, diz. Uma mulher, que preferiu não se identificar, cansou de ser agredida pelo marido, e decidiu entrega-lo à polícia. “Vai acumulando. Uma hora a gente tem que dizer deu. Caso contrário isso só vai parar depois que eu estiver morta”. Relata.
Entre as três cidades pesquisadas, São José é o município com a maior quantidade de boletins de ocorrências registrados por crimes de violência contra mulher. Para o delegado Fabiano Rocha, que acompanha esses casos na região, além de denunciar, é necessário que as vítimas levem o procedimento a diante. ”Grande parte acaba desistindo após a primeira denúncia. Quando são chamadas novamente à delegacia, simplesmente não aparecem”, afirma.
Para a delegada especialista nesses casos, Ana Paula Trevisan, as vítimas ainda se sentem desprotegidas quando pensam em entregar os criminosos. “Elas temem o futuro. Pensam no que irá acontecer após a denúncia. A meu ver a lei Maria da Penha é muito bem escrita, mas acaba não tendo toda essa eficiência por conta da falta de políticas públicas”, afirma.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Polícia faz a maior apreensão de haxixe do ano no Distrito Federal

A Coordenação de Repressão às Drogas do Distrito Federal fez nesta terça-feira (30) a maior apreensão de haxixe do ano. Um homem foi preso em Sobradinho com quatro quilos da droga. Segundo a polícia, o haxixe estava enterrado no quintal da casa dele, dentro de uma lata de suplemento alimentar e de um pacote de biscoitos. O suspeito tem três passagens pela polícia, uma delas por tráfico de drogas.
O suspeito preso estava com um Voyage roubado em Ceilândia. Ele foi autuado por tráfico e receptação. O delegado informou que o dono do carro já foi localizado.
De acordo com o delegado Leonardo Cardoso, a droga veio da cidade de Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul, próximo da fronteira do Brasil com o Paraguai.
Outro homem, que segundo a polícia era parceiro do suspeito preso no DF, foi detido em Dourados (MS). Ele estava em um carro roubado no Distrito Federal.
Cardoso disse que os suspeitos levavam carros roubados no DF para trocar pela droga. A polícia ainda investiga se eles mesmos roubavam os veículos ou se faziam a encomenda.
O haxixe apreendido foi avaliado em R$ 40 mil. Segundo o delegado, cada pedra de cerca de 100 gramas da droga era vendida por R$ 1 mil. “Eles [os usuários] dividem o haxixe em pequenas porções de cerca de dois gramas e misturam na maconha e no cigarro”, disse.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Ministro da Justiça falta com a verdade, diz secretário



Ferreira Pinto, da Segurança, afirma que Estado apresentou vários projetos ao governo federal e nada recebeu

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, disse à Folha que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT), "falta com a verdade" ao afirmar que o governo federal ofereceu ajuda ao Estado para conter a onda de violência.

Em nota escrita para contestar o ministro, ele anotou: "Alguém está querendo criar desordem onde há ordem".

O secretário pede no texto: "Não politize a segurança pública. Segurança e política eleitoral devem ficar afastadas".

A informação de que o governo federal ofereceu ajuda a São Paulo e a oferta foi recusada foi publicada na Folha no sábado, na véspera das eleições.

PROJETOS

Segundo Ferreira Pinto, a secretaria apresentou vários projetos ao governo federal no valor de R$ 148,8 milhões neste ano e não recebeu um centavo de ajuda.

O Ministério da Justiça rebateu dizendo que o órgão "não é banco".

"Eu fiquei perplexo", disse Ferreira Pinto sobre a afirmação de Cardozo de que o ministério enviou emissários para ajudar São Paulo.

Isso nunca ocorreu, de acordo com ele.

SAIA JUSTA

O secretário disse que teve uma reunião com Cardozo no dia 29 de junho, mas não se falou sobre cooperação. "Falamos sobre generalidades".

No último sábado, Ferreira Pinto disse que ligou para Cardozo para pedir explicações sobre a suposta ajuda que não houve, segundo ele.

O ministro teria dito, ainda conforme o secretário, que fizera a declaração porque ficara "numa saia justa" com as críticas do governador Geraldo Alckmin (PSDB) de que o governo federal não cumpre seu papel de policiar as fronteiras.

"Essa colocação [do ministro] tem um acentuado colorido político. Isso não é bom. Eu sempre agi de forma suprapartidária", afirmou o secretário.

Na nota, ele levanta uma hipótese sobre as razões do ministro: "Meu palpite é que ele fica melindrado quando dizemos que a fiscalização de fronteiras é falha".

Uma das evidências da falha, de acordo com ele, são as 17 toneladas de cocaína apreendidas em 2011 pelo Denarc (a divisão antinarcóticos da polícia paulista).

Ele disse estranhar a afirmação do ministro porque a polícia paulista e a Polícia Federal têm ótimas relações na área de inteligência.

MUITO POUCO

Para o secretário, o governo federal nem tem condições de oferecer ajuda porque faz muito pouco na área de segurança em São Paulo.

"Há quanto tempo a Polícia Federal não faz uma operação de repercussão em São Paulo? A última foi a prisão de Abadía e El Negro", afirma, referindo-se aos traficantes Juan Carlos Ramírez Abadía, colombiano, e Carlos Ruiz Santamaría, o mexicano conhecido como El Negro.

Ambos foram presos em São Paulo em 2009.

Por MARIO CESAR CARVALHO - ROGÉRIO PAGNAN / DE SÃO PAULO

LEIA MAIS

Oficial de justiça sofre atentado ao cumprir mandado na Paraíba

Um oficial de justiça sofreu um atentando no momento em que cumpria um mandado de busca e apreensão de um veículo, no bairro do Bessa, em João Pessoa, na manhã desta terça-feira (30). De acordo com Gilvandro Inácio da Silva, ele cumpria o mandado quando o dono do veículo em questão resistiu a entrega do carro, e disparou duas vezes contra o oficial de justiça e o reboque que realizava a retirada da caminhonete Ford Ranger. O suspeito de disparar contra o oficial fugiu do local em um outro veículo.
Gilvandro Inácio explicou que o dono do veículo tomou a atitude de disparar contra o reboque quando viu seu carro sendo levado. “Era um mandado simples, que a gente cumpre todos os dias, e aconteceu este imprevisto. É a primeira vez que isso aconteceu comigo. A gente se chateia porque ao perceber como a função do oficial de justiça é espinhosa. A reação dele foi depois que a gente colocou o carro no reboque, colocou em risco a minha integridade e das outras pessoas que estavam no local”, comentou o oficila de justiça. Ainda conforme o Gilvandro Inácio, a prestação da Ford Ranger estava atrasada desde fevereiro deste ano
Segundo a Polícia Militar, o dono do veículo apreendido usou uma arma de uso exclusivo das Forças Armadas, uma pistola ponto 45. Ainda segundo a PM, nenhum dos envolvidos ficou ferido. Rondas estão sendo feitas em busca do suspeito, que segundo informações repassadas à polícia, fugiu do local com a ajuda de um filho.
Foram encontrados na residência do suspeito uma moto e pertences pessoais. A polícia irá encaminhar a ocorrência para a Polícia Civil, que decidirá se os pertences encontrados na casa do suspeito serão recolhidos para investigação. Até as 11h30 desta terça nenhum suspeito havia sido preso.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

PM e Corpo de Bombeiros de MG terão concursos para 3.975 vagas

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, autorizou na segunda-feira (29) concurso público para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, com o total de 3.975 vagas.
As novas vagas serão destinadas aos cargos de soldados da PM (1.700), soldados do Corpo de Bombeiros (800) e assistentes administrativos de nível médio (1.300) para atuar na área administrativa da PM.
As demais vagas serão voltadas a profissionais de saúde para o Hospital da Polícia Militar e unidades do interior do Estado, sendo 115 cargos para tenentes do quadro de Oficiais de Saúde e 60 de soldado do quadro de Praças Especialistas em Saúde.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Controle sobre as armas já!




Por Cândido Vaccarezza - Deputado federal (PT- SP)

Neste ano, até agora no estado de São Paulo, já foram mortos 80 policiais, a grande maioria assassinada pelo crime organizado. Este é apenas mais um dado da violência urbana no Brasil, cujos números são alarmantes.

Ao longo dos últimos 30 anos, houve mais de 1 milhão de homicídios - a esmagadora maioria provocada por arma de fogo -, o que representa uma média de 35 mil mortes por ano.

Só para se ter uma ideia, na guerra civil em Angola, entre 1975 e 2002, a média anual foi de 20 mil mortos; na invasão do Iraque, entre 2004 e 2007, 19 mil mortos; e na guerra civil salvadorenha, entre 1980 e 1992, a média foi de 7 mil mortos.

Na última década, a segurança pública passou a ser considerada um desafio ao Estado de Direito. O governo federal tomou várias iniciativas: sancionou o Estatuto do Desarmamento, em 2003; criou no ano seguinte a Força Nacional de Segurança Pública, para atuar em situações emergenciais; e em 2007 criou o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), para valorizar os profissionais da área, reestruturar o sistema penitenciário e combater a corrupção policial.

São medidas importantes, mas insuficientes; é preciso que a segurança pública entre de vez na agenda do Congresso Nacional, estados e municípios.

Está provado que a violência urbana e o elevado número de homicídios do país estão ligados à posse ilegal de armas de fogo, muitas delas roubadas de agentes do Estado pelo crime organizado.

Mas não é só isso: pesquisa do Viva Rio de 2011 mostrou que 90% das armas no país - cerca de 15 milhões - estão em poder de cidadãos comuns; desse total, 50% são ilegais. Outro problema grave diz respeito ao controle das armas das empresas de segurança privada.

As mais de 3,1 mil empresas registradas no Brasil têm em seu poder 223 mil armas de fogo. A CPI do Tráfico de Armas da Câmara Federal, entre 2005 e 2006, revelou que 17% das armas apreendidas com criminosos do Rio de Janeiro eram originárias de empresas de segurança privada.

O Estatuto do Desarmamento previa a criação de um banco de dados nacional para integrar as bases da Polícia Federal, polícias civis e do Exército, mas até hoje não houve essa integração.

Assim, no sentido de ampliar o controle do Estado sobre a posse de armas, apresentei no ano passado um Projeto de Lei (PL 2.516/11), que obriga o uso de chips eletrônicos em todas as armas existentes no país, nacionais ou importadas, dentro de um prazo de quatro anos.

Nesse chip, que é um circuito eletrônico miniaturizado para armazenamento de dados, deverão constar informações como nome do órgão ou da agência a qual a arma está vinculada, o calibre e a capacidade dos cartuchos, a espécie, a marca, o modelo e o número de série.

O texto prevê também multa diária de R$ 200 mil para os fabricantes que, ao final do prazo, não se adaptarem à legislação. Os recursos das multas deverão ser revertidos de forma complementar para instituições públicas que tratam de vítimas alvejadas por armas de fogos.

Se aprovada, essa lei permitirá que a polícia tenha mais facilidade para rastrear armas roubadas. O objetivo é que as autoridades tenham um controle mais efetivo sobre a movimentação das armas de fogo, contribuindo dessa maneira para reduzir o número de homicídios no país.

LEIA MAIS

PM do Rio de Janeiro abre inscrições para curso de formação de oficiais

A Polícia Militar do Rio de Janeiro abriu inscrições para o curso de formação de oficiais. São 60 vagas para homens e mulheres. Os interessados devem ter concluído o ensino médio, ter idade mínima de 18 anos e máxima de 30 anos. Além de altura mínima de 1.65m (no caso dos homens) e 1,60m (mulheres). Para quem já é policial militar e quer participar, não há limite de idade.
A taxa é de R$78,00 e a prova será realizada no dia 9 de dezembro no Rio de Janeiro. É feita em duas etapas: prova escrita e de títulos. Além de exames físico, psicológico e social. O curso vai acontecer na Academia de Polícia Militar, em Sulacap, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O início das aulas está previsto para março de 2013 e deve seguir até dezembro de 2015.
Para fazer a inscrição clique aqui. As inscrições devem ser feitas até o dia 25 de novembro.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Polícia Civil prende outro suspeito de matar oficial em Itararé, SP

A Polícia Civil prendeu mais uma pessoa suspeita de envolvimento na morte do tenente da Polícia Militar em Itararé (SP).
O inquérito do homicídio já foi encerrado, mas, de acordo com o delegado José Vitor Baccete, as investigações vão continuar até que todos os envolvidos sejam identificados e detidos.
Até agora, cinco adolescentes foram apreendidos e transferidos para a unidade do Brás da Fundação Casa de São Paulo (SP). Além deles, dois homens estão presos em cadeias da região.
O crime
A morte do tenente da PM Rodrigo Paes, de 24 anos, ocorreu no domingo (14) após uma briga em frente ao Clube Atlético Fronteira. O policial saía do local com quatro amigos quando houve o confronto. De acordo com a direção do clube, a briga não começou dentro do clube e que não teve relação com o baile que era realizado no local.
Quando o policial saiu, começou a briga e ele foi atingido por golpes de canivete desferidos por um dos homens que estaria do lado de fora. O policial chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

Homens armados invadem supermercado e fazem refém, no AM

Homens armados invadiram um supermercado localizado no bairro da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, e fizeram uma pessoa refém na manhã desta terça-feira (30). Toda a ação durou pouco mais de dez minutos.
Equipes da Polícia Militar, da Ronda Ostensiva Cândido Mariano e da Força Tática foram acionadas e cercaram as entradas e saída do local, mas os homens conseguiram fugir. Eles levaram dinheiro dos caixas e da casa lotérica, além de um carro, modelo Civic, de cor azul.
De acordo com a cliente Adna Moreira, que presenciou a ação dos suspeitos, pelo menos sete homens entraram no supermercado. "Eu estava no caixa, quando quatro homens entraram. Dois foram para o caixa central e outro pegou uma moça como refém. Eram seis ou sete, todos fortemente armados", disse. Ainda segundo a dona de casa, os assaltantes chegaram a agredir um idoso. Eles ainda levaram o carro dele, segundo ela.
Ainda segundo informações de testemunhas, os criminosos deixaram o supermercado utilizando um carro modelo Siena, vermelho. A polícia informou que o veículo do cliente foi localizado no bairro da Compensa, Zona Oeste.
A direção do supermercado não quis se pronunciar sobre o caso.
Fonte: http://g1.globo.com

LEIA MAIS

SP: PM prende cinco e apreende mais de 120 kg de drogas em Paraisópolis

Em operação que começou na madrugada de segunda-feira, a Polícia Militar prendeu cinco pessoas e apreendeu 125 kg de maconha e 10 kg de cocaína na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Mais de 500 PMs participam da ação. A polícia encontrou ainda 50 unidades de drogas sintéticas, 113 munições e três armas de fogo.

A favela de Paraisópolis tem cerca de 80 mil habitantes e 800 mil m² de área. O trabalho quer reduzir os furtos e roubos na região, além de apreender armas, drogas e desmobilizar pontos de tráfico de entorpecentes.

A operação utiliza policiais do Batalhão de Choque e do 16º Batalhão de Policia Militar. São 100 carros, dois caminhões, 28 motocicletas, oito cães e 60 cavalos, além de um helicóptero Águia.


Veja o artigo original no Jornal do Brasil

LEIA MAIS

Secretário diz que ordem de morte de PMs partiu de líder de Paraisópolis

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, afirmou na segunda-feira que partiu da favela de Paraisópolis, um dos principais redutos da facção criminosa PCC, a ordem de morte de pelo menos seis policiais militares. Neste ano, 88 PMs foram mortos no Estado.
A recente onda de crimes impulsionou a ação realizada na favela ontem, quando 600 policiais, divididos em turnos de 300, bloquearam todas as saídas do local para a Polícia Militar ocupar a comunidade. A ordem de matar os seis agentes, segundo a polícia, partiu de um dos principais chefes da facção criminosa, Francisco Antonio Cesário da Silva, 32 anos, o Piauí, preso em Santa Catarina em agosto. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
Segundo o secretário, outras operações serão desencadeadas nos locais "onde há maior incidência de homicídios". A ação em Paraisópolis buscava reduzir o poder de ação de criminosos, principalmente os ligados a tráfico de drogas e a roubos. Para o presidente da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis, Gilson Rodrigues, a comunidade fica preocupada em viver em uma situação de guerra, com toque de recolher. "Está todo mundo com medo e sem saber o que está acontecendo".
Para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), a cidade de São Paulo vive um "momento de maior estresse" e traficantes promovem guerra entre eles com o objetivo de se aproveitar para acertar contas entre eles. Ferreira Pinto fez avaliação semelhante. "É um momento de dificuldades pelo número de mortes, que impressiona, mas não é crise", disse.

Veja o artigo original no Jornal do Brasil

LEIA MAIS

Escola pública do Distrito Federal testa chip para monitorar alunos

Da Agência Brasil

Brasília - Por meio de um chip fixado no uniforme, uma turma de 42 estudantes do primeiro ano do ensino médio tem suas entradas e saídas monitoradas no Centro de Ensino Médio (CEM) 414 de Samambaia, cidade do Distrito Federal (DF) localizada a cerca de 40 quilômetros da área central de Brasília. O projeto piloto, que começou a funcionar no dia 22 de outubro, manda mensagem por celular aos pais ou responsáveis pelos alunos, informando o horário de entrada e saída da escola.
A diretora do CEM 414, Remísia Tavares, disse à Agência Brasil que entrou em contato com uma empresa que implanta os chips nos uniformes depois de saber que o sistema funcionava em uma escola em Vitória da Conquista, na Bahia. Segundo ela, a medida foi tomada para aumentar a permanência dos alunos nas salas de aula. "Os professores dos últimos horários reclamam que muitos alunos costumam sair antes do término das aulas. Por mais que a escola tente manter o controle, eles dão um jeito de sair da escola".
De acordo com a diretora, o monitoramento foi bem recebido pelos pais, aproximando-os da vida escolar de seus filhos. "Fizemos reuniões para saber a opinião dos pais a respeito do chip , e eles gostaram da ideia. Os pais se sentem mais tranquilos, sabendo exatamente a hora em que seus filhos entram e deixam a escola", disse Remísia.
O representante da empresa que implantou os chips nos uniformes, Bruno Castro da Costa, explicou que o sistema funciona por meio de um sensor instalado na portaria principal do colégio, que lê as informações contidas no chip cadastrado. "O sistema não altera a rotina dos estudantes. Eles entram normalmente na escola, os dados são passados para o computador e, 30 segundos depois, os pais são notificados. Uma mensagem é enviada quando o aluno entra na escola e outra no momento da saída. Apesar de ficar registrado também na direção do colégio, o sistema não substitui a chamada de presença em aula. Também estão sendo registradas as entregas de boletins ou outros eventos, e a direção pode utilizar o programa para encaminhar o recado ao celular cadastrado", acrescentou Costa.

Charles de Oliveira, também representante da empresa responsável, disse que o sistema poderá futuramente otimizar o tempo de estudo nas salas de aulas. "Os professores perdem cerca de 20 minutos para realizar as chamadas durante as aulas. Futuramente, isso pode acabar, pois será registrada a presença automaticamente. Além disso, estamos estudando formas para que o sistema contribua também com os programas do governo, acelerando a divulgação de dados".

Os estudantes Bárbara Coelho, 16 anos, e Jefferson Alves, 15 anos, não se incomodam com o monitoramento pelo chip . "Eu acho que é uma boa maneira de os nossos pais ficarem mais tranquilos e até confiar mais, sabendo que estamos na escola. Eu não me sinto inibida, pois sempre frequentei as aulas", disse Bárbara. "Só quem tem costume de matar aula vai se incomodar, já que agora os pais vão ficar sabendo", completou Jefferson.
No dia 13 de novembro, um relatório será enviado ao Conselho de Educação da escola e à Secretaria de Educação do Distrito Federal com os resultados da experiência. Caso o sistema seja aprovado, a fixação dos chips
no CEM 414 deverá ser ampliada para os 1,8 mil alunos da instituição no próximo ano.
Edição: Graça Adjuto


LEIA MAIS

OAB: reforma do Código Penal é um retrocesso na democracia do país

O anteprojeto de reforma do Código Penal, elaborado de modo açodado por uma comissão de juristas, atualmente em fase de tramitação no Senado Federal, vai representar um retrocesso para a democracia brasileira. A afirmação é do presidente da OAB do Rio de Janeiro (OAB-RJ), Wadih Damous, que promove amanhã (31), na sede da entidade, a segunda etapa do seminário sobre a reforma do Código Penal. O Brasil possui a quarta população carcerária do mundo e um déficit de 200 mil vagas nos estabelecimentos prisionais.
Segundo Damous, não há dúvida de que o Código Penal brasileiro, em vigor desde 1942 e inspirado no código da Itália fascista de Mussolini merece ser reformado. A questão é: como deve ser feita a reforma? Quais condutas merecem ser criminalizadas? Que políticas criminais e penitenciárias nosso país deve adotar? Com o desafio de unificar em um único código toda a legislação penal aprovada nas últimas décadas, a comissão não teve tempo de incorporar propostas da sociedade, tampouco de especialistas em Direito criminal.
No anteprojeto a comissão de juristas - disse - chegou a aumentar penas e dificultar a concessão de benefícios aos que já estão presos, além de considerar, equivocadamente, que a prisão pode ser a solução para todos os males. No entanto, segundo ele, há algo de bom no atual debate: a proposta de reforma do Código Penal trouxe à tona para discussão temas considerados tabus e há muito evitados: aborto, eutanásia e prostituição.
O presidente da OAB acentuou que são temas impregnados de preconceitos e que precisam ser discutidos de modo multidisciplinar. Todos estes temas serão analisados em evento que acontecerá na sede da OAB-RJ amanhã (31) e no próximo dia 7, sempre a partir de 9h30. A entrada é franca no auditório "Ministro Evandro Lins e Silva" e vão participar dos debates juristas, médicos, psicólogos e líderes sociais.

Veja o artigo original no Jornal do Brasil

LEIA MAIS

Perseguição termina com um suspeito ferido e outro preso no Rio

Um suspeito foi ferido e o outro preso após uma perseguição na Zona Norte do Rio de Janeiro, na madrugada desta terça-feira (30), conforme mostrou o Bom Dia Rio.
Quatro criminosos estavam em uma camionete na altura da Radial Oeste, no Maracanã. Os policiais pediram para o motorista para o veículo, mas ele não obdeceu a ordem e acelerou.
Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira também perseguiram os suspeitos, que foram detidos em Benfica, quando a camionete bateu em uma barraca de lanches. De acordo com a polícia, o grupo desceu atirando. Dois homens conseguiram fugir.
Rafael Machados dos Santos, de 19 anos, foi baleado e levado para o Hospital Souza Aguiar, no Centro. Ronald de Souza de 24 anos foi preso depois de tentar fugir pulando o muro de uma casa. Dentro do veículo, os policiais apreenderam uma pistola.
À polícia, os criminosos disseram que são moradores do Conjunto de Favelas de Lins de Vanconcelos. O caso foi registrado na 21ª DP (Bonsucesso).
Para ler mais notícias do G1 Rio, clique em g1.globo.com/rj. Siga também o G1 Rio no Twitter e por RSS.

Veja o artigo original no G1

LEIA MAIS

Cantor morre após bater em carro da polícia na GO-515, em Goiatuba


Boni Júnior fugia após ser flagrado fazendo manobras perigosas, diz PM.
Um policial militar também ficou ferido no acidente; caso será investigado.


Um cantor de Goiatuba, no sul de Goiás, morreu e um policial militar ficou gravemente ferido depois de se envolverem em um acidente na GO-515, que liga Panamá a Goiatuba, no domingo (28).

Segundo a polícia, o cantor José Bonifácio Sobrinho Júnior, conhecido na região como Boni Júnior, tinha 28 anos e estaria fazendo manobras perigosas na cidade de Panamá quando percebeu a presença da PM e teria tentado fugir para Goiatuba.

Uma barreira foi montada na pista para deter o músico, mas ele não teria parado e bateu no carro da polícia. O músico morreu no local e um dos policiais militares, que estava em serviço, foi atropelado e ficou gravemente ferido.

“A gente depende vários fatores. Nós solicitamos todo o apoio necessário que exige a ocorrência, polícia, perícia, delegado. Então, todas as entidades de segurança que fazem parte foram informadas. Nós informamos nossos superiores e todas as medidas foram tomadas. Então, futuramente nós vamos esclarecer os fatos, após a perícia e os dados concretos que nós tivermos em mãos”, esclarece o major Júlio César Antunes Maciel.

Investigação
Muito abalada, a família do cantor não quis gravar entrevista, mas informou que as circunstâncias do acidente ainda não foram esclarecidas e aguardam a elucidação do caso.

A Polícia Civil vai começar a investigar o caso. O delegado de Goiatuba, Gustavo Carlos Ferreira, instaurou o inquérito, mas disse que vai aguardar o resultado dos laudos da Polícia Técnico-Científica para começar a ouvir depoimentos do caso. O prazo para divulgação dos laudos é de até dez dias. Segundo a Polícia Militar, o soldado foi encaminhado para Goiânia em estado grave.

LEIA MAIS

Suspeito de assaltos morre após abordagem policial em Porto Alegre

Um homem de 32 anos, suspeito de cerca de 120 assaltos na Zona Norte de Porto Alegre, morreu na noite desta segunda-feira (29) após reagir a uma abordagem policial, segundo a Brigada Militar. Ele guardava objetos dentro de um baú de moto quando policiais chegaram, em uma praça no Bairro Petrópolis. O homem costumava usar uma moto para se aproximar dos alvos na rua. Pela dificuldade que a polícia tinha em prendê-lo, foi apelidado de "Motoqueiro Fantasma".


"Estávamos em patrulhamento e avistamos ele no interior de uma praça, colocando objetos no interior do baú. Quando me aproximei foi uma surpresa, porque ele já estava com a arma na mão. Ele jogou a moto pra cima de mim e eu efetuei os disparos", conta o soldado da Brigada Militar Marcelo Costa e Silva.


Segundo a BM, o suspeito conseguiu fugir da polícia pelo menos 10 vezes na região onde costumava assaltar. Ele se passava por motoboy, com roupas e capacete escuros, e abordava pedestres em bairros nobres como Petrópolis e Bela Vista. Conforme relatos de moradores à polícia, ele levava pertences das pessoas como bolsas, mochilas e eletrônicos.


"Ele agia com naturalidade pelo fato de o pessoal achar que era um motoboy pedindo endereço. Quando a pessoa se aproximava, ele efetuava o assalto", explica o policial.


A polícia pede para que as vítimas de assaltos do motoqueiro compareçam à 8ª Delegacia de Polícia, no Bairro Petrópolis, para fazer o reconhecimento do homem morto.


Vídeos mostram ação do homem
Recentemente a polícia divulgou vídeos de câmeras de segurança que flagraram a ação do homem nas ruas, abordando pedestres e levando seus petences. A Brigada Militar e a Polícia Civil tentavam capturar o suspeito há cerca de três meses.


Veja o artigo original no G1

LEIA MAIS

Publicidade Google

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO