sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Após parar carro, unidade da PM é alvo de tiros em Campinas





Uma unidade móvel da Polícia Militar, em ação na avenida Ibirapuera, Vila Castelo Branco, em Campinas, foi alvo de tiros na madrugada desta sexta-feira. O ataque ocorreu após os policiais suspeitarem de um carro e determinarem sua parada. Os disparos, no entanto, partiram de outro veículo, que vinha atrás e deixou o local em alta velocidade. O homem que conduzia o primeiro carro foi detido para averiguação.

Ninguém ficou ferido no ataque, que foi a segundo investida contra um oficial na cidade. A primeira ocorreu na quarta-feira, quando um agente do Complexo Penitenciário Campinas-Hortolândia foi baleado por um tiro enquanto dirigia pela rodovia Jornalista Francisco Aguirra Proença (Campinas-Monte Mor). O disparo perfurou a lataria do bagageiro do carro, atravessou os bancos e atingiu o agente nas costas.

A PM, no entanto, acredita que os dois casos não têm ligação entre si e nem com os ataques contra policiais registrados na Grande São Paulo e Baixada Santista nos últimos meses. Outra ocorrência que poderia ter motivado o ataque de ontem, a prisão de 27 pessoas suspeitas de integrarem o Primeiro Comando da Capital (PCC), também foi descartada.

Ação prende 27
A operação foi coordenada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Publico Estadual. A investigação iniciou há dez meses. O MP diz ter localizado quatro comandos do PCC em Campinas. Duas dessas lideranças foram presas, junto com outros 25 suspeitos. Dois homens não foram localizados e são considerados foragidos da Justiça. A ação apreendeu 70 kg de maconha, 7 kg de cocaína, um fuzil 556, duas espingardas calibre 12, outras 11 armas, duas granadas, coletes a prova de bala e R$ 10 mil em dinheiro.

Por ROSE MARY DE SOUZA

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO