quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Até a Olimpíada de 2016, PM vai receber investimentos de R$ 1,4 bilhão





Alguns dos 36 projetos já estão em andamento, como o Comando de Operações Especiais


Até 2014, mais 12 UPPs serão implantadas no Rio

A segurança pública será prioridade no Rio de Janeiro em vista da Copa do Mundo e das Olimpíadas. A Polícia Militar informou que, até 2016, investirá R$ 1,4 bilhão. O dinheiro deve ser usado em 36 projetos, alguns já concluídos e em fase de implantação.

Um dos mais ambiciosos é a criação do Complexo de Operações Especiais, em Ramos (zona norte), onde ficarão todas as unidades especiais, com 2.600 homens que serão treinados com a doutrina do Bope (Batalhão de Operações Especiais). A expectativa é de que o complexo esteja pronto até o final do ano que vem.

O coronel Alberto Pinheiro Neto, chefe do Estado-maior operacional da PM, diz que os projetos vão dar condições à PM de atender melhor à população. Segundo ele, para os grandes eventos, a participação da polícia ainda será definida.

— Ainda não temos a definição da nossa atuação na Copa e na Olimpíada. Vamos ver o que o Ministério da Defesa e o da Justiça vão decidir. Acredito que alguns projetos serão realizados em função da nossa atuação.

Entre os projetos elaborados pela PM, estão a modernização das unidades, como batalhões, que deverão passar por reformas, assim como a mudança nos uniformes e viaturas. Estão previstos também investimentos em tecnologia. Serão comprados 2.000 palms (computadores de mão) para ajudar a polícia a ter acesso a informações e bancos de dados a qualquer momento e em qualquer lugar. Todas as viaturas da PM também serão equipadas com câmeras.

Um novo hospital da PM será construído em Ramos, onde ficará o Complexo de Operações Especiais, com 400 leitos. O BPTur (Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas) deixará o prédio do Batalhão de Copacabana (19º BPM) e terá sede própria em Santa Teresa, onde funcionava o hospital 4º Centenário.

Até 2014, o Rio ganhará outras 12 UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), completando um total de 40. Parte do dinheiro será aplicado em cursos promovidos pela PM para capacitar os policiais.

Delegacia para UPPs

As informações foram passadas durante entrevista, na última terça-feira (2), na qual foram apresentados os resultados de um ano do comandante-geral, coronel Erir Ribeiro da Costa Filho, à frente da corporação. Ele anunciou a criação de uma delegacia específica para apurar desvios de conduta praticados por policiais que atuam nas UPP.

A DEPJM (Delegacia Especial de Polícia Judiciária Militar), órgão subordinado à Corregedoria Interna da PM, funcionará como as delegacias já existentes, mas vai fiscalizar especificamente PMs que trabalham em UPPs. Para o corregedor, coronel Waldir Soares Filho, a criação da delegacia acontece porque a 1ª DPJM, responsável pela capital, teve um aumento de demanda com a criação das UPPs.

— Atualmente, os policiais das UPPs são fiscalizados pela 1ª DPJM, mas são quase 7.000 policiais. A demanda se tornou impraticável. A DPJM tem equipes de supervisão. Assim, aumentou a demanda de unidades a serem supervisionadas.

A previsão é de que a DEPJM comece a funcionar até o fim do ano. Também foi anunciada a crianção do NOI (Núcleo de Ações de Inteligência). O coronel Waldir explicou que o objetivo é tornar a corregedoria mais proativa.

— A lógica é construir o conhecimento, detectar focos potenciais de desvio de conduta. Queremos saber a origem e como os desvios vão se desenvolvendo. A partir disso, vamos investigar para que estes focos sejam debelados.

Por Marcelo Bastos

Fonte: R7

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO