quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Comando da PM de Araçatuba nega participação de policiais em crime





Testemunhas afirmam que detento foi executado por policiais fardados.
Tenente abre possibilidade de criminosos usarem fardamento ilegalmente.

A Polícia Militar de Araçatuba (SP) falou nesta quinta-feira (18) pela primeira sobre as investigações que apuram o suposto envolvimento de policias na morte de um preso beneficiado pela saída temporária do Dia das Crianças. Testemunhas afirmaram que ele foi executado por policiais.

Durante uma entrevista coletiva, o Tenente Coronel do batalhão, Carlos Alberto Coelho Salesse, disse que além do Ministério Público, o caso também será acompanhado pela Ouvidoria e Corregedoria da Polícia Militar. Segundo o tenente, cinco balas calibre 9 milímetros foram encontradas no local do crime e a munição não pertence a polícia, que usa armas calibre .40 e não são autorizados a adquirir esse tipo de armamento. “Agora, vamos aguardar o exame de balística. As armas de todos os policiais que trabalham no dia do acontecimento foram recolhidas”, disse Salesse.

Quatro testemunhas foram ouvidas e, segundo o comandante, divergiram sobre vários detalhes. “Uma pessoa disse ter reconhecido dois policiais e os apontou. Outra não. Além disso, houve divergências no reconhecimento e nas características físicas e de vestimentas”, comentou o tenente.

Por enquanto, os policiais trabalham normalmente. Ainda segundo o tenente, os dois policiais citados pelas testemunhas são conhecidos na cidade e um deles teria recebido ameaças. “Sabemos que um dos policiais citados estava sendo ameaçado, mas atribuímos isso ao tipo de trabalho que ele faz, que é nas ruas, combatendo o crime organizado. Existe a possibilidade de alguém ter usado fardamento policial para cometer o crime. Tudo isso será investigado”, afirmou Salesse.

Como aconteceu
A Polícia Militar de Araçatuba (SP) abriu inquérito nesta quarta-feira (17) para investigar o que aconteceu. A vítima, Luciano Luiz de Souza, cumpria pena por furto, roubo, tentativas de homicídio, dano e lesão corporal em Valparaíso (SP). Ele estava preso há 15 anos e foi a primeira vez que a vítima foi beneficiada pela saída temporária.

O detento estava em Araçatuba visitando uma namorada e foi morto quando saia da residência. É justamente a mulher que acusa os policiais de terem cometido o crime. Em depoimento, ela deu detalhes de como os suspeitos teriam agido. Outras três testemunhas disseram ter visto o crime ser cometido por homens fardados.
Polícia investiga o possível envolvimento de PMs no crime 
(Foto: Reprodução / TV Tem)

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO