terça-feira, 30 de outubro de 2012

Investigação sobre corrupção cita Nelson Jobim




Rio -  O ex-ministro da Defesa e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim é citado em investigação da promotoria de Nápoles, na Itália, em que é acusado de ter recebido comissão na venda de 11 embarcações italianas ao governo brasileiro.
As investigações apontam indícios de corrupção em transações internacionais da empresa Finmeccanica, que tem 30% de controle do governo italiano. Uma das negociações envolve uma venda no valor de 5 bilhões de euros para o Brasil, sobre a qual incidiria uma comissão de 11% que seria destinada ao ex-ministro italiano de Desenvolvimento Claudio Scajola, a Massimo Nicolucci (porta-voz do ministro), e a Jobim.
O depoimento que cita o ex-ministro da Defesa foi dado por Lorenzo Borgogni, ex-chefe de Relações Institucionais da Finmeccanica aos procuradores Vincenzo Piscitelli e Henry John Woodcock, em novembro do ano passado.
Trechos do depoimento foram publicados na semana passada pela imprensa italiana, como a agência de notícias Ansa e os jornais La Reppublica e La Stampa. Neles, Borgogni afirma que o canal entre Itália e Brasil era o ex-ministro italiano de Desenvolvimento Claudio Scajola que, mesmo não sendo o titular da pasta de Indústria, tinha boa relação com Jobim.
Em entrevista ao jornal italiano La Stampa, o ex-ministro negou envolvimento com o caso: “Se eu tivesse recebido algo em torno de 225 milhões de euros, eu ainda ia passar meus dias entre papéis e tribunais?”, disse Jobim ao La Stampa. Jobim deixou o Ministério da Defesa em agosto de 2011 e voltou a trabalhar em seu escritório de advocacia em Brasília. A assessoria do ex-ministro não retornou as ligações.
Veja o artigo original no O DIA ONLINE, canal Brasil

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO