segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Mais de 40 pessoas são baleadas em fim de semana violento





Dos atingidos, 26 morreram, 8 só entre a noite e a madrugada

Do R7, com Balanço Geral

Cristiano Novais/CPN/Estadão Conteúdo

Uma pessoa morreu e duas ficaram gravemente feridas em São Mateus, na zona leste. Homens em um carro passaram atirando contra as pessoas que estavam em frente a este bar

O fim de semana foi violento em várias regiões da capital e região metropolitana. Pelo menos 42 pessoas foram baleadas e, dessas, 26 morreram.

Pela quinta madrugada seguida, foram registrados vários assassinatos em São Paulo. Ao menos oito pessoas foram mortas a tiros e três ficaram feridas nas zonas leste, norte e sul de São Paulo. Nenhum suspeito dos crimes foi preso.

No Pari, na região central, dois motoqueiros chegaram atirando em um bar. A mulher do proprietário, de 37 anos, levou um tiro no pé. Durante o tiroteio, um dos clientes também foi baleado no pé. Um terceiro homem, de 38 anos, foi atingido por três tiros. Nas costas, no peito e no ombro. Todos foram levados a um hospital da região e não correm risco de morte.

Segundo a polícia, um dos feridos já tem antecedentes por tráfico de drogas. Pessoas que estavam no bar contaram aos policiais que os suspeitos atiraram na direção dele. As outras duas pessoas foram baleadas por acaso. Testemunhas disseram que os motoqueiros usavam toucas ninja por baixo do capacete. A moto estava sem placa.

Também na região central, no Glicério, pelo menos quatro pessoas que estavam em uma padaria foram baleadas. Os disparos partiram dos ocupantes de uma moto. Os feridos foram socorridos pela Polícia Militar, pela Guarda Civil e por populares.

No Brás, um homem foi encontrado caído na rua depois de levar um tiro. Mais uma vez o autor do disparo seria o garupa de uma moto.

Em uma praça no bairro Jardim João 23, na zona leste, um homem morreu e dois ficaram feridos depois de serem baleados. Um deles levou oito tiros e não resistiu. Os outros dois homens foram levados ao hospital e não correm risco de morte. Os suspeitos teriam usado uma moto para realizar os ataques.

Na mesma região, na Vila Formosa, foram quatro baleados. Policiais disseram que eles usavam drogas no momento que foram atingidos por motoqueiros. Todos foram socorridos em estado gravíssimo.

No bairro Aricanduva, um assalto que deu errado resultou na morte do suspeito. Segundo os policiais, ele e um comparsa tentaram roubar um carro, mas o motorista estava armado e atirou. Um dos bandidos foi atingido três vezes e morreu na hora. O outro homem escapou. O motorista que reagiu também fugiu do local.

Em São Mateus, três pessoas foram baleadas na rua Tita Rufo, em São Mateus, zona leste de São Paulo, durante esta madrugada (29). Segundo a Polícia Militar, eles estavam em frente ao um bar que já estava fechado quando um carro passou com pessoas atirando e fugiu. Duas pessoas ficaram gravemente feridas e foram socorridas nos hospitais da região. A terceira vítima não resistiu aos ferimentos e morreu.

Em Sapopemba, um homem morreu baleado, na noite deste domingo, na avenida Custódio de Sá e Faria.

Na zona norte, duas pessoas foram baleadas, por volta das 23h de domingo, na rua São José Serzedelo, no bairro do Jaçanã. Segundo a polícia, ainda não se sabe como aconteceu o crime. As vítimas foram levadas ao pronto-socorro São Luiz Gonzaga.

Na zona sul, um rapaz foi morto a tiros, na madrugada desta segunda- feira, na rua Manuel Camisa Nova, no Jardim São Luís, região do Parque Santo Antônio. Segundo a Polícia Militar, dois jovens estavam a pé quando foram atacados por quatro criminosos que ocupavam duas motocicletas.

Os dois homens que estavam na garupa efetuaram vários disparos em direção aos rapazes, atingindo um deles. O outro correu e conseguiu escapar. A vítima ainda foi socorrida por policiais militares e encaminhada ao Hospital Municipal Doutor Fernando Mauro Pires da Rocha, na Estrada de Itapecerica, no Campo Limpo, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

Helio Torchi/Estadão Conteúdo
Na zona sul, um rapaz foi morto a tiros, no Jardim São Luís, região do Parque Santo Antônio

Em Guarulhos, uma base da PM foi alvo de atiradores. Quatro homens em duas motos passaram atirando. Nenhum policial se feriu. Os suspeitos não foram encontrados.

As últimas horas de sexta-feira e o começo de sábado também foram violentos na capital e na região metropolitana. Já no fim da noite, a polícia fazia buscas por três suspeitos de cometer uma chacina em Carapicuíba. Pouco antes, o carro onde eles estavam foi visto por moradores da região. O veículo parou em frente a um bar. Dois homens encapuzados desceram e abriram fogo.

No bar, estavam três clientes e um funcionário. Todos foram baleados. Pelos cartuchos e cápsulas encontrados no local, os suspeitos usaram duas armas, uma espingarda calibre 12 e uma pistola 380. Todos os feridos foram socorridos, mas morreram no hospital.

A família de um deles, de 24 anos, conta que o jovem era usuário de drogas. Outra vítima, de 32 anos, era vigilante. Segundo os familiares, o funcionário morto tinha acabado de assumir a gerência do bar. As outras vítimas eram clientes do local.

Em Barueri, o cenário da violência foi uma praça onde um grupo de jovens conversava. Dois homens chegaram em um moto e o garupa sacou o revólver e atirou. Um jovem de 21 anos e uma adolescente de 17 anos morreram baleados. Uma jovem de 21 anos, também atingida, está internada.

Na zona leste de São Paulo, os disparos também partiram de motoqueiros. Quatro pessoas que estavam em frente a um bar e na casa ao lado foram baleadas. Segundo os policiais, não havia médicos no hospital para onde elas foram levadas e tiveram que ser transferidas. Dois dos feridos não resistiram e acabaram morrendo.

A apenas 2 km dali, mais duas pessoas morreram da mesma maneira, atingidas por ocupantes de uma moto que passaram atirando. Elas também estavam em frente a um bar.

Na mesma região, um homem foi encontrado morto por policiais em uma avenida.

Na zona oeste paulistana, um carro da PM foi alvejado por dois motoqueiros. Os policiais não se feriram e revidaram. Os autores dos disparos acabaram sendo perseguidos e presos.

O Secretário de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, diz que o governo do Estado tenta descobrir o motivo da recente onda de violência.

— O crime é bem organizado. Nós temos interesses de prendê-los todos vivos para saber a causa, a motivação de todos eles.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO