segunda-feira, 15 de outubro de 2012

PM diz que policial não foi alvo de ataque planejado em Ribeirão Preto





O capitão da Polícia Militar Rafael Jeronimo Melo descartou nesta segunda-feira (15) que o caso do policial baleado com dois tiros na noite de domingo (14), em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), tenha sido um ataque planejado.

Ele afirmou que a hipótese mais provável é que tenha havido uma tentativa de assalto.

Por volta das 21h30 deste domingo, o capitão Paulo Sérgio Fabbris, 43, foi baleado no Jardim Irajá, em Ribeirão. Ele foi cercado por dois homens, quando dirigia sua camionete Ranger pela rua Chile, e revidou.

Cristovão Fernando Caroba Galego, 22, levou dois tiros no rosto e morreu no local. Clovis Almeida de Souza Junior, 19, foi baleado no abdome. Ele foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e passou por uma cirurgia. Seu quadro é estável.

O policial militar foi atingido na perna e na região da bacia. Mesmo ferido, dirigiu a camionete até o HC (Hospital das Clínicas), onde foi atendido. Ele foi liberado nesta segunda e já está em casa.
Márcia Ribeiro/Folhapress 
O capitão Rafael Jeronimo Melo em entrevista no quartel da PM, em Ribeirão Preto

"Estive no local e sinceramente não acho que alguém fosse tentar matar o capitão Fabbris com um revólver calibre 38", afirmou Melo.

Ele disse que, se fosse um atentado, provavelmente a dupla teria utilizado armas mais potentes. Fabbris é instrutor de tiros da PM.

Melo também diz que a ação não parece ser um ato orquestrado pelo PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa que age dentro e fora dos presídios paulistas.
"O caso está sendo investigado", fala.

A Polícia Civil também trabalha com a possibilidade de tentativa de roubo.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO