quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Novo secretário da Segurança de SP assume com pressão por resultados




O novo secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, assumiu o cargo na manhã desta quinta-feira, no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona sul da capital Paulista. O posto era ocupado desde março de 2009 por Antonio Ferreira Pinto, que deixa a pasta em meio a uma grande crise de violência que vem atingindo o Estado.

Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da PUC de Campinas, em 1979, Grella se tornou conhecido ao ocupar os cargos de procurador da Fazenda Nacional e procurador do Estado de São Paulo, função que exerceu entre dezembro de 1981 a maio de 1984, quando saiu para entrar no Ministério Público do Estado.

Na área da Segurança Pública, Grella atuou nas equipes de Repressão a Estelionato e outras Fraudes, Repressão a Delitos Diversos, Repressão a Roubos, além do Núcleo de Controle e Regularização do Parcelamento do Solo Urbano.

Nos anos de 2002 e 2003 foi eleito para atuar no Conselho Superior do Ministério Público do Estado de São Paulo. Finalmente, em 2008, foi eleito procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo por dois anos, estendendo seu mandato por mais dois, até 2012.

A vasta experiência em várias áreas da Segurança foi importante para escolha do governador Geraldo Alckmin, que luta contra uma crise difícil de ser contornada e que já contabiliza mais de mil assassinatos apenas na capital em 2012, mais do que todo o ano passado.

Passagem de bastão

O ex-secretário de Estado da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, afirmou que deixa o cargo com a sensação do dever cumprido. "Atuamos fortemente no combate à criminalidade e na reestruturação das polícias, com ganhos inegáveis nestes últimos anos", disse , ao agradecer o governador Geraldo Alckmin pela "confiança e oportunidade" de desenvolver os projetos à frente da Secretaria de Segurança Pública.

Ferreira destacou o combate à corrupção nas polícias e o "empenho de criar novas formas de gestão para atender de maneira mais adequada aos cidadãos".

Procurador de Justiça do Ministério Público, Ferreira fez um rápido balanço de gestão, com destaque para as quedas nos números de homicídios e a implantação de mudanças estruturais nas polícias.

Onda de violência

Desde o início do ano, ao menos 93 policiais foram assassinados no Estado. Desse total, 18 eram aposentados e três estavam em serviço. Além disso, o Estado continua a enfrentar um grande índice de violência. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, só na capital houve um crescimento de 102,82% no número de pessoas vítimas de homicídio no mês de setembro, em comparação ao mesmo período do ano passado. Em todo o Estado, a alta foi de 26,71% no mesmo período.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO