quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Polícia identifica autor dos disparos contra policial baleado na Capital




Suspeito é um adolescente de 17 anos, já identificado pela vítima do crime.
Foi expedido mandado de busca e apreensão contra o suspeito.

Polícia faz buscas no bairro para encontrar autor dos disparos 
(Foto: Andrey Sousa/RBS TV)

Após investigações, a Polícia Civil conseguiu identifcar o suspeito de ter feito os disparos contra o policial baleado na comunidade de Vila União, em Florianópolis, no dia 31 de outubro. Trata-se de um adolescente de 17 anos, que foi reconhecido pela vítima. Foi expedido mandado de busca e apreensão contra o suspeito, mas, até as 16h desta quarta (7), ele ainda não tinha sido localizado.

De acordo com a Polícia, 150 agentes civis e militares que compareceram ao local do crime estiveram envolvidos nas investigações. Os policiais acreditam que os disparos foram feitos com uma pistola calibre 380 mm. “A motivação do delito ainda é desconhecida, porém há fortes indícios de que o crime tenha sido encomendado por um líder do tráfico na região da Vila União”, disse o delegado Eduardo Mattos, responsável pela investigação.

Entenda o caso

O policial civil foi baleado na tarde de quarta-feira (31) por volta das 16h20 no Norte da Ilha, em Florianópolis. Segundo a Polícia Civil, ele sofreu o atentado quando foi entregar uma intimação na comunidade de Vila União.

Segundo a Polícia Civil, o policial levou dois tiros na região do tórax e outro no pescoço. Ele teve que dirigir até a rodovia SC-401 para ser socorrido e foi transportado até o heliporto da Avenida Beira-Mar Norte pelo Corpo de Bombeiros. Ele foi levado até o Hospital Celso Ramos, estava consciente e falando, segundo a Polícia. Os policiais realizaram buscas nas residências e sobrevoando a comunidade para tentar encontrar o autor dos disparos. O policial que sofreu o atentado recebeu alta no dia 1° de novembro.

O delegado-chefe da 1° DP, Ênio Mattos, descartou a possibilidade de uma ligação entre os disparos efetuados contra esse policial e a morte de outros agentes, como Deise Fernanda Melo Pereira Alves, assassinada com um tiro na sexta (26). Porém, ele acredita que possa ter sido uma represália. "Possivelmente foi uma vingança de alguém contra um policial. Porém, não acho que dá para ligar um ao outro", comentou.

Por Joana Caldas

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO