quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Agentes penitenciários suspendem escoltas de presos por 24 horas




Os agentes abriram uma exceção e levaram até o Fórum Lafayette, no Bairro Preto, em BH, os seis integrantes da Galoucura que serão julgados nesta manhã. A paralisação é nacional em protesto ao veto do projeto de lei que concede porte de arma federal

Agentes penitenciários de Minas Gerais fazem uma paralisação de 24 horas nos serviços de escolta nesta quarta-feira em protesto ao veto da presidente Dilma Rousseff (PT) ao projeto de lei que concede porte de arma federal para os agentes. O movimento é nacional coordenado pela federação Sindical Nacional dos Servidores Penitenciários (Fenaspen). Além de Minas, funcionários de outros 14 estados também estão com algumas atividades paralisadas hoje. 

De acordo com o Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciaria do Estado de Minas Gerais (SINDASP-MG), serão feitos transporte de presos somente em casos de urgência e emergência. Os agentes abriram uma exceção e levaram até o Fórum Lafayette, no Bairro Preto, em BH, os seis integrantes da Galoucura que serão julgados nesta manhã. Segundo o sindicato, o caso tem grande clamor social e seria inviável impedir o júri que já foi adiado uma vez. Os presos já estão no tribunal aguardando início da sessão. 

O sindicato disse que informou ao Poder Judiciário sobre a suspensão de escoltas para dar tempo de remarcações de audiências, porque os detentos não saíram das 132 unidades prisionais de Minas hoje. Em fevereiro os agentes vão se reunir novamente para discutir os rumos do movimento e ameaçam uma greve nacional. O em.com.com.br entrou em contato com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) para saber como está o serviços nas penitenciárias e aguarda retorno.

Por Luana Cruz / Estado de Minas

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO