sábado, 23 de fevereiro de 2013

Mais de 200 armas e munições apreendidas em MT são destruídas






Armas devem ser destruídas pelo Exército, segundo Tribunal de Justiça.
Material foi recolhido em processos judiciais de sete comarcas.


Quase 250 armas de fogo e munições que foram apreendidas pela Justiça em Mato Grosso devem ser destruídas pelo Exército Brasileiro. O material foi entregue nesta quarta-feira (20) pelo Tribunal de Justiça do Estado ao 44º Batalhão de Infantaria Motorizada, em Cuiabá. Conforme o TJMT, as armas e munições são referentes a processos judiciais de sete comarcas. São elas: Alta Floresta, Chapada dos Guimarães, Nova Brasilândia, Paranaíta, Primavera do Leste, São Félix do Araguaia e Vila Rica.

Antes de serem encaminhadas para destruição, as armas passaram por perícia e cadastramento nas comarcas. De acordo com o capitão Darwin Salgado Germano, assessor militar do Fórum de Cuiabá, o procedimento é necessário para evitar que as comarcas sejam invadidas por criminosos. "A população fica mais tranquila porque as armas são tiradas de circulação e inutilizadas”, explicou o assessor militar do Fórum de Cuiabá, capitão Darwin Salgado Germano.

O recolhimento frequente é feito por determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Conforme a assessoria do Tribunal, a quantidade de armas apreendidas tem diminuído com o passar dos anos. Em 2011, por exemplo, foram cerca de cinco mil e, em 2012, o número caiu para 824 e até agora, em 2013, não passaram de 250 armas.

O Exército deve providenciar a inutilização do armamento por corte, solda, fogo ou por qualquer outra forma para que as armas não representem mais nenhum risco. Em seguida, o metal restante é destinado a uma unidade militar de Campo Grande (MS), responsável por encaminhar o material a uma siderúrgica para fundição.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO