terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O eixo PT-Havana







Carta ao Leitor

A indecente intromissão dos comunistas cubanos na vida política da vizinha Venezuela atingiu o estágio de matriz e colônia. Apesar da enorme e indevida reverência que alguns petistas nutrem pela entrevada ditadura dos irmãos Castro,Brasília vinha se mantendo fora da área de ação dos cubanos. O Brasil não podia ser descrito como um país-satélite de Havana, a despeito de alguns episódios degradantes ocorridos durante o governo Lula — o mais condenável deles foi a prisão dos lutadores de boxe cubanos em busca de asilo no Brasil, que, em total desrespeito aos direitos humanos, foram entregues à soldadesca política da dinastia Castro. Uma reportagem desta edição mostra que o campo de força contra a perniciosa influência cubana no Brasil é cheio de furos.

Os repórteres de VEJA descobriram que alguns integrantes do PT e gente poderosa do Palácio do Planalto entraram em conluio com Havana para tentar desqualificar a blogueira cubana dissidente Yoani Sánchez, que, depois de intensa pressão internacional, recebeu permissão do governo para deixar a ilha e visitar o Brasil. Yoani é uma lutadora solitária contra a ditadura dos irmãos Castro. Ela envia suas mensagens e pedidos de socorro por meio de um blog, que durante muito tempo só ficou no ar graças ao trabalho de voluntários no exterior. A vinda dela ao Brasil é motivo de orgulho para todos os brasileiros — com exceção, é certo, de alguns altos funcionários do Planalto.

A reportagem de VEJA revela que, falando em nome do governo, esses serviçais

foram convocados à Embaixada de Cuba em Brasília, onde receberam cópias de um dossiê em que, tolamente, registre-se. Yoani é acusada de ir à praia em Cuba, tomar cerveja e aceitar dinheiro associado a alguns de seus cobiçados prêmios internacionais — entre eles o Ortega y Gasset, da Espanha, e o Príncipe Claus, da Holanda —, concedidos a destacados defensores da liberdade de expressão.

Seria só mais um servicinho sujo prestado a Havana, não fosse o fato, este sim estarrecedor, de os funcionários brasileiros terem se mostrado solícitos e coniventes inclusive com a rede de espionagem cubana armada em território brasileiro para bisbilhotar os encontros de Yoani no país.

É preciso que alguém com juízo no governo enquadre urgentemente os cubanófilos militantes e os informe de que o Brasil não é, ainda, quintal de Havana.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO