sábado, 16 de fevereiro de 2013

União disponibilizou 350 soldados para combater violência em SC





Homens da Força Nacional desembarcaram na sexta-feira em Santa Catarina Foto: Reprodução
Homens da Força Nacional desembarcaram na sexta-feira em Santa Catarina
Foto: Reprodução
A atuação da Força Nacional para conter a onda de violência que atinge 30 cidades em Santa Catarina desde o dia 30 de janeiro foi discutida na sexta-feira durante reunião, em Florianópolis, da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Minck, com o secretário de Segurança Pública do Estado, César Grubba, e o comandante-geral da Polícia Militar (PM), coronel Nazareno Marcinero. Após o encontro, o governo do Estado informou que o Ministério da Justiça disponibilizou 350 soldados, mas não definiu quantos serão requisitados pelas autoridades locais. A assessoria confirmou apenas que uma aeronave e dois ônibus da Força Nacional já estavam na cidade.

Ainda de acordo com o governo catarinense, a Força Nacional atuará em conjunto com a Policia Militar sob o comando do coronel Nazareno e do secretário Grubba. Os militares poderão agir nas ruas, nos presídios ou nas operações de transferência de presos.

A ajuda da Força Nacional foi oferecida na última quarta-feira, em reunião do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo. O ministro colocou à disposição do Estado a Força Nacional, além das polícias Federal e Rodoviária Federal. Durante a reunião, Cardozo e Colombo também discutiram a transferência de presos de facções criminosas que atuam dentro do sistema prisional catarinense para presídios federais.

"Pouca utilidade"
Há menos de uma semana, o Estado havia questionado a "utilidade" da Força Nacional. O coronel Nazareno chegou a declarar que os militares catarinenses tinham “brio” e que a presença de tropas federais seriam de "pouca utilidade".

Desde 30 de janeiro, quando teve início a onda de violência em Santa Catarina, 37 ônibus foram incendiados na região. Nesse período, foram registrados pelo menos 100 atos violentos em 30 municípios. Veículos foram incendiados e foram disparados tiros e jogados coquetéis-molotovs contra prédios públicos. As ocorrências foram registradas nos municípios de Navegantes, São José, Florianópolis, Criciúma, Itajaí, Palhoça, Camboriú, São Francisco do Sul, Laguna, Araquari, Gaspar, Joinville, Balneário Camboriú, Jaraguá do Sul, Maracajá, Ilhota, Tubarão, Chapecó, Indaial, Brusque, Blumenau, Garuva, Bom Retiro, São Bento do Sul, Rio do Sul, Porto União, São João Batista, São Miguel do Oeste, Içara, Imbituba e Guaramirim.

Ônibus escoltados
Os ônibus da região metropolitana de Florianópolis estão circulando até as 23h. A decisão foi tomada em uma reunião entre autoridades e trabalhadores nesta sexta - na quinta-feira, motoristas e cobradores haviam decidido que só trabalhariam até as 19h. No sábado, os coletivos circularão com escolta policial das 20h às 23h e, a partir de domingo, a escolta da PM começa mais cedo, às 19h, devido ao fim do horário de verão.

Na semana que vem, os ônibus também passam a sair das garagens a partir das 5h30 - uma hora mais cedo. As escoltas serão realizadas pela PM e pela Guarda Municipal. Cinquenta viaturas policiais e todo o efetivo da Guarda Municipal trabalham nos comboios de proteção aos coletivos.

Com informações da Agência Brasil

Fonte: Terra

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO