terça-feira, 16 de abril de 2013

Promotoria tenta derrubar medida que impede PM de socorrer vítima






O Ministério Público de São Paulo ingressou com uma ação civil para que a Secretaria da Segurança Pública altere a resolução que impede policiais de resgatar vítimas de crimes.
Promotoria quer que Alckmin mude regra de socorro a feridos
Socorro a vítimas de crimes abre crise na cúpula da polícia
Pela regra atual, que vale desde o dia 5 de janeiro, nenhum policial pode socorrer pessoas que tenham sido feridas por criminosos ou pelos próprios policiais durante troca de tiros.
O resgate deve ser feito por equipes especializadas como o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ou pelos bombeiros.
Para elaborar o pedido, o promotor Luiz Roberto Faggioni ouviu de representantes do Samu que as equipes de resgate têm sido hostilizadas por policiais.
No início deste mês, o Comando Geral da PM e a cúpula da secretaria se desentenderam quando policiais militares impediram que vítimas de crimes fossem socorridas pelos próprios familiares.
Na ação civil, o promotor Faggioni diz que a resolução se opõe ao conceito de Estado de Direito e à função da polícia, "que deve ser o de preservar a paz e harmonia social, garantindo vidas e a ordem na sociedade".
Ontem, a secretaria informou que ainda não foi notificada oficialmente sobre a ação movida pela Promotoria e que a resolução não será alterada. Afirmou também que mantém os princípios que norteiam a defesa da resolução e os usará em eventual defesa judicial.

Folha de São Paulo

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, ele é muito importante!

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO